Notícia

Terebinto AN-59 - História

Terebinto AN-59 - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Terebinto

(AN-59, dp. 1.275; 1. 194'6 ", b. 37 ', dr. 13'6", s. 12.1
k .; cpl. 56; uma. 1 3 ", cl. Ailanthus)

Terebinth (AN-69) foi estabelecido como Balm (YN-78) em 24 de março de 1943 em New Bern, N.C., pela Barbour Boat Works, lançado em 19 de agosto de 1943; patrocinado pela Sra. J. M. Mitchell, renomeado Terebinth em 7 de dezembro de 1943, redesignado AN-59 em 20 de janeiro de 1944; e comissionado em 5 de agosto de 1944, o tenente Sandrup Bernsen, USNR, no comando

Terebinth partiu de Morehead City, N.C., em 6 de agosto, para completar os preparativos do Norfolk Navy Yard. No dia 24, o navio de lançamento de rede partiu para Melville, R.I., para treinamento de shakedown que ela completou em 11 de setembro. Depois de operar no 5º Distrito Naval fora de Norfolk por dois meses, a camada líquida começou em 16 de novembro para a costa oeste. Ela transitou pelo Canal do Panamá no dia 27 e chegou a São Francisco em 20 de dezembro de 1944.

Em 26 de janeiro de 1945, Terebinth rumou para o Havaí e chegou a Pearl Harbor em 7 de fevereiro. Na semana seguinte, a camada da rede se juntou a um comboio que seguiu, via Johnston Island e Eniwetok, para Ulithi. Ela esteve lá de 6 a 11 de março, quando se juntou às unidades do Mine Squadron 10 com destino às Filipinas. Os navios chegaram à baía de San Pedro 10 dias depois, preparados para a invasão das Ilhas Ryukyu, e sorteados em 19 de março. Eles chegaram ao largo de Kerama Retto no dia 26, e tropas da 77ª Divisão de Infantaria desembarcaram nas praias de lá às 8h da manhã. À tarde, as ilhas principais do grupo estavam sob controle americano, e Terebinth iniciou as operações de lançamento de redes no canal Aka Shima. A amarração do norte foi concluída à tarde, e a última rede de 1.500 pés foi colocada antes do anoitecer. A amarração do sul foi concluída na manhã seguinte.

A frota de invasão sofreu um ataque aéreo inimigo no primeiro dia da campanha, e os ataques continuaram durante a luta pela ilha. Um novo perigo apareceu na manhã do dia 28, quando os vigias em Terebinth avistaram um barco não iluminado se aproximando da proa do navio. Quando desafiada, a nave não respondeu. Como a embarcação não identificada estava perto demais para que Terebinth pudesse carregar sua arma de 3 polegadas, os artilheiros do navio abriram fogo com armas pequenas. O barco lançou uma carga de profundidade perto de Terebinth, desviou para estibordo e acelerou quando uma violenta explosão sacudiu a camada de rede. Felizmente, Terebinth não foi danificado. Ela então tomou posição no lado leste da entrada sul da rede para Kerama Retto e direcionou o tráfego assim que ele entrou. O navio permaneceu nesta tarefa até 6 de abril, quando se juntou a um grupo de salvamento nas praias de Hagushi para ajudar na recuperação de embarcações de desembarque. No dia 29, ela foi ao lado do danificado Pinckney (APH-2) e forneceu eletricidade ao transporte por quatro dias enquanto atendia aos feridos que haviam sido evacuados das praias. Terebinth permaneceu em Ryukyus até 6 de julho, quando se aposentou em Leyte.

Terebinth partiu de San Pedro em 12 de agosto e estava a aproximadamente 60 milhas ao sul de Peleliu no dia 15 quando recebeu ordens para cessar as operações ofensivas contra o Japão. Dois dias depois, ela ancorou em Ulithi e começou a consertar, substituir e resgatar boias e redes. Ela então se mudou para Kossol Roads no Palaus para continuar as mesmas tarefas. Em 14 de outubro, o navio de lançamento de redes rumou para o porto de Tanapag, Saipan, com um carregamento de redes. Ela chegou lá no dia 19 e partiu para os Estados Unidos no dia 26.

Terebinth chegou a San Diego em 27 de novembro de 1945 e, no dia seguinte, subiu a costa de San Pedro para inativação. Ele foi desativado em 31 de janeiro de 1946 e retirado da lista da Marinha em 26 de fevereiro de 1946. O navio foi vendido para a Van Cam Sea Food Co., San Pedro, em 23 de abril de 1946.

Terebinth recebeu uma estrela de batalha pelo serviço prestado na Segunda Guerra Mundial.


Ailanthus- navio de lançamento de rede de classe

o Ailanthus classe eram um grupo de 40 navios de lançamento de rede com casco de madeira da Marinha dos Estados Unidos construídos durante a Segunda Guerra Mundial como parte dos enormes programas de construção do final de 1941 e início de 1942 para pequenas patrulhas e navios de guerra contra minas. Cinco da classe foram transferidos para a Marinha Real Britânica sob Lend-Lease, e outros cinco foram convertidos em seus estaleiros em Rebocadores Auxiliares, os ATA-214-classe. [1]

    , Everett, Washington (10), Stockton, Califórnia (10)
  • Barbour Boat Works, New Bern, Carolina do Norte (4)
  • Snow Shipyards, Rockland, Maine (5), St. Charles, Missouri (4)
  • Canuelette Shipbuilding Co., Slidell, Louisiana (7)
  • Marinha dos Estados Unidos (35)
  • Marinha Real (5)
  • 1 × 3 "/ pistola calibre 50
  • 2, mais tarde 4 × único 20 mm AA

Conteúdo

A M-59 começa na I-96 em Howell Township como Highland Road, perto de um grande shopping center. A Highland Road transporta a M-59 simultaneamente com a seção mais a oeste do Business Loop I-96 (BL I-96). A Highland Road se alarga em uma avenida ao sul do aeroporto do condado antes de chegar à Grand River Avenue. Neste cruzamento, BL I-96 parte para o sudoeste. Esta seção de Howell é principalmente residencial com ruas arborizadas. A seção do bulevar termina perto do lago Thompson e a M-59 continua para o leste através do condado rural de Livingston como uma rodovia de duas pistas que cruza áreas florestais e residenciais. No meio de Hartland Township, o M-59 encontra a rodovia US Highway 23 (US 23) perto do Hartland Plaza Shopping Center, e Highland Road se alarga para uma rodovia dividida por boulevard novamente. A rota passa por vários pequenos lagos e continua para o leste até o condado de Oakland. Percorrendo a área recreativa do estado de Highland, o M-59 segue para o norte pela zona rural de lagos do condado de Oakland, que compreende vários lagos em densas florestas e subdivisões residenciais que formam a extremidade norte da área metropolitana de Detroit. Há uma breve lacuna na Highland SRA, onde a M-59 se reduz a uma estrada de duas pistas. Perto de Brendel Lake e da Alpine Valley Ski Area, Highland Road se reduz a duas pistas pela última vez. A estrada estreita continua para o leste, cruzando a margem sul do Lago Pontiac na área recreativa estadual de mesmo nome. [3] [4]

O próximo marco importante ao longo da M-59 é o Aeroporto Internacional do Condado de Oakland em Waterford Township. Highland Road começa a fazer uma curva de volta para o sul através de subúrbios mais densos à medida que se aproxima dos arredores de Pontiac. O nome Highland Road dá lugar a Huron Street perto do Lago Sylvan, e M-59 cruza a Telegraph Road, que leva US 24 e marca a fronteira com Pontiac. A M-59 na direção leste continua ao longo da Huron Street até o centro de Pontiac, onde cruza a extremidade norte da Woodward Avenue, que faz parte dos dois loops comerciais que circundam o distrito comercial central, enquanto a M-59 na direção oeste contorna o centro de Pontiac enquanto segue a curva norte da Woodward. A leste do centro de Pontiac, a M-59 se alarga em uma autoestrada completa. Esta rodovia dá acesso ao lado sul do Pontiac Silverdome, antiga casa dos Detroit Lions. A leste do estádio em Auburn Hills fica o trevo com a I-75 e a sede corporativa norte-americana da montadora Chrysler. Continuando para o leste pelos subúrbios ao norte de Detroit, a rodovia M-59 faz uma curva de volta para o sul e cruza para o condado de Macomb no trevo da Dequindre Road. [3] [4] Caminhões que transportam cargas explosivas ou inflamáveis ​​são obrigados a sair da rodovia M-59 e usar o serviço paralelo através do trevo Mound Road-Merrill Road, a oeste de Utica. [5]

A rodovia M-59 cruza a fronteira entre Sterling Heights e Shelby Township e termina na Van Dyke Avenue em Utica, onde a M-59 se torna uma avenida chamada Hall Road. A rodovia cruza o rio Clinton e o extremo sul da rodovia M-53. [3] Esta seção da rodovia é uma espécie de "rua principal" no condado de Macomb, pois é o lar de uma grande variedade de lojas e restaurantes, incluindo Lakeside Mall em Sterling Heights e The Mall em Partridge Creek em Clinton Township. [6] Embora não seja oficialmente designada nem comumente referida como tal, a parte da Hall Road da M-59 é coextensiva com "20 Mile Road" no sistema Detroit Mile Road. Perto de seu terminal leste, a M-59 cruza a M-97 (Groesbeck Highway) e a M-3 (Gratiot Avenue). A leste de Gratiot, a Hall Road é chamada de Rodovia William P. Rosso. A M-59 termina no cruzamento da rodovia com a I-94, enquanto a rodovia Rosso continua ao longo da borda norte da Base Aérea da Guarda Nacional Selfridge até o Lago St. Clair. [4]

M-59 foi designado pela primeira vez em 1 de julho de 1919 entre M-10 (agora Bus. US 24) em Pontiac e M-19 (mais tarde US 25 e agora M-3) em Mt. Clemens. [2] Ele seria movido para seguir Hall Road exclusivamente na extremidade leste em 1932. [7] [8] A extremidade oeste foi estendida em 1936 para terminar na linha do condado de Livingston-Oakland. [9] [10] A extensão para US 23 em Hartland foi concluída em 1938. [11] A extremidade leste foi estendida novamente em 1939 ao longo da US 25 e ao longo da M-29 em New Baltimore. [12] A extremidade leste foi redirecionada novamente entre o Monte Clemens e New Baltimore sobre outro alinhamento anterior do M-29 no final de 1947 ou início de 1948. [13] [14] O terminal leste foi truncado para M-29 a leste da US 25 / Avenida Gratiot em 1961. [15] [16]

Outra extensão na extremidade oeste moveu a M-59 para terminar na US 16 em Howell em 1960. [17] [18] A extremidade oeste foi estendida com o novo BL I-96 em Howell para terminar na recém-inaugurada rodovia I-96 em 1962. [16] [19] A extremidade leste foi redirecionada para terminar na I-94 em 1963. [19] [20]

A M-59 foi convertida em uma rodovia a partir de 1966 com o primeiro trecho entre Pontiac e Auburn Road perto de Rochester. [21] [22] Um segundo segmento foi inaugurado em 1972 a leste de Mound Road em Utica. [23] [24] Os segmentos foram convertidos em rodovias divididas no condado de Oakland de 1984 a 1986. [25] [26] A extremidade leste foi reconstruída em 1995-97 e convertida em uma rodovia dividida de seis a oito pistas. [27] [28] A rodovia foi estendida para o leste em 1998 para a Van Dyke Avenue em Utica no mesmo ano, a extremidade leste foi redirecionada para fora da Gratiot Avenue e 23 Mile Road para terminar em um trevo diferente com a I-94, eliminando a concorrência com M-3. [29] [30] A rota antiga da M-59 ao longo da Auburn Road em Rochester Hills ainda é mantida pelo MDOT. [31]

Em 2010, o MDOT iniciou o processo de expansão do M-59 de duas faixas para três em cada direção entre Crooks Road e Ryan Road, usando o financiamento da conta de estímulo federal de 2009. [32] Com esta melhoria, M-59 está agora em pelo menos três pistas em cada sentido de I-75 a I-94. [33]

Em 2017, o MDOT iniciou a reconstrução da M-59 (Hall Road) da M-53 para a Romeo Plank Road. Esta construção está prevista para durar até 2018.


Terebinto AN-59 - História

(1) 'elah (Isaías 6:13, a versão King James "árvore teil" Ho 4:13, a versão King James "olmos") em Gênesis 35: 4 (a versão King James "carvalho") Juízes 6:11 , 19 Juízes 9: 6 (a versão King James "simples") 2 Samuel 18: 9, 10, 14 1 Reis 13:14 1 Crônicas 10:12 Isaías 1:30 Ezequiel 6:13, traduzido como "carvalho", e em margem "terebinto" "vale de Elah", margem "o terebinto" em 1 Samuel 17: 2, 19 1 Samuel 21: 9.

(2) 'elim (Isaías 1:29, "carvalhos", margem "terebintos").

(3) 'allah (Josué 24:26, Versões inglesas da Bíblia têm "carvalho", mas a Septuaginta terebinthos).

(4) 'elon, "carvalho (margem," terebinto ") de Zaanannim" (Josué 19:33 Juízes 4:11) "carvalho (a versão revisada margem" terebinto ", a versão King James" planície ") de Tabor" (1 Samuel 10: 3) também Gênesis 12: 6 Gênesis 13:18 Gênesis 14:13 1 Samuel 10: 3 Deuteronômio 11:30 Juízes 6:19 todos traduzidos "carvalho" ou "carvalhos", com a margem "terebinto" ou " terebintos. "

(5) Em Gênesis 14: 6, a Septuaginta tem terebinthos, como a tradução do el de El-paran.

(6) Em Ecclesiasticus 24:16 terem (b) inthos, a árvore de terebintina da versão King James, "a versão revisada (britânica e americana)" terebinto.

É claro que os tradutores não têm certeza de qual tradução é a correta, e não parece improvável que então não houvesse uma distinção clara entre carvalho e terebinto nas mentes do Antigo Testamento. escritores, no entanto, as duas são árvores muito diferentes de qualquer observação, exceto a mais superficial.

O terebinto-Pistacia terebinthus (Ordem Natural, Anacardiaceae), árabe Butm-é uma árvore aliada à P. vera, que produz a noz de pistache, e à conhecida "árvore da pimenta" (Schinus molle) tão amplamente cultivada na Palestina moderna. Como este último, o terebinto tem bagas vermelhas, como pequenas uvas imaturas. As folhas são pinadas, de quatro a seis pares, e mudam de cor e caem no outono, deixando o tronco nu (compare com Isaías 1:30). O terebinto pode ser infectado por muitas galhas vistosas, algumas variedades que parecem pedaços de coral vermelho. Na Palestina, essa árvore assume proporções nobres, principalmente nas situações em que, por sua associação com alguma tumba sagrada, pode florescer sem ser perturbada. Em tais situações, não raro, chega a 12 metros de altura e espalha seus galhos, com sua folhagem espessa e verde-escura, por uma área ampla (compare 2 Samuel 18: 9, 14 Eclesiástico 24:16). Árvores anãs ocorrem entre os arbustos por toda a terra.

Desta árvore, uma espécie de terebintina é obtida, daí o nome alternativo "árvore de terebintina" (Ecclesiasticus 24:16 a versão King James, a versão revisada (britânica e americana) "terebinto").

425. Elah - & quotterebinto, & quot um nome israelita, também um nome edomita
. 424, 425. Elah. 426. & quotterebinto, & quot um nome israelita, também um nome edomita.
Transliteração: Elah Ortografia fonética: (ay-law & # 39) Definição curta: Elah. .
/hebrew/425.htm - 6k

356. Elon - & quotterebinto, & quot um nome israelita, também hitita, também .
. Elon. 357. & quotterebinto, & quot um nome israelita, também hitita, também uma cidade em Dã.
Transliteração: Ortografia fonética de Elon: (ay-lone & # 39) Definição curta: Elon. .
/hebrew/356.htm - 6k

364. El Paran - & quotterebinto de Paran, & quot uma cidade e porto no .
. El Paran. 365 & quotterebinto de Paran, & quot, uma cidade e um porto no Mar Vermelho.
Transliteração: Ortografia fonética El Paran: (ale paw-rawn & # 39) Definição curta: El- .
/hebrew/364.htm - 6k

352d. ayil - a terebinto
. ayil. 353. uma terebinto. Transliteração: ayil Definição curta: carvalhos. Origem da palavra
do mesmo que ulam Definição a terebinto NASB Word Usage carvalhos (3). .
/hebrew/352d.htm - 5k

358. Elon Beth Chanan - & quotterebinto da (a) casa da preferência, & quot a .
. & quotterebinto do . Origem da palavra de Elon, bayith e chanan Definição & quotterebinto
of (the) house of favor, & quot a place in Dan NASB Word Usage Elonbeth-hanan (1). .
/hebrew/358.htm - 6k

436. elon - a terebinto
. uma terebinto. Transliteração: elon Ortografia fonética: (ay-lone & # 39) Definição curta:
Carvalho. . de ayil Definição a terebinto NASB Word Uso carvalho (6), carvalhos (4). plano .
/hebrew/436.htm - 6k

Capítulo xxxv
. eles entregaram a Jacó todos os deuses estrangeiros em sua posse e os anéis
que estavam em seus ouvidos, e Jacó os enterrou sob o terebinto perto de Shechem .
/. //christianbookshelf.org/leupold/exposition of genesis, volume 1 / capítulo xxxv.htm

Fragmento x. Do Patriarca Jacob. .
. país, por conta da violação de sua irmã, enterrado em Shecem os deuses
que ele tinha com ele perto de uma rocha sob o maravilhoso terebinto, [1096] que .
/. / africanus / os escritos de julius africanus / fragmento x do patriarca.htm

Índice
. 186 5.2 VIAJANDO À NOITE. MARIA E JOSEPH DESCANSAM NO TEREBINTO DE ABRAHAM. 188
5.3 DUAS HORAS A SUL DO TEREBINTO ÁRVORE. . ABRAHAM & # 39S TEREBINTO ÁRVORE. 331 11. .
/. / emmerich / a vida da abençoada virgem maria / índice.htm

A Fuga para o Egito e São João Batista no Deserto
. 10. O GROVE DE MOREH. ABRAHAM & # 39S TEREBINTO ÁRVORE. . Era Abraham & # 39s terebinto árvore,
perto do bosque de Moreh, não muito longe de Siquém, Thanate, Shiloh e Aruma. .
/. / emmerich / a vida da abençoada virgem maria / xvi a fuga para o Egito.htm

A árvore sem folhas
. serão preservados, e então mesmo esta pequena parte estará sujeita a muitos perigos
ainda assim Israel não será destruído, pois será como um terebinto árvore e .
/. / spurgeon / spurgeons sermons volume 3 1857 / the leafless tree.htm

O Censo e a Viagem da Sagrada Família
. 5.2 VIAJANDO À NOITE. MARIA E JOSEPH DESCANSAM NO TEREBINTO DE ABRAHAM. . Onde eles
fosse descansar, ela ficou parada, como aqui pelo terebinto árvore. .
/. / emmerich / a vida da bem-aventurada virgem maria / x o censo e o.htm

Capítulo xxxiv
. eles entregaram a Jacó todos os deuses estrangeiros em sua posse e os anéis
que estavam em seus ouvidos, e Jacó os enterrou sob o terebinto perto de Shechem .
/. /christianbookshelf.org/leupold/exposition of genesis, volume 1 / capítulo xxxiv.htm

Capítulo xii
. 6, 7, E Abrão passou pela terra até o lugar de Siquém para o terebinto
de Moré, e os cananeus estavam na terra naquele tempo. .
//christianbookshelf.org/leupold/exposition of genesis, volume 1 / capítulo xii.htm

Falado em Antioquia na Igreja Velha, como era chamada.
. abelhas, então o medo afastou nossos enxames e o que o profeta diz, lamentando
Jerusalém, podemos dizer com propriedade agora, & quotNossa cidade se tornou como um terebinto que tem .
/. / chrysostom / sobre o sacerdócio / homilia ii falado em antioch.htm

Que mandou construir uma igreja em Mambre.
. 18: 1), e outros, tem & quotplains & quot, embora a Septuaginta e intérpretes antigos
geralmente renderiza-o, como aqui, por & quotoak, & quot algum por & quotterebinto& quot (árvore de terebintina .
/. / pamphilius / a vida de Constantine / capítulo li que ele encomendou a.htm

Teil
. Árvore Teil. (um antigo nome para a tília, a tília), Isaías 6:13, o terebinto,
ou terebintina, a Pistacia terebinthus dos botânicos. .
/t/teil.htm - 7k

Mamre (10 ocorrências)
. 1) A tradição moderna aponta para um magnífico carvalho (Quercus ilex, árabe Sindian),
1 1/2 milhas a oeste-noroeste da cidade moderna, como o terebinto de Abraão .
/m/mamre.htm - 16k

Elah (17 ocorrências)
. Dicionário Bíblico de Easton Terebinto ou carvalho. (1.) Vale de, onde os israelitas
estavam acampados quando Davi matou Golias (1 Samuel 17: 2, 19). .
/e/elah.htm - 17k

Carvalho (22 ocorrências)
. (1.) `El ocorre apenas na palavra El-paran (Gênesis 14: 6). A LXX. renderiza por
& quotterebinto. & quot Na forma plural, esta palavra ocorre em Isaías 1:29 57: 5 (AV marg. .
/o/oak.htm - 33k

Olmo
. Dicionário Bíblico de Easton Oséias 4:13 renderizado & quotterebinto& quot no Revisado
Versão. É a Pistacia terebinthus de Linn., Uma árvore .
/e/elm.htm - 7k

Elon (8 ocorrências)
. Enciclopédia padrão da Bíblia. ELON (1). e'-lon ('elon & quotterebinto& quot): (1) Um Zebulunita,
que julgou Israel dez anos e foi sepultado em Aijalon (Juízes 12:11, 12). .
/e/elon.htm - 10k

Absalão (16 ocorrências)
. E Absalão estava montado em sua mula, e a mula foi sob os ramos grossos de
um ótimo terebinto, e sua cabeça agarrou o terebinto, e ele era .
/a/absalom's.htm - 12k

Botânica
. 5: 7, etc.) à menção repetida dos produtos mais característicos da modernidade
Palestina - a azeitona e o figo, a videira e a amêndoa, o carvalho e a terebinto. .
/b/botany.htm - 38k

Terebintina
. Noah Webster's Dictionary (n.) Uma oleorresina semifluida ou fluida, principalmente a exsudação
do terebinto, ou terebintina, árvore . tur'-pen-tin. Ver TEREBINTO. .
/t/turpentine.htm - 6k

Gênesis 12: 6
E Abrão passou pela terra até o lugar de Siquém, até o carvalho de Moré. E o cananeu estava então na terra.
(Veja JPS)

Gênesis 35: 4
E deram a Jacó todos os deuses estranhos que estavam em suas mãos e as argolas que estavam em suas orelhas e Jacó os escondeu debaixo do carvalho que estava perto de Siquém.
(Veja JPS DBY)

Juízes 6:11
E veio o anjo do Senhor e sentou-se debaixo do carvalho que estava em Ofra, que pertencia a Joás, o abiezrita; e seu filho Gideão estava batendo o trigo no lagar, para o esconder dos midianitas.
(Veja JPS)

Juízes 6:19
E Gideão entrou, e preparou um cabrito e pães ázimos de uma efa de farinha; a carne pôs num cesto, pôs o caldo numa panela e tirou-o debaixo do carvalho e apresentou-o .
(Veja JPS)

Juízes 9: 6
E todos os cidadãos de Siquém se ajuntaram, e toda a casa de Milo, e foram e fizeram Abimeleque rei, junto ao carvalho da coluna que estava em Siquém.
(Veja JPS)

1 Samuel 10: 3
Então tu irás adiante dali, e virás ao carvalho do Tabor e lá te encontrarão três homens subindo a Deus para Betel, um carregando três filhos, e outro carregando três pães, e outro carregando uma garrafa de vinho:
(Veja JPS)

2 Samuel 18: 9
E Absalão por acaso encontrou os servos de Davi. E Absalão estava montado em sua mula, e a mula foi sob os ramos grossos de um grande carvalho, e sua cabeça agarrou-se ao carvalho, e ele foi levado entre o céu e a terra e a mula que estava debaixo dele continuou.
(Veja JPS DBY)

2 Samuel 18:10
E certo homem, vendo isso, avisou Joabe, e disse: Eis que vi Absalão pendurado num carvalho.
(Veja JPS DBY)

2 Samuel 18:14
Disse Joabe: Não posso ficar assim contigo. E ele tomou três dardos em sua mão, e os cravou no coração de Absalão, enquanto ele ainda estava vivo no meio do carvalho.
(Veja JPS DBY)

1 Reis 13:14
E ele foi após o homem de Deus, e encontrou-o sentado debaixo de um carvalho e disse-lhe: És tu o homem de Deus que vim de Judá? E ele disse, eu sou.
(Veja JPS DBY)

1 Crônicas 10:12
todos os homens valentes se levantaram, e levaram o corpo de Saul e os corpos de seus filhos, e os trouxeram a Jabes, e enterraram seus ossos debaixo do carvalho em Jabes, e jejuaram sete dias.
(Veja JPS DBY)

Isaías 1:30
Porque sereis como um carvalho cujas folhas murcham, e como um jardim que não tem água.
(Veja JPS DBY)

Isaías 6:13
Se sobrar um décimo nele, também será consumido: como um terebinto e como um carvalho, cujo tronco permanece quando são abatidos, de modo que a semente sagrada é o seu estoque. "
(WEB JPS ASV DBY NAS RSV NIV)

Ezequiel 6:13
E sabereis que eu sou Jeová, quando os seus homens mortos estiverem entre os seus ídolos ao redor dos seus altares, em cada colina alta, em todos os cumes das montanhas, e debaixo de cada árvore verde, e abaixo de cada carvalho espesso, os lugares onde eles ofereceram doce sabor a todos os seus ídolos.
(Veja JPS DBY)

Oséias 4:13
Eles sacrificam no topo das montanhas, e queimam incenso nas colinas, sob carvalhos e choupos e terebintos, porque sua sombra é boa. Portanto, suas filhas se prostituem e suas noivas cometem adultério.
(Raiz em WEB JPS ASV DBY YLT NAS RSV NIV)


Sob as árvores de carvalho e terebinto

Anêmonas (hebr. Kalaniot) florescendo na Galiléia no final da estação chuvosa de inverno.

Esta semana, celebramos o feriado judaico de Tu b’Shevat, o 15º dia do mês de Shevat, que marca o primeiro dia do ano novo para as árvores. Árvores? O calendário judaico marca o ano novo com o festival de Rosh Hashanah, que ocorre todo outono. Por que precisamos de um ano novo separado para as árvores, e por que isso ocorre no meio do inverno?

Calcular a idade de uma árvore é importante para determinar uma série de leis agrícolas judaicas que incumbem às árvores: orlah, maaser sheni e outros dízimos. Mas por que comemorar esse aniversário no frio de fevereiro? Na Terra de Israel, o inverno não é de forma alguma um período morto caracterizado por árvores nuas e solo congelado. Pelo contrário! O inverno é a estação das chuvas, quando a paisagem fica coberta de grama verde e árvores frondosas, como pode ser visto na imagem acima. As árvores de fruto da Terra (como a amendoeira vista abaixo) começam a florir no final de Janeiro, pelo que esta foi escolhida como a data mais adequada para assinalar o aniversário de todas as árvores da Terra.

Uma amendoeira em flor no final de janeiro e no início de fevereiro # 8211.

Neste post quero compartilhar algumas palavras sobre duas árvores muito famosas (e incompreendidas) que aparecem com frequência na Bíblia: o carvalho e o terebinto. Comecemos examinando uma famosa passagem bíblica. No livro de Josué, as tribos irmãs de Efraim e Manassés queixam-se a Josué de que não receberam território suficiente. Sua resposta a eles é ir em frente e se apropriar de mais território, mas há um porém: as florestas precisam ser derrubadas.

Então Josué disse à casa de José, a Efraim e a Manassés: “Vós sois um povo numeroso e grande poder, não tereis um só lote, mas a região montanhosa será vossa, pois embora seja uma floresta, vós deve limpá-lo e possuí-lo até suas fronteiras mais distantes, pois você deve expulsar os cananeus, embora eles tenham carros de ferro, e embora sejam fortes. ” (Josué 17: 17-18)

O que exatamente Josué quis dizer quando disse limpar a & # 8220 floresta & # 8221? Grande parte da região montanhosa central da Terra de Israel era coberta por florestas na antiguidade. Mas, ao contrário das suposições de muitos leitores modernos, essas florestas não eram áreas densamente arborizadas com árvores altas, como por exemplo esta floresta na Suécia:

Ou esta antiga floresta que se estende pela fronteira entre a Polônia e a Bielo-Rússia:

Em vez disso, na Bíblia, a palavra hebraica יער (sim muitas vezes traduzido como “floresta”) significa realmente cerrado, uma área coberta por densa vegetação que a torna inadequada para a agricultura. O termo técnico para este tipo de paisagem é & # 8220Plantas mediterrâneas & # 8221, uma antiga floresta nativa na Terra de Israel contendo cinco camadas do solo: (1) gramíneas, (2) arbustos na altura do joelho (batta) , (3) arbustos na altura do peito (garigue), (4) árvores (maquis) e (5) vinhas. Devido ao desmatamento, existem muito poucas dessas florestas restantes.

Duas das árvores mais comuns na floresta mediterrânea são as elah (אלה) e o sozinho (אלון). Ambas as palavras hebraicas são comumente traduzidas como “carvalho” ou “terebinto” na Bíblia em inglês, levando a um pouco de confusão. O motivo dessa confusão de tradução é que, apesar do fato de serem duas espécies distintas, essas duas árvores realmente têm muito em comum. Mesmo guias da natureza experientes às vezes acham difícil distingui-los.

o elah árvore, geralmente traduzida como & # 8220terebinto & # 8221, tem o nome latino Pistacia palaestina, o que significa que está relacionado com a árvore de pistache. Muitas árvores famosas na Bíblia Hebraica são terebintos, por exemplo: a árvore sob a qual Jacó enterrou os ídolos de Labão (Gênesis 35: 4) e a árvore em Orpa, sob a qual se sentou o anjo que visitou Gideão (Juízes 6:11). A aparência mais famosa de um elah na Bíblia está o Vale de Elah, onde ocorreu a batalha de Davi e Golias (1 Sam. 17). Presumivelmente, o vale recebeu este nome devido ao grande número de elah árvores que cresceram aqui no passado.

o sozinho árvore, geralmente traduzida como & # 8220oak & # 8221, leva o nome Quercus calliprinos. Na literatura popular, também é conhecido como carvalho Kermes. o sozinho é mencionada na Bíblia como a primeira árvore encontrada por Abrão ao entrar na terra (Gênesis 12: 6) e a árvore sob a qual Débora, a ama de Rebeca, foi enterrada (Gênesis 35: 8) e o. o sozinho também é mencionado como um marco conhecido perto da importante cidade judaica de Hebron: Elonei Mamre. Esta foi uma das bases de assentamento importantes usadas por Abraão. Ele também enterrou Sara em uma caverna aqui, que mais tarde se tornou o mausoléu nacional contendo os corpos de: Abraão, Sara, Isaac, Rebeca, Jacó, Lia.

A Caverna de Machpelah, Hebron

Porque estão entre as únicas árvores relativamente altas da Terra, o sozinho e elah pensava-se que possuíam força divina. As palavras sozinho e elah ambos contêm a raiz hebraica אל (el), referindo-se ao seu status sagrado no culto cananeu de El. Conseqüentemente, essas duas árvores foram objeto de muitas críticas dos profetas da Bíblia Hebraica. Por exemplo, Oséias escreve:

Meu povo pede conselhos a uma estátua de madeira de um deus.
Eles obtêm respostas de um pedaço de madeira.
Eles são tão infiéis quanto as prostitutas.
Eles não são fiéis ao seu Deus.
Eles oferecem sacrifícios no topo das montanhas.
Eles queimam ofertas nas colinas.
Eles adoram sob carvalho (sozinho), álamo (livneh) e terebinto (elah) árvores.
As árvores oferecem muita sombra. (Oséias 4: 12-13)

Outra razão que o sozinho e elah pode ter se tornado o assunto de adoração idólatra porque ambas são árvores muito robustas que têm uma capacidade milagrosa de se regenerar quando cortadas. Como Isaías escreve: & # 8220Mas assim como o terebinto e o carvalho deixam tocos quando são cortados, a semente sagrada será o toco na terra & # 8221 (Isaías 6:13). Aqui está uma fotografia de um solitário que aparentemente voltou à vida.

Um solitário que gerou vários novos troncos

Observe os muitos troncos que brotaram do tronco original. Alguns estudiosos pensam que a conhecida profecia messiânica de "um rebento do toco de Jessé" em Isaías 11 pode ser uma referência a um elah ou sozinho árvore.

Um broto vai subir do toco de Jesse
de suas raízes um ramo dará frutos.
O Espírito do Senhor repousará sobre ele -
o Espírito de sabedoria e de compreensão,
o Espírito de conselho e de poder,
o Espírito do conhecimento e temor do SENHOR -
e terá prazer no temor do Senhor. (Isaías 11: 1-3)

Hoje, muitos dos elah e sozinho as árvores em Israel hoje são mais parecidas com arbustos do que árvores devido ao sobrepastoreio de ovelhas e cabras. Em vez de crescerem, eles se espalham horizontalmente tornando-se arbustos atarracados, como você pode ver na imagem abaixo. Mas eles vivem! Happy Tu B & # 8217Shevat!


Terebinto AN-59 - História

Laboratório único - evidências antigas de tecnologia moderna

Mapa - localização do vinho: antes e agora

As resinas de videira e árvore - ingredientes da natureza
.

Resinas de árvores

A árvore de terebinto continua a ser abundante no Oriente Médio, crescendo até mesmo em áreas desérticas. Uma única árvore, que pode atingir até 12 metros de altura, pode render até 2 quilos de resina.

Plínio, o Velho, o famoso enciclopedista romano do século I d.C., dedicou boa parte de um de seus livros ao problema de evitar que o vinho se transformasse em vinagre. As resinas das árvores - pinheiro, cedro e, frequentemente, terebinto (que Plínio descreveu como a resina "melhor e mais elegante") - foram adicionadas aos vinhos romanos exatamente para esse propósito. Roman também usava resinas para fins medicinais. Investigações químicas modernas provaram que as resinas podem matar certas bactérias, protegendo assim os compostos orgânicos da degradação.

A vinificação é muito condicionada pela própria videira, mesmo tendo em conta os recipientes necessários e os meios de conservação. A videira selvagem é dióica (o que significa que tem flores unissexuais em plantas separadas que devem ser polinizadas por insetos). Apenas a planta feminina produz frutos.

A videira selvagem cresce hoje na bacia temperada do Mediterrâneo, bem como em partes da Ásia Ocidental e Central. Em algum momento durante o período Neolítico, a videira selvagem da Eurásia foi eventualmente desenvolvida como nosso tipo domesticado. As vantagens da videira doméstica sobre o tipo selvagem podem ser atribuídas ao seu hermafrodismo (flores bissexuais ocorrem juntas na mesma planta, permitindo a autopolinização pelo vento e a produção de frutos por cada flor).


یواس‌اس تربینس (ای‌ان -۵۹)

یواس‌اس تربینس (ای‌ان -۵۹) (به انگلیسی: USS Terebinth (AN-59)) یک کشتی است که طول آن 194 '6 "می‌باشد.

یواس‌اس تربینس (ای‌ان -۵۹)
پیشینه
مالک
آغاز کار: ۱۹ اوت ۱۹۴۳
اعزام: ۵ اوت ۱۹۴۴
مشخصات اصلی
وزن: 1.100 toneladas
درازا: 194' 6"
پهنا: 37'
آبخور: 13' 6"
سرعت: 12 nós

این یک مقالهٔ خرد کشتی یا قایق است. می‌توانید با گسترش آن به ویکی‌پدیا کمک کنید.


Estudo de caso de microbiologia: uma pessoa de 59 anos com história de artrite reumatóide

Um homem de 59 anos com história de artrite reumatóide, hepatite C e carcinoma de pulmão de células não pequenas se apresenta ao seu reumatologista. His joint pain has responded well to adalimumab and methotrexate, but over the past month his left elbow has become increasingly painful, despite multiple corticosteroid injections there. He does not report any fevers or chills. On physical exam, his left elbow is warm and swollen. Synovial fluid is aspirated and sent for gram stain and culture.

Image 1. Initial Gram stain findings. Image 2. Growth on potato flake agar.

The yeast was identified as Candida parapsilosis, a common environmental species of Candida that is becoming increasingly prevalent as a cause of invasive candidal disease. It is easily transmitted by contact and is a source of nosocomial infections. It has the ability to form a biofilm and, thus, has a predilection for indwelling catheters and prosthetic devices. Highest-risk groups include immunocompromised patients, surgical patients, and very low-birth weight neonates.

The microbiology findings exemplify how fungi can be broadly categorized based on how they grow (as a yeast or a mold) in the host and in culture (a cooler environment). In this particular case, the initial gram stain (figure 1), representative of the phenotype in the host, demonstrates neutrophils with intracellular organisms with visible cell walls, suggestive of an active yeast infection with ongoing phagocytosis. The potato flake agar (figure 2) is also growing a yeast. Thus, the pathogen is classified as a yeast. In contrast, molds are characterized by the development of hyphae, which give them their classic “fluffy” appearance in culture (absent in this case). A clinically important subset of this group, the dimorphic fungi, are defined by a yeast phenotype in the host and a mold phenotype in culture.

  1. McGinnis, M, and S Tyring. (1996). Medical Microbiology (4 th Edition). Galveston, TX: University of Texas Medical Branch at Galveston.
  2. McPherson, R, and M Pincus. (2011). Henry’s Clinical Diagnosis and Management By Laboratory Methods (22 nd Edition, pp. 1155-1184). Philadelphia, PA: Elsevier Saunders.
  3. Trofa, D, A Gacser, and J Nosanchuck. “Candida parapsilosis, an Emerging Fungal Pathogen.” Clin Microbiol Rev. 2008 Oct 21(4): 606-625.

-Frederick Eyerer, MD is a 3 rd year anatomic and clinical pathology resident at the University of Vermont Medical Center.

-Christi Wojewoda, MD, is the Director of Clinical Microbiology at the University of Vermont Medical Center and an Associate Professor at the University of Vermont.


The Wonderful Truth

Genesis 12:6 - Abram traveled through the land as far as the site of the great tree of Moreh at Shechem.

I wonder how big the great tree of Moreh was. It was obviously a well-known landmark. Que idade tinha? Did anyone back then have any idea? If it started growing right after the Flood, it could have been about 400 years old by Abram's time.

What kind of tree was it? Cedar? Oak?

Where did the name Moreh come from? A place? A person?

I'm curious. Could you please tell me what brought you to this page by mentioning it in a comment? I won't publish the comment, if you ask me not to.

24 comments:

Ah! I just was reading Genesis and I came to 12:6 and thought "The great tree of Moreh! That sounds incredible" and was enthralled. I love the cultural bits added to Genesis.
So I took out some paper and started to draw what I thought it would look like. Then I typed "The Great Tree of Moreh" into google and found this.
I loved that others are enthralled by this.

Same here! I thought that it must have been a mighty tree if it warranted a mention in the Bible. I would very much have liked to see it.

Doing some further research, one bible commentary suggested this the Canaanites had shrines of teachers usually in oak trees. Morah maybe have been one of their greater teachers. Interesting.

Moreh may have been a teacher. maybe, but in Deuteronomy, 11: 30 it says "the great trees of Moreh"
To which it goes on to figure. there must be more than one due to the pluralization.

i was just going through the Bible, in Genesis at the time Abraham had his calling. As he untertook his journy with his son Lot ,he travelled quite a distance hovever despite this, the tree was still visible. Amazing

I stumbled across your blog due to some research about Abram for a history class I am teaching. I am quite intrigued by the fact that whoever wrote Genesis (and especially these Abram/Abraham narratives) knew that this tree would be known to the readers of that time. Or if this was oral history, at first, then they would recognize this landmark. My question is what is its significance? Have you found any further information regarding who or what Moreh was? What was special about this tree or these trees.

Sorry, Tamera, I have no new information for you.

Before Moses wrote these facts, they were probably passed down orally. Then again, it is entirely possible that someone wrote them down in another book before Moses recorded them here.

The significance of the tree itself seems to be mainly as a landmark. It (or they) may have been around for dozens, if not hundreds, of years by the time of this writing.

A reference to Moreh might be similar to a modern day reference to a man-made object such as the Great Wall or the Eiffel Tower - anything that most people would know about and be able to locate.

I've long been curious about "The Great tree of Moreh." Just came up on in again as I start a yearly Bible reading plan. Decided to google it this time. Disappointing that we can't do much more than speculate, but I'd imagine it must have been quite a spectacular site. I picture it something on order of the Sequoias in California. Of course, still being a part of the earlier creation, maybe it even dwarfed the Sequoias.

I've long been curious about "The Great tree of Moreh." Just came up on in again as I start a yearly Bible reading plan. Decided to google it this time. Disappointing that we can't do much more than speculate, but I'd imagine it must have been quite a spectacular site. I picture it something on order of the Sequoias in California. Of course, still being a part of the earlier creation, maybe it even dwarfed the Sequoias.

I am amazed that people are interested in an old tree, however great,that ceased to exist a very long time ago!
When was the last comment written? This train of treeline seems to have started in 2008.

I wonder if the "tree" was that large because of the region in which it grew. Many of the items in the Bible suggesting a large mass have been "traditionally" smaller. Case in point, "The Mount of Olives" or the location of "The Sermon on the Mount"?

I've read the Bible from Genesis to Revelations several times but never studied the Word. Beginning anew with Genesis, I want to begin studying the Word. Strangely enough, I don't ever remember seeing the Great Tree of Moreh and decided to look it up.

I've recently been realizing th fact that EVERY single word in the bible is relevant and has a significant meaning. God just doesn't decode to put in a random detail or landmark of the time. Though the tree may just be a landmark to the people of that time, later throughout the bible it amounts to so much more.
In the Greek translation this verse translates to "Yahweh appears to Abraham" this tree was the first time that God had actually appeared to Abraham and signified a change in his relations to man. Also at the site of this tree was where the first pillar of the patriarchs was built. Showing that this was a very significant an special place to God which also shows that it was even more special that he gave this land to Abraham and his decendants which would become Israel. Showing how God was choosing them as his special nation.
Quite a while after this when the isrealites had finnished roaming in the desert for 40 years (the number symbolizing testing, a whole different topic) this tree was where they crossed over the river and renewed their covenant with God by building the altar with the 12 stones. This all happened at the base of this tree.
This tree was a significant symbol to God. It to me, symbolizes a new beginning with his relationship to man, his covenant with Abraham (which the ceremony of the covenant was done at the base of this tree as well) and the start of a new nation in the promise land.
I'm sure with more research there could be mre answers and textual ties with the tree, but this is just what I have found according to history and the scriptures in the short amount of time I have spent on the subject

@Previous Anonymous Commenter: Thank you for your input. It would have been better if you would have cited references for your conclusions. I'm not saying they aren't true, but you do make some inferences that aren't immediately apparent.

There are only 2 direct references to the tree(s) of Moreh. One is the Genesis 12 verse that started this thread. The other is in Deuteronomy 11:29-30 - When the LORD your God has brought you into the land you are entering to possess, you are to proclaim on Mount Gerizim the blessings, and on Mount Ebal the curses. As you know, these mountains are across the Jordan, west of the road, toward the setting sun, near the great trees of Moreh, in the territory of those Canaanites living in the Arabah in the vicinity of Gilgal.

For those seeking more on the "tree of Moreh," go a google search for Terebinth, which the the hebrew word for "might" tree. Clearly a significant location for the meeting between man and God. The word "Moreh" means "teacher" and is some indication of what happens there. I wonder as we start the "covenant" all over again, if this tree is not another witness to the "tree in the midst of the garden." The OT image of "tree which shall not be removed" and the ultimate "tree of life" are all points where the affirmation of the world God creates and the way he witnesses his presence in our midst is powerful.

does anyone think it possible that it was a Sequoia, they use to be all over the world but they environment is limited now. We saw them this past summer and THEY WERE GREAT TREES.

I read the devotional from Our Daily Bread and it has Genesis 12:1-8. I, too, was curious as to what I could find out about The Terebinth Tree of Moreh.

PHMannes I think you are on to something, I have been researching this quite diligently and in several versions now tracing back to the Hebrew roots, In the NIV version it says "the great tree of Moreh" the NKJV says "the terebinth tree of Moreh" and in the Restoration Scriptures it says "to the plain of Moreh" and in this instance plain means Heb. 'elon (Gen. 12:6 13:18 14:13 18:1 Deut. 11:30 Judg. 9:6), more correctly "oak," as in the Revised Version margin, "terebinth." So there is the scripture to back up part of 12:6 in Genesis but in Hebrew Moreh does mean "Teacher" and so I think that it is a reminder of the covenant that the Lord made with Abram, with being the father of nations. I also believe that the number 4, whether it be 4, 40, 400, 44, 4000, whatever stands for the Messiah, the son of God! So I believe this "Oak tree" is also a shadow picture of what was to come. The Messiah, "teacher", he spent time in the wilderness and if not mistaken taught by. just my studies on this subject thought I'd share.

Genesis 12:6 about the great tree that is in discussion I have also been studying and in the Restoration Scriptures it says "to the plain of Moreh" and looking up Plain in a Hebrew dictionary you find. "Heb. 'elon (Gen. 12:6 13:18 14:13 18:1 Deut. 11:30 Judg. 9:6), more correctly "oak," as in the Revised Version margin, "terebinth."". In the NIV it says, "the great tree of Moreh". And the NKJV says, "the terebinth tree of Moreh". Now also looking up Moreh in the Hebrew dictionary I found that it said "Teacher" which I found quite interesting to say the least. Because I see it as reminder of the covenant with Abram that he will be the father of the nations, I also see it as a shadow picture of the coming of the Messiah and how he was a "teacher" he "taught by trees" "The tree of life" I mean there are so many things that can remind us of what has happened and show us what is going to happen in the future if we just look at what it says deep enough. I also believe that any number with a 4 in it resembles or is because of or is in reference to or has something to do with the Messiah! Something to think about in your studies. Just things I have learned and come to learn and understand hope it is helpful! God Bless!

Was there not found A tree base/branches that were petrified and it was almost a mile wide ??
http://s8int.com/WordPress/2012/11/23/update-the-biggest-out-of-place-artifacts-ever-immense-stupendous-petrified-trees-of-the-black-hills-south-dakota/

I found most of these comments quite interesting. I too am a student and teacher of the bible, and ones knowledge of the Bible is endless and the journey of understanding the Bible more enriches and deepens ones relationship with God! James 4:8. I wanted to see a picture of the Moreh trees and learn more about the area (land)from our weekly bible reading, and came across your comments.

I wanted to extended another resource library to any who would be interested in more information about the Moreh trees its location of relevance to why God instructed Abram/Abraham (as God later changed his and Sarai's name)the fulfillment of his family arriving near to Moreh, near Shechem, and how this Vital Biblical time has a greater fulfillment and relevance for our day and in our near future.

Please visit the www.JW.org Website, click on Publications, then Online Library. Type in Moreh etc. I think you will be inspired by what you read. It's an outstanding research tool for all biblically questions along with a wealth of historical and future prophecies already fulfilled and those that have yet to be fulfilled in our very near future. If your native tongue is not English, in the upper right hand corner type in your native language (which is the language of your heart) and allow God to continue to speak to you.

If we look at family trees,this becomes clearer.The Great tree of Moreh was located in the realm of Sihon the Great King of the A-mor-ites. Shortly after this Ab-raham is blessed by Melchi-zedic the King of Salem and priest of God Most High. Was Melchi an A-mor-ite?
If so,We know who the true King of Jerusalem is and if we are looking for a Meshiak or Messianic figure,the bloodline of the Moreh's would lead us to such a being.

If we look at family trees,this becomes clearer.The Great tree of Moreh was located in the realm of Sihon the Great King of the A-mor-ites. Shortly after this Ab-raham is blessed by Melchi-zedic the King of Salem and priest of God Most High. Was Melchi an A-mor-ite?
If so,We know who the true King of Jerusalem is and if we are looking for a Meshiak or Messianic figure,the bloodline of the Moreh's would lead us to such a being.

In my studying of the bible, I too was enthralled upon hearing of this tree so naturally I needed to find out more information about it. I love the way your mind operates! May God continue to bless you, prosper you, and use you to bring glory to His Name.


OAK AND TEREBINTH:

The Hebrew terms calling for consideration here are: "elah" (Gen. xxxv. 4 Judges vi. 11, 19, and elsewhere) "el" (only in the plural form "elim" Isa. i. 29, lvii. 5, A. V. "idols," R. V. "oaks" lxi. 3, A. V. "trees") "elon" (Gen. xii. 6, A. V. "plain" R. V. "oak" xiii. 18) "allah" (Josh. xxiv. 26, E. V. "oak") and "allon" (Gen. xxxv. 8 Isa. ii. 13, xliv. 14, and often E. V. "oak"). All these terms may have originally denoted large, strong trees in general (comp. the Latin robur), comprising both the oak and the terebinth, which are similar in outward appearance. But "elah" (which in Isa. vi. 13 and Hos. iv. 13 is distinguished from "allon") and its cognates "elon" and "elim" are assumed to mean the terebinth, while "allon" (which is repeatedly connected with Bashan [Isa. ii. 13 Ezek. xxvii. 6 Zech. xi. 2], a district famous for its oaks) and "allah" are assumed to denote the oak.

Both the oak and the terebinth offered favorite resorts for religious practises (Isa. i. 29, lvii. 5 Ezek. vi. 13 Hos. iv. 13), and were associated with theophanies (Judges vi. 11 comp. Gen. xii. 6 Judges ix. 37). By reason of their striking appearance and their longevity they served also as topographical landmarks (Gen. xxxv. 8 Judges iv. 11, vi. 11, ix. 6 I Sam. x. 3, xvii. 2). The custom of burial beneath these trees is mentioned (Gen. xxxv.8 I Chron. x. 12). Oak timber was used for the manufacture of idols (Isa. xliv. 14) and for ship-building (Ezek. xxvii. 6). The oak and the terebinth are employed as emblems of strength and durability (Amos ii. 9 Isa. lxi. 3).

According to Tristram, the following three species of oak are at present common in Palestine: (1) the prickly evergreen oak (Quercus pseudo-coccifera), abundant in Gilead the most famous exemplar of this species is the so-called "Abraham's oak" near. Hebron, measuring 23 feet in girth with a diameter of foliage of about 90 feet (see Abraham's Oak) (2) the Valona oak (Q. Ægilops), common in the north and supposed to represent the "oaks of Bashan" (3) the Oriental gall-oak (Q. infectoria), on Carmel.

The terebinth (Pistacia Terebinthus) is abundant in the south and southeast. See Forest.


Assista o vídeo: La Masacre de Terebinto (Junho 2022).


Comentários:

  1. Chimera

    Parece -me o pensamento magnífico

  2. Iaokim

    Estou pronto para reler o artigo novamente. Bom material e escrito simplesmente! Isso é o que você precisa.

  3. Lindsay

    Has understood not all.



Escreve uma mensagem