Notícia

Sir Galahad recebe o Santo Graal

Sir Galahad recebe o Santo Graal


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Sir Galahad

Urso francês do século 14 com cenas de romance, incluindo a vida de Galahad. Imagem do Walters Art Museum. Licença Creative Commons.

Conforme discutimos em aula, o primeiro cavaleiro do Graal foi Perceval, mas Galahad finalmente assumiu o centro do palco. A imagem no topo desta página é de um caixão medieval, mas a popularidade de Galahad & # 8217 sobreviveu ao período medieval. Ele foi um personagem particularmente significativo no renascimento arturiano, e esta página oferece um vislumbre de suas aparições em ilustrações e textos do século 19 e início do século 20. Também há algum conteúdo canadense, no final da página.

Existem mais imagens de Galahad e do Graal no site ArtMagick e no site do Projeto Camelot (neste último site, siga o link para Menu Principal, que lhe dará uma lista de personagens arturianos, símbolos e lugares).

Fiz todo o possível para confirmar que as imagens aqui são de domínio público, caso você saiba o contrário, entre em contato comigo e eu as removerei imediatamente.

Quão fofos são os looks que as senhoras curvam
Sobre quem caem seus favores!
Deles eu luto até o fim,
Para salvar da vergonha e da escravidão:
Mas todo o meu coração está acima,
Meus joelhos estão dobrados na cripta e no santuário:
Eu nunca senti o beijo do amor,
Nem a mão da donzela na minha.
Mais aspectos generosos em mim, feixe,
Meus transportes mais poderosos movem-se e emocionam
Portanto, seja justo através da fé e da oração
Um coração virgem em trabalho e vontade.

À esquerda e acima estão as ilustrações de Edmund H. Garrett para Frances Nimmo Greene & # 8217s 1901 Lendas do Rei Arthur e sua corte. A aparência juvenil de Galahad é comum nas ilustrações desse período: compare com Chapman abaixo.

Algum dia em montanhas solitárias
Eu acho uma casca mágica
Eu pulo a bordo: nenhum timoneiro dirige:
Eu flutuo até que tudo esteja escuro.
Um som suave, uma luz terrível!
Três anjos carregam o Santo Graal:
Com pés dobrados, em estolas brancas,
Em asas adormecidas, eles navegam.
Ah, visão abençoada! sangue de Deus!
Meu espírito bate suas barras mortais,
Enquanto as marés escuras caem, a glória desliza,
E como uma estrela se mistura com as estrelas.

Quando no meu bom carregador suportado
Eu vou por Thro & # 8217 cidades dos sonhos,
O galo canta antes da manhã de Natal,
As ruas estão cheias de neve.
A tempestade estala nas chumbo,
E, tocando, vem da marca e da correspondência
Mas sobre o escuro, uma glória se espalha,
E doura o granizo impetuoso.
Eu saio da planície, eu subo a altura
Nenhum abrigo com arbustos ramificados produz
Mas formas abençoadas em tempestades assobiadoras
Voe o & # 8217er pântanos e campos ventosos.

A pintura acima é Sir Galahad, pintado pelo artista britânico Arthur Hughes (1832-1915) c. 1865-1870 a parte de trás da pintura está inscrita com versos do poema de Tennyson & # 8217s.

Um cavaleiro solteira & # 8212 para mim é dado
Que esperança, não conheço medo
Eu anseio por respirar os ares do céu
Isso costuma me encontrar aqui.
Eu medito na alegria que não cessará,
Espaços puros revestidos de vigas vivas,
Lírios puros de paz eterna,
Cujos odores assombram meus sonhos
E, atingido pela mão de um anjo,
Esta armadura mortal que eu visto,
Este peso e tamanho, este coração e olhos,
São touch & # 8217d, são girados & # 8217d para o ar mais fino.

As nuvens estão quebradas no céu,
E através das paredes da montanha
Uma harmonia de órgão ondulante
Incha, sacode e cai.
Em seguida, mova as árvores, os policiais acenam com a cabeça,
Asas se agitam, as vozes pairam claras:
& # 8220O justo e fiel cavaleiro de Deus!
Continue andando! o prêmio está próximo. & # 8221
Então, passo por albergue, salão e granja
Pela ponte e pelo vau, pelo parque e pela praça,
Todos os braços & # 8217d eu monto, o que quer que seja,
Até eu encontrar o Santo Graal.

A pintura à direita é & quotSir Galahad, & quot do artista britânico George Frederick Watts (1817-1904)

Henry Albert Harper era jornalista e funcionário público. Ele nasceu em Cookstown, Ontário, em 1873. Ele era amigo de William Lyon Mackenzie King e acabou trabalhando para King no Diário do Trabalho.

Em 6 de dezembro de 1901, Harper pulou no rio Ottawa em uma tentativa vã de salvar a vida de Bessie Blair, que havia caído no gelo. Ele e Blair morreram afogados. Harper e King gostavam da poesia arturiana de Tennyson e # 8217, e uma tradição diz que Harper citou Galahad antes de pular no rio em sua tentativa de salvar Blair. King encomendou a escultura de Galahad para homenagear seu amigo. Foi obra de Ernest Keyser e foi revelada em Parliament Hill em 1905.

Leia a entrada do Dicionário da Biografia Canadense em Harper. É bastante sarcástico sobre o que chama de Harper & # 8217s & # 8220 idealismo primitivo & # 8221, mas dá os detalhes básicos de sua vida. Para um relato mais simpático da história da estátua, consulte o Ottawa Citizen Histórias da série em pedra.

A foto, de D. Gordon E. Robertson, foi disponibilizada por meio de uma licença Creative Commons.


Graal Legends (Galahad e tradição # 8217s)

Conforme declarado anteriormente na Tradição de Perceval & # 8217s, existem dois heróis principais do Graal, Perceval e Galahad. Aqui, agora nos concentramos no novo herói, Galahad. Embora Perceval ainda desempenhe um papel ativo nesta história.

Depois de Robert de Boron, as próximas fases importantes do romance do Graal foram o Ciclo da Vulgata ou prosa Lancelot (as vezes chamado Lancelot-Graal ciclo). o Ciclo Vulgate composto principalmente de três livros, escritos em francês antigo (entre 1225-1237), possivelmente por três autores diferentes, mas desconhecidos. O meio dos três livros foi chamado Queste del Saint Graal (& # 8220A busca do Santo Graal & # 8221).

Eu confiei muito neste trabalho, publicado pela Penguin Classics (traduzido por P. M. Matarasso), sob o título de & # 8220A busca do Santo Graal & # 8221.

O único outro autor que conheço, que usou Galahad como o principal herói do Graal, foi Sir Thomas Malory. Malory escreveu a grande prosa do inglês médio, chamada Le Morte d & # 8217Arthur (c. 1470), publicado na edição de Caxton em 1485. Esta obra começou com o nascimento de Arthur, até sua morte no último livro.

A história do Graal de Malory não começa até o Livro XIII. A história terminou no Livro XVII, com a morte de Galahad e Perceval. Sir Bors voltou para Camelot. Histórias relacionadas sobre o Graal, como como o Rei Pescador (Rei Pellam) foi mutilado, podem ser encontradas no Livro II, capítulo 11, 14-16 (ver Balin ou Cavaleiro com Duas Espadas na Lenda de Excalibur). Como Elaine, filha do Rei Pelles, seduziu Lancelot e o nascimento de Galahad, no Livro XI, capítulo 1-10 (Ver Lancelot e Elaine em Lancelot du Lac).

Desde o Ciclo Vulgate e a história do Graal de Malory e # 8217 são semelhantes, decidi me concentrar apenas em Queste del Saint Graal (Ciclo Vulgate), porque acredito que esta é a melhor versão.

Genealogia: Casa de Lancelot (versão Vulgata / Pós-Vulgata)

A busca do Santo Graal foi chamado de & # 8220Queste del Saint Graal& # 8220. Foi escrito no francês antigo e faz parte do ciclo conhecido como Ciclo da Vulgata ou o Prosa lancelot (c. 1230). Os outros manuscritos da Vulgata foram Lancelot e La Mort le Roi Artu (& # 8220A morte do Rei Arthur & # 8221).

De todos os romances do Graal, Queste del Saint Graal, era o mais ascético em perspectiva. A história deu muita ênfase à virgindade e castidade, aos pecados e ao arrependimento. Ganhar o Graal envolveu mais do que apenas cavalheirismo, justas e lutas. Era para ser buscado no plano espiritual.

Pela manhã, Lancelot e seus primos voltaram a Camelot para a festa de Pentecostes. Lancelot descobriu uma nova inscrição no Cerco perigoso. A inscrição diz que 450 anos após a ressurreição de Jesus e # 8217, o verdadeiro cavaleiro do Graal se sentaria neste assento neste mesmo dia.

Arthur e seus cavaleiros descobriram outra nova maravilha. Uma grande laje de mármore havia flutuado rio abaixo. No centro da pedra havia uma espada, com uma inscrição, dizendo que apenas o maior cavaleiro poderia sacar a espada. Arthur pensou que a espada era destinada a Lancelot e pediu-lhe que pegasse a espada. Lancelot recusou, porque ele não acredita que a espada estava destinada a ser empunhada por ele. Então Arthur ordenou que Gawain pegasse a espada. Relutantemente, Gawain tentou sacar a espada, mas não conseguiu nem mesmo movê-la.

Lancelot disse a Gawain que ele era um tolo ao tentar desembainhar a espada. Lancelot predisse que seria ferido por quem quer que empunhasse esta espada. (Veja Pai e Filho, como Galahad feriu Gawain com esta espada.)

Retornando à corte do Rei Arthur & # 8217, o rei e seus cavaleiros sentaram-se em seus assentos ao redor da Távola Redonda. Um velho chegou e conduziu um novo cavaleiro, que Lancelot tinha feito cavaleiro ontem, para o Cerco perigoso. O jovem cavaleiro sentou-se sem problemas. O velho anunciou que a busca pelo Graal começou, antes de partir.

Quando todos estavam sentados, o Graal chegou, carregado por anjos. Todos os cavaleiros tiveram a visão do Graal e todos puderam comer a comida do Graal. Depois disso, o Graal desapareceu sem deixar vestígios.

Arthur descobriu que o novo cavaleiro se chamava Galahad. Sua esposa e rainha, Guinevere, sabia que Galahad era filho de Lancelot e Elaine, filha do rei Pelles. Galahad recusou-se a admitir qualquer relação com Lancelot.

Antes de os cavaleiros iniciarem a busca na manhã seguinte, Galahad estava sem espada ou escudo. Arthur relembrando a incidência de ontem, levou Galahad até o rio, e mostrou ao jovem, a espada alojada na laje de pedra. Galahad facilmente tirou a espada do mármore. Arthur disse a Galahad que não precisava de um escudo. Arthur tinha certeza de que Deus forneceria um escudo a Galahad durante a busca.

Galahad é apresentado ao Tribunal Arthur & # 8217s
Walter Crane
Ilustração

Galahad sacou a espada da pedra flutuante
Arthur Rackham
Ilustração

O Cavaleiro Branco apareceu e disse ao herói, por que Baudemagus pecou por levar o escudo e a história do escudo. O escudo pertencera ao rei Evalach de Sarras, que foi usado na época de sua guerra contra o rei egípcio Tholomer. Evalach mudou seu nome para Mordrain, quando ele aceitou o Cristianismo como sua religião e foi batizado com seu cunhado, Nascien, que antes era conhecido como Seraphe. (Veja Morte de Josefo e Nascien sobre o escudo de Mordrain.)

Quando Josefo, filho de José de Arimatéia, estava em seu leito de morte, ele teve um sangramento nasal. Usando seu sangue, ele pintou a cruz no escudo branco de Evalach, para que o rei sempre se lembrasse dele. Com a morte de seu cunhado, Nascien, Evalach colocou o escudo onde enterraram Nascien. Uma abadia foi construída onde Nascien foi enterrado. Nenhum homem pode tirar o escudo da abadia sem ser ferido. Foi profetizado que Galahad, descendente de Nascien, receberia o escudo, 420 anos após a crucificação e ressurreição de Jesus. Foi até profetizado que Galahad receberia o escudo cinco dias depois de ser apelidado de cavaleiro. (Veja Morte de Josefo e Nascien na Origem do Graal.)

Como Galahad deixou Baudemagus na abadia para continuar em sua busca, Melias queria acompanhá-lo e ser nomeado cavaleiro por Galahad. Galahad concordou. Como Galahad e Melias viajavam juntos, eles decidiram se separar quando chegaram a uma bifurcação na estrada. Uma placa na estrada diz que apenas o maior cavaleiro do mundo deve seguir pela estrada da esquerda. O caminho certo provavelmente levaria à morte certa. Melias convenceu Galahad a deixá-lo seguir pela estrada da esquerda. Mesmo sendo recém-nomeado cavaleiro, Melias já tinha presunção de suas próprias proezas.

Enquanto Melias viajava sozinha, ele viu uma bela coroa de ouro no arbusto de espinhos. A ganância e a cobiça o levaram à queda. Melias recebeu a coroa e foi imediatamente atacado por um cavaleiro. O cavaleiro empalou Melias em seu flanco. Quando Galahad foi atrás de Melias, ele ficou angustiado ao encontrar seu companheiro gravemente ferido. Melias pediu a Galahad que o levasse a uma abadia onde ele pudesse se arrepender de seus pecados antes de morrer. No entanto, dois cavaleiros apareceram, o que havia ferido Melias, atacou Galahad. Galahad feriu o primeiro cavaleiro no ombro com sua lança. O segundo cavaleiro perdeu sua mão quando Galahad a cortou com sua espada.

Galahad levou o ferido Melias para uma abadia. Depois de cuidar da ferida de Melias & # 8217, o monge viu que ele viveria. O monge repreendeu Melias por seu orgulho (confiando em suas próprias proezas e não em Jesus).

O monge informou que na busca pelo Santo Graal, um cavaleiro deve confiar menos na ordem temporal (como destreza nas armas) e mais na ordem espiritual. Essa era a única maneira de entender os segredos do Graal. A única razão pela qual Melias sobreviveu à morte foi que ele se recomendou a Deus (cruzando ou abençoando a si mesmo) antes de enfrentar o cavaleiro que o feriu.

(Observe que a cruz vermelha no escudo branco, tem um equivalente histórico, a dos Cavaleiros Templários, uma ordem dos Cruzados que começou em 1128, após a Primeira Cruzada, e terminou em polêmica em 1314. O nome próprio dessa ordem era Cavaleiros do Templo de Salomão em Jerusalém. Os templários usavam túnicas e carregavam escudos brancos com o brasão da cruz vermelha.

O Arme e a Partida dos Cavaleiros
Sir Edward Burne-Jones
Tapeçaria, 1895-96
Museu e Galeria de Arte de Birmingham

Galahad derrotou os sete irmãos. Quando eles descobriram que não podiam superar Galahad pela força absoluta do número, eles fugiram do castelo. Galahad libertou as donzelas dos sete irmãos malvados.

O costume surgiu há cerca de dez anos, quando os sete irmãos tentaram levar a filha do duque Lynor & # 8217 à força. Eles capturaram o castelo por meio de traição. A filha do duque predisse que um único cavaleiro derrotaria os sete irmãos por causa de uma donzela. Esta predição irritou os sete irmãos, eles estavam determinados a capturar qualquer donzela que encontrassem, e matar qualquer cavaleiro que viesse antes do castelo, razão pela qual esta fortaleza foi chamada de Castelo das Donzelas.

Lancelot e Perceval, que nunca encontraram um cavaleiro, se perguntaram quem poderia derrotar tão facilmente dois grandes cavaleiros que Lancelot queria seguir o cavaleiro que eles não reconheceram (Galahad). Mas depois de um dia de viagem, Perceval começou a se cansar e queria descansar. Lancelot se recusou a descansar, então ele deixou Parsifal para trás para perseguir o cavaleiro.

Quando Lancelot finalmente descansou durante a noite, ele dormiu do lado de fora de uma igreja abandonada. Lancelot havia tirado toda a armadura enquanto dormia. Naquela manhã, Lancelot foi acordado pela chegada de um cavaleiro ferido em uma liteira e seu escudeiro. Então Lancelot testemunhou uma visão do Graal diante do cavaleiro ferido e o curou. Embora Lancelot estivesse acordado, ele ficou lá mudo e incapaz de se mover. O cavaleiro e o escudeiro descobrindo que ele não se mexia, o escudeiro roubou a armadura, a arma e o cavalo de Lancelot e deu-os ao seu senhor.

Foi só quando os dois partiram que Lancelot conseguiu se mover e falar. Lancelot lamentou que seus pecados o impediram de se mover ou falar quando viu o incidente com o Graal e o cavaleiro ferido. Seu pecado foi o adultério com a rainha Guinevere.

Quando Lancelot encontrou um padre em uma pequena capela, o padre disse a ele o motivo pelo qual ele não poderia realizar essa busca. Apesar de ter sido o maior cavaleiro antes da chegada de seu filho, Sir Galahad, era seu adultério com a Rainha Guinevere que ele nunca entenderia os segredos do Graal. Foi o poder de Deus que deixou Lancelot mudo quando o Graal apareceu diante dele.

Perceval foi à missa em uma das capelas e testemunhou um velho usando uma coroa. Perceval descobriu que o velho era o Rei Mordrain (Evalach), ele tinha vivido por mais de quatrocentos anos, cego e com uma ferida que nunca cicatrizou. Quando ele saiu da capela, ele encontrou alguns bandidos que o atacaram. Perceval perdeu seu cavalo na luta. Perceval foi salvo pela chegada de Galahad, que ajudou a derrotar os bandidos antes de partir.

Perceval queria seguir seu salvador, mas ele não tinha nenhum cavalo para perseguir o cavaleiro anônimo (Galahad). Perceval ficou angustiado por fazer quase qualquer coisa pelos cavalos.

Naquela noite, Perceval conheceu uma donzela que estava disposta a dar seu cavalo a ele, em troca de uma bênção. Perceval concordou. A donzela tinha um grande cavalo de guerra preto, que quando olhou o cavalo nos olhos, Perceval ficou de repente com medo do cavalo. Seu instinto deveria tê-lo avisado que algo não estava certo sobre o cavalo. Mesmo assim, ele montou no cavalo e tentou rastrear o cavaleiro com o escudo branco.

No entanto, o herói perdeu o controle do cavalo. O cavalo galopou pela floresta com abandono selvagem, indo em direção ao rio. Perceval foi salvo apenas quando se benzeu. O cavalo era na verdade um demônio que o jogou fora de suas costas, antes de mergulhar na água. Perceval percebeu que foi enganado pelo demônio em forma de cavalo. Perceval teria se afogado se tivesse caído na água, enquanto usava armadura completa.

Perceval agradeceu a Deus por protegê-lo, mas ficou angustiado por não saber para qual ilha o cavalo-demônio o havia levado. Em seguida, Perceval pensou que foi salvo quando um navio para a ilha. Perceval encontrou uma das mais mulheres que já viu. Perceval gostou de sua hospitalidade. A mulher tentou seduzir Perceval a fazer sexo com ela. No entanto, quando Perceval se recomendou a Deus, ao fazer o sinal da cruz, a mulher, seus servos e o navio em que ela chegou haviam desaparecido.

Outro navio chegou pela manhã. A bordo estava um padre. Quando Perceval contou ao padre tudo o que havia acontecido com ele, o padre explicou por que Satanás havia enviado esses demônios para ele. Satanás esperava que Perceval cometesse um pecado mortal, então ele falharia na busca pelo Graal.

Lancelot conheceu um eremita, que estava cuidando de seu amigo morto (um homem santo). O eremita aprendeu com Satanás que a alma de seu companheiro foi salva. O eremita pediu a Lancelot que vestisse a camisa de cabelo de seu companheiro morto & # 8217 como marca de penitência. Lancelot aprendeu com o eremita que não conseguiria obter os segredos do Graal. Este eremita também disse a ele por que ele nunca poderia testemunhar o resultado final da busca (por causa de seu pecado & # 8211 adultério).

Lancelot então assumiu o compromisso, como cristão e cavaleiro da Távola Redonda, de permanecer casto pelo resto de sua vida. Quando ele deixou o eremita, ele teve uma visão de dois cavaleiros e sete reis. Lancelot era descendente de Nascien, cunhado do Rei Mordrain. Do filho de Nascien & # 8217s, houve uma linha real de sete reis, até o Rei Ban. O cavaleiro mais velho era Lancelot, enquanto o mais jovem era seu filho Galahad. Galahad foi transformado em leão, simbolizando o que o diferenciava de todos os outros cavaleiros.

Quando Lancelot deixou o eremita, ele entrou no torneio que foi disputado entre cavaleiros brancos e negros.Embora os cavaleiros negros tivessem vantagem numérica, eles estavam perdendo. Lancelot achava que deveria ajudar aqueles que estavam perdendo. Na justa, ele foi desmontado e capturado como prisioneiro. Quando ele concordou em fazer o que seu captor (cavaleiro branco) queria, ele foi liberado.

O torneio teve um significado mais significativo. Quando ele conheceu uma mulher, ela explicou a ele que os cavaleiros negros simbolizavam os cavaleiros que pecaram, enquanto os cavaleiros brancos eram verdadeiros cavaleiros de Deus. Mais uma vez, Lancelot fez um julgamento errado.

Poucos dias depois, eles encontraram um cavaleiro. Nenhum dos lados se conhecia. Eles se desafiaram e se enfrentaram. Gawain desmontou e feriu mortalmente o outro cavaleiro. Quando o cavaleiro moribundo revelou que era Sir Yvain, o Bastardo, Gawain e Hector ficaram horrorizados por Gawain ter matado seu amigo e companheiro cavaleiro da Távola Redonda.

Depois de enterrar seu amigo, Gawain e Hector continuaram em sua busca. Quando encontraram um eremita, pediram sua sabedoria. Eles procuraram interpretar seus sonhos estranhos e perturbadores e encontraram um eremita que explicou o significado das visões. O eremita advertiu Gawain de que a busca pelo Graal não deveria ser buscada nos planos e glórias terrestres, mas por meio da iluminação e sublimação espiritual. Através da confissão e arrependimento de seus pecados, era a única chance que eles tinham de ter até mesmo um pequeno sucesso nesta busca.

O eremita disse que o melhor para eles, era desistir da busca e voltar para Camelot, caso contrário as consequências seriam muito altas. Gawain ignorou os avisos do eremita & # 8217s, em sua busca por aventuras e glórias cavalheirescas.

Bors havia defendido a senhora de ser deserdada pela irmã mais velha. A irmã mais velha havia tomado a maior parte de suas terras na guerra. Bors desafiou e derrotou o campeão da irmã mais velha & # 8217s chamado Priadan, o Negro, em combate.

Bors voltou à busca, mas naquela noite teve dois sonhos enigmáticos.

No dia seguinte, ele viu seu irmão Lionel, sendo levado por dois captores. Aparentemente, ele havia sido abusado e severamente açoitado por seus inimigos. Antes que ele pudesse resgatar seu irmão. Uma donzela gritou por sua ajuda. Seu primo a sequestrou e foi condenado a estuprá-la.

Bors sofria de uma indecisão agonizante. Ele deve ajudar seu irmão a ser morto ou a donzela de resgate de ser estuprada. Bors decidiu que sua honra de cavaleiro exigia que ele resgatasse a donzela. Bors derrotou facilmente o suposto estuprador e acompanhou a garota até a família que a estava procurando.

Então Bors procurou salvar seu irmão. Imediatamente ele encontrou outro eremita. Ele descobriu tarde demais, que seu irmão havia sido morto. Quando ele estava carregando seu irmão para um castelo próximo, para o enterro, ele pensou que o corpo de Lionel parecia estranhamente quase sem peso. Quando ele encontrou outro eremita, ele recebeu interpretações estranhas de suas visões. Este estranho eremita disse a ele que ele deveria ter salvado seu próprio irmão primeiro, em vez de resgatar a donzela.

No castelo, a senhora foi até Bors, pedindo-lhe para ser seu amante. Bors ficou chocado com as palavras dela. Bors se recusou a retribuir o amor dela. A senhora e seus companheiros ameaçaram que se jogassem por cima da muralha do castelo se ele não se tornasse seu amante, mesmo assim Bors recusou seu pedido. Quando eles saltaram em direção à morte, Bors benzeu-se. Imediatamente a torre, a senhora e seus servos desapareceram. Bors percebeu que os demônios estavam tentando induzi-lo a cometer pecados mortais.

Até o corpo de Lionel havia desaparecido com os outros demônios. Bors percebeu que seu irmão ainda estava vivo. Bors deixou imediatamente o local. Bors encontrou uma capela próxima. Lá ele consultou o padre sobre suas experiências e visões recentes. O monge deu toda a interpretação correta de suas experiências e sonhos. Ele também lhe assegurou que seu irmão ainda estava vivo, e ele se comportou corretamente ao salvar a donzela de ser estuprada. Suas visões estavam relacionadas às duas experiências recentes. Os demônios na torre esperavam que a morte de seu irmão o fizesse cair em desespero e se permitiu cometer um pecado ao se tornar o amante da senhora.

No dia seguinte, Bors saiu e conheceu seu irmão. Lionel estava furioso porque seu irmão iria salvar a donzela e não ele. Ele desafiou Bors a lutar com ele, mas Bors se recusou a lutar. Lionel imediatamente atacou Bors, que não quis se defender. Lionel ignorou todos os apelos de seu irmão de que faria uma emenda. Lionel teria matado seu irmão se o monge, que havia sido o hospedeiro de Bors & # 8217, se jogasse antes do golpe de espada e o monge fosse morto.

Calogrenant, outro cavaleiro na missão, chegou a tempo de salvar Bors. No entanto, ele não era páreo para Lionel. Calogrenant também foi morto. Quando Bors desembainhou a espada para se defender, uma voz o impediu de desferir um golpe em Lionel. Uma bola de fogo atingiu o escudo de Lionel & # 8217s. Lionel saiu ileso, mas perdeu a consciência.

Sir Bors
(Dilema entre salvar uma donzela ou seu irmão)

Quando Galahad chegou a um eremitério, uma donzela veio até ele, pedindo-lhe que a seguisse. Ela trouxe Galahad para a costa onde ele conheceu dois cavaleiros. Perceval e Bors saudaram Galahad calorosamente.

Um navio misterioso chegou, sem um único tripulante a bordo. Havia uma inscrição escrita na lateral do navio, afirmando que nenhum homem sem forte fé em Deus e Jesus seria capaz de embarcar.

A donzela disse a Perceval que ela era sua irmã, filha do Rei Pellehen (Pellinore). Embora seu nome não seja mencionado nesta história, ela era geralmente conhecida como Dindraine ou Dindrane em algumas versões. Sua irmã disse a ele que temia por sua vida, se a fé de Persival em Deus fosse fraca. Mas Perveval disse a ela que sua fé era forte e embarcou no navio com seus outros companheiros.

Dentro do navio eles encontraram uma cama grande e bonita, que era cercada por três postes de madeira. (Veja O navio e a árvore para a história do navio, a cama e os três postes de madeira).

Na cama estava uma espada estranha, com a lâmina de um palmo tirada da bainha. A espada tinha inscrições na bainha, punho e lâmina, que foram escritas na forma de profecias.

A donzela conhecia a história da espada e as profecias que se cumpriram a respeito da espada. Uma das histórias é como o Golpe Doloroso que o Rei Varlan usou na espada contra o Rei Lambor, avô do Rei Pelles. Valan havia encontrado esta espada a bordo do navio. Quando Varlan matou Lambor com esta espada, ele fez com que o reino do Rei do Graal se tornasse a Terra Deserta.

(De acordo com Suite du Merlin (Pós-Vulgata) e Thomas Malory & # 8217s Morte d & # 8217Arthur, foi Balin que causou o Desperdício com Golpe Doloroso. Mas Balin tinha usado a Lança Sangrenta contra Pellehan ou Pellam, pai de Pelles, em vez da espada. Veja Balin na Lenda de Excalibur.)

Algumas das profecias sobre as espadas já haviam se cumprido. Apenas algumas profecias deveriam ser cumpridas naquele dia.

A primeira profecia era que apenas um cavaleiro poderia segurar a espada corretamente. Dos três cavaleiros do Graal, apenas Galahad foi capaz de circundar o punho com a mão.

A segunda profecia diz que uma donzela de nascimento real e uma virgem deve substituir o cinto existente por um novo, antes que Galahad possa usar a espada ao seu lado.

A irmã de Perceval substituiu o cinturão da espada de cânhamo, pelo cinto que ela fez com fios de ouro fino, seda e seu próprio cabelo dourado, cravejado de pedras preciosas. Galahad pegou a espada, desembainhou a lâmina e admirou o excelente artesanato, antes de devolver a espada à bainha.

A donzela do Graal disse aos heróis que a espada era chamada de Espada do Cinto Estranho ou Espada das Correias Estranhas, enquanto a bainha era chamada de Memória do Sangue.

Galahad e seus companheiros derrotaram facilmente os cavaleiros à noite, defendendo a irmã de Persival e # 8217. Mas quando a irmã de Parsifal soube por que esse costume era praticado, ela de boa vontade deu a eles o prato cheio de seu sangue virgem. No entanto, isso causaria a morte da donzela.

Morrendo, a irmã de Perceval pediu ao irmão e aos outros companheiros que não a enterrassem aqui. Ela os instruiu a colocar seu corpo em um barco, permitindo que o barco ficasse à deriva. Ela sabia que mais tarde eles encontrariam seu corpo em Sarras. Ela pediu que enterrassem seu corpo em Sarras, porque sabia que esta era a cidade em que Galahad e seu irmão seriam enterrados ao lado dela.

A irmã de Perceval morreu logo. A senhora do castelo foi banhada no sangue virgem e foi milagrosamente curada. Galahad e seus companheiros começaram imediatamente a dar as instruções dela. Eles colocaram o corpo dela em um barco e o deixaram à deriva.

Lancelot, que esperou à beira do rio por semanas, foi avisado por uma voz para embarcar no primeiro barco que encontrou. Quando Lancelot o barco, ele encontrou o corpo da donzela. Lancelot encontrou a nota de que Perceval havia deixado o corpo de sua irmã. Lancelot soube de sua aventura e como a irmã de Perceval havia morrido.

Lancelot passa a maior parte do tempo rezando no barco, até que Galahad encontrou o barco. Surpreso ao conhecer seu pai. Eles passam o tempo juntos, falando sobre suas vidas e suas aventuras. Depois de passado meio ano, um cavaleiro branco chegou com uma montaria sobressalente para Galahad. Ele os informou que era hora de se separar.

Lancelot permaneceu no barco, até que pousou no Castelo Corbenic (Graal). Lá, Lancelot teve uma visão parcial do Graal. Quando Lancelot desejou ver mais, o Espírito Santo o abateu. Ele ficou atordoado por vinte e quatro dias, sem ser capaz de falar ou se mover.

Quando Lancelot recuperou os sentidos, o rei Pelles descobriu quem era seu paciente e convidou Lancelot para sua corte. Lancelot passou cinco dias como convidado com Pelles. Então Lancelot voltou ao reino de Logres.

Em sua viagem para Camelot, Lancelot ficou na abadia, onde encontrou seu amigo, o rei Baudemagus de Gorre, foi enterrado. A elegia diz que Gawain matou Baudemagus, porque nenhum dos cavaleiros reconhece o outro.

Galahad viajou por toda a Grã-Bretanha. Galahad realizou muitos milagres em sua jornada. Ele baniu demônios e curou doenças.

Galahad então se deparou com uma abadia da qual Perceval uma vez assistiu à missa, no início de sua aventura (ver Peregrinações de Perceval). Lá, Galahad conheceu o antigo rei cego. Ele confortou o rei Mordrain, curando sua cegueira, antes que o antigo rei morresse em seus braços.

Galahad também foi a uma abadia em Gorre, onde encontrou os túmulos do rei Galahad de Hosselice (País de Gales) e Simeão. Por meio de um milagre, ele apagou o fogo que cercava a tumba de Simeão, simplesmente caminhando em direção à tumba.

Elyezer trouxe a Espada Quebrada, para os três companheiros, apenas Galahad foi capaz de restaurar a espada, juntando as duas peças. Eles deram a espada a Bors. (Gawain já havia falhado em consertar esta espada quando conheceu Elyezer. Veja Gawain em Corbenic na página de Lancelot.)

Nove outros cavaleiros chegaram da Gália, Irlanda e Dinamarca. Eles se juntaram a Galahad e seus amigos na mesa do Graal. Josefo, filho de José de Arimatéia, apareceu magicamente com as roupas de bispo diante dos cavaleiros sentados. Josefo trouxe o Graal e a Lança Sangrenta com ele. Josefo informou aos cavaleiros que eles foram recompensados ​​por sua piedade e fé, antes que o santo desaparecesse.

Jesus então chegou e veio antes deles. Ele permitiu que os doze cavaleiros partilhassem da comida do prato que foi usado na Última Ceia para servir o cordeiro pascal.

Jesus instruiu Galahad que ele deveria retornar ao navio onde recebeu a Espada com Cinto Estranho e levar o Graal de Logres (Grã-Bretanha), para o palácio espiritual na cidade de Sarras. Sarras era a capital espiritual do Rei Mordrain (Evalach). Antigamente, era uma cidade sarracena, mas José e seu Josefo converteram o rei, sua família e toda a cidade. Ele havia revertido para o paganismo quando o rei não voltou para casa da Grã-Bretanha. Veja a História do Graal da Vulgata.

Jesus permitiu que Galahad levasse Parsifal e Bors nesta jornada. Ao retirar o Graal da Grã-Bretanha, ele estava removendo a graça de Deus dos britânicos que não mantiveram a fé. (Essa ação levaria à destruição de Logres e à morte de Arthur, na próxima seção: A Morte do Rei Arthur, também chamada de Mort le Roi Artu no Ciclo da Vulgata.)

Antes de partir, Jesus instruiu Galahad a curar o Rei Mutilado (Parlan). Tirando um pouco do sangue da lança, Galahad ungiu a perna do Rei Mutilado & # 8217s. Imediatamente, a velha ferida que o rei havia recebido foi finalmente curada.

A busca pelo Santo Graal (Sir Galahad no Santuário do Santo Graal)
Elizabeth Siddal
Aquarela, 1855-1857
Coleção privada

Antes do navio, Galahad passava grande parte do tempo orando. Ele estava pedindo que sua morte fosse logo. Jesus satisfez seu desejo. Perceval ouvindo a oração de Galahad & # 8217s ficou um pouco chateado, até que Galahad explicou a seu amigo a maravilha que vira no Graal.

Ao chegar em Sarras, uma voz disse-lhes para levar o Graal ao palácio espiritual, eles viram que o barco que carregava o corpo da irmã de Persival & # 8217 havia chegado. Eles carregaram a mesa para a cidade. Galahad estava achando a mesa muito pesada para carregar, então pediu a um aleijado que o ajudasse a carregá-la para o palácio. O milagroso aleijado levantou-se para ajudar Galahad. As multidões ficaram maravilhadas com o milagre e os seguiram até o palácio.

Depois de colocar o Graal dentro do palácio, os três companheiros imediatamente voltaram para a casca (barco) e trouxeram o corpo da irmã de Parsifal & # 8217 para o palácio, enterrando a menina na tumba.

O rei Escorant, sabendo da chegada deles, convocou os cavaleiros do Graal antes deles, perguntando sobre a natureza de sua visita. Embora, eles lhes contassem a verdade, mas o rei não acreditou neles. Enquanto eles se desarmavam, os homens de Escorant & # 8217s imediatamente os apreenderam e prenderam.

Eles passaram um ano na prisão, até que Escorant adoeceu gravemente e percebeu seus erros ao prender os três cavaleiros. Escorant libertou os cavaleiros e os convocou antes dele. O rei pediu perdão, que eles prontamente deram. Escorant então morreu.

O povo de Sarras estava sem rei, então eles nomearam Galahad como seu rei, porque viram o milagre que ele realizou ao curar um aleijado. Relutantemente, Galahad aceitou a realeza de Sarras. Então Galahad herdou o reino que Mordrain governou.

Após um ano de governo, Galahad orava diariamente pela libertação de sua vida mortal. Josefo veio antes dele, pediu a Galahad que olhasse profundamente no Graal e testemunhou o segredo final do Graal. Suas orações foram atendidas. Galahad então se despediu de Perceval e Bors, pedindo a este último que cumprimentasse seu pai por ele.

Momentos depois, ao prostrar-se diante do altar, Galahad caiu morto. Seus amigos puderam realmente ver que sua alma foi levada para o céu. Eles também viram duas mãos aparecendo diante deles, levando o Santo Graal e a Lança Sangrenta para o céu, para nunca mais serem vistas neste mundo.

Depois de enterrar Galahad com a irmã de Perceval & # 8217s, Perceval decidiu se tornar um eremita, morando nos arredores da cidade, dedicando o resto de sua vida a Deus. Bors ficou com ele, ainda usando sua roupa secular.

Um ano após a morte de Galahad & # 8217s, Perceval morreu. Bors enterrou Perceval com a irmã de Perceval & # 8217s e Galahad. Vendo que a busca finalmente havia chegado ao fim, ele retornou à sua vida secular e retornou ao reino de Logres.

Bors voltou a Camelot e contou a Arthur e aos Cavaleiros da Távola Redonda sua aventura. Bors também cumprimentou Lancelot por Galahad e contou a seu primo sobre os últimos dias de seu filho.

Então acabou o Queste del Saint Graal.

Os três bons cavaleiros em Sarras
William Morris
Tapeçaria, 1870
Museu e Galeria de Arte de Birmingham


Santo Graal de Hollywood e # 8217

Hollywood não fez apenas um filme sobre o lendário Rei Pescador medieval, governante do T.S. Eliot e rsquos desolado, desolado Waste Land, descaradamente intitulou-o O rei pescador, convidando assim a comparação com uma das principais obras literárias do século 20 e por inferência com algumas das maiores realizações do espírito religioso. Robin Williams e Jeff Bridges, as estrelas do filme, podem normalmente não ser considerados tão preocupados com as lendas medievais do Santo Graal, mas Terry Gilliam, o diretor do filme, disse sobre o cinema, & ldquoO meio é tão poderoso que deveria ser usado para a iluminação. & rdquo Ele acrescenta, com pouca reticência, que seu Rei pescador é sobre & ldquolove, compreensão e redenção. & rdquo Esta mensagem foi recebida com aparente entusiasmo pelo júri do Festival de Cinema de Veneza, que concedeu ao filme um grande prêmio. Mas, uma vez que o título é apenas fracamente explicado no filme, e ninguém no filme chega perto de um peixe, muitos cinéfilos terão apenas a noção mais vaga de quem é o Rei Pescador.

No filme, o personagem interpretado por Robin Williams, um louco mas adorável morador de rua e ex-professor de história medieval no Hunter College de Nova York chamado Henry Sagan, escreveu um manuscrito, O Rei Pescador, uma jornada mítica para o homem moderno. Não recebemos detalhes desse trabalho erudito, mas mais tarde, em diálogo, Sagan reconta sua versão do conto, segundo a qual o Rei Pescador tem uma visão e é informado que será o guardião do Santo Graal & mdash o cálice do qual Jesus bebeu na Última Ceia & mdash & ldquoso que curará os corações dos homens. & rdquo O Rei cai em tempos maus, recebe uma ferida profunda, perde a fé, até mesmo em si mesmo, e começa a morrer. Em seguida, um menino, um & ldquofool & rdquo, lhe dá água para beber. A ferida do Rei Pescador é instantaneamente curada e ele vê o Santo Graal. Quando o rei pergunta ao menino como ele foi capaz de curá-lo, quando todos os seus sábios não conseguiram, o menino explica: "Eu só sabia que você estava com sede." Temos aqui, obviamente, uma versão totalmente secularizada da lenda do Graal. Sua chave é a compaixão. Se os corações dos homens fossem novamente compassivos, tudo ficaria bem.

Na lenda medieval variada, mas onipresente, da busca pelo Santo Graal, o Rei Pescador governa uma Terra Deserta que permanece estéril, por causa de algum erro grave que só pode ser corrigido por um herói inocente e às vezes relutante & mdashGalahad em algumas versões, Percival em outros. De acordo com Jessie L. Weston & rsquos Do Ritual ao Romance& mdashacknowledged por T.S. Eliot como fonte do título, plano e muito do simbolismo de seu A terra do desperdício& mdash o profundamente simbólico Rei Pescador, às vezes velho, às vezes morto, às vezes meramente ferido, é uma criatura & ldquosemi-divina, semi-humana, posicionada entre seu povo e a terra e as forças invisíveis que controlam seu destino. & rdquo

Jessie L. Weston, deve-se notar, e com seu T.S.Eliot, encontra a origem do culto do Santo Graal não no Cristianismo, mas em antigos ritos de fertilidade pré-cristãos. Ela rejeita aqueles primeiros escritores, como Chr & eacutetien de Troyes (século 12) e Wolfram von Eschenbach (século 13, de cuja obra Wagner tirou seu Percival ou Parsifal), que pensava que o Rei Pescador devia seu nome ao gosto pela pesca. Juntando-se a Sir James Frazer de The Golden Bough, Weston identifica & ldquothe Fish & rdquo (ela usa maiúscula) como um símbolo de vida difundido entre os povos antigos. No hinduísmo, o primeiro Avatar de Vishnu, o Criador, é um peixe. Os peixes e pescadores são empregados livremente no budismo, assim como em toda a história chinesa. Os babilônios tinham um deus pescador ou deus peixe. Os primeiros cristãos, sustentaram alguns escritores, derivaram suas imagens de peixes dos hebreus, que por sua vez as emprestaram dos sírios e sumérios. De acordo com uma tradição judaica & ldquofish & rdquo, no fim do mundo o messias pegará o grande Peixe Leviatã e dividirá sua carne como alimento entre os fiéis.

Fish e Fisher, em suma, são símbolos de vida de grande antiguidade. Na cidade sombria e crepuscular de Eliot e rsquos A terra do desperdício, o poeta evoca, em contraste com a desolação espiritual do mundo moderno, uma infinidade de fragmentos do passado cultural e religioso, entre eles os símbolos mais antigos e poderosos de Fish e Fisher. & ldquoEstes fragmentos eu empurrei contra minhas ruínas. & rdquo Todos os seus outros méritos à parte, A terra do desperdício exibe uma familiaridade imponentemente erudita com a história e o significado desses & ldquofragments. & rdquo

É uma tradição antiga de Hollywood evitar tal erudição como uma praga. Também é verdade que há anos a comunidade cinematográfica de Hollywood vem se tornando um “mercado de grupo”, que tem ambições grandiosas e presume possuir soluções para muitos dos males que afligem a humanidade. Mas O rei pescador marca algum tipo de ponto de viragem. Esta não é mais a Nova Hollywood. É pós-Nova Hollywood, Hollywood que se tornou intelectualmente balística.

Nem é O rei pescador sozinho nesta temporada. Outro novo filme, Barton Fink, premiado com três prêmios importantes em outro festival de cinema de alto prestígio, em Cannes, também transcende em muito a linha de pretensão intelectual anteriormente considerada permissível em Hollywood. Mas primeiro, O rei pescador.

Jack (Jeff Bridges) é um apresentador de talk-show de rádio de Nova York arrogante, irresponsável e extremamente bem-sucedido. Nas sequências de abertura do filme, Jack pretende claramente representar tudo o que é egoísta, insensível e & ldquogreedia & rdquo sobre a América moderna. Antes de desligar, certa manhã, ele mostra sua habitual falta de coração ao responder a uma chamada repetida chamada Edwin. Edwin nunca terá a mulher que viu em um bar & ldquoyuppie & rdquo e por quem se apaixonou, diz Jack. Os yuppies são consanguíneos, apenas acasalam com sua própria espécie. Esta não é a América em que você e eu acreditamos, Edwin, diz Jack. E então, embora não siga exatamente ou faça muito sentido, Jack lança uma frase de fechamento cruel: yuppies & ldquom deve ser interrompido antes que & rsquos tarde demais! & Rdquo Edwin, o chamador, nas profundezas do desespero, vai para o bebedouro yuppie em pergunta e atira até a morte sete pessoas, em seguida, vira sua espingarda contra si mesmo. Desse episódio epifânico, causado pelo egoísta, irresponsável e insensível Jack, todo o filme depende.

Aqui O rei pescador salta três anos à frente. Jack abandonou sua brilhante carreira com um baque surdo. Ainda arrogante, agora ele está bêbado, indolente, mal-humorado, vivendo em um bairro miserável de Nova York com a amorosa e sofredora Anne (Mercedes Ruehl), que dirige uma pequena locadora de vídeo. Jack está presumivelmente arrependido, corroído pela culpa, embora seu comportamento não seja visivelmente mais generoso ou preocupado do que quando ele era o rei de programas de rádio de Nova York & rsquos & mdash até que ele encontra um estranho e maravilhoso morador de rua, Henry Sagan, agora sob o nome de Parry (Robin Williams). Parry, que vê a cidade & ldquothrough os olhos de um cavaleiro medieval & rdquo & rdquo é o filme & rsquos Fisher King, e Jack acaba por ser seu Galahad. Parry é a salvação de Jack & rsquos.

Bem, isso é original, porque tradicionalmente é Galahad quem deve curar o Rei Pescador e não o contrário. O que é o Rei Pescador & normalmente ferido, morto ou doentio & mdash fazendo curando Galahad de seu ferimento? E a trama se complica. Parece que Parry, embora seja um “morador de rua em posse”, não é um vagabundo feliz. Ele é louco. Portanto, nesta versão americana, Galahad e o Rei Pescador estão ambos feridos & mdashAmerica, suponho, sendo um lugar bastante doente. E a trama se complica ainda mais. Por que Parry é louco? Ele é louco porque, sob o nome de Henry Sagan, ele viu sua bela jovem esposa ser assassinada & mdashby Edwin, o mesmo chamador desesperado levado a matar yuppies pelo insensível apresentador de rádio Jack! Então, nesta versão americana moderna, Galahad fere o Rei Pescador antes que o Rei Pescador cure Galahad e mdas e então Galahad cura o Rei Pescador. Nós chafurdamos aqui em curas.

À medida que aprende com Parry o significado da vida e do amor verdadeiro, Jack se torna um bom ovo, ou um ovo muito melhor. Parry ensina Jack a tirar todas as roupas no Central Park à noite e & ldquocloud busto & rdquo deitado nu na grama olhando para o céu. Jack, por sua vez, começa um elaborado empreendimento compensatório para reunir Parry com a garota dos seus sonhos, Lydia (Amanda Plummer), uma espécie de Woody Allen travestido, mas ainda mais desajeitado. (Miss Plummer, Robin Williams, Jeff Bridges e Mercedes Ruehl apresentam performances vívidas e criativas.) Tudo vai mais ou menos bem até que Parry, à beira de uma grande felicidade com Lydia, tem um flashback daquele momento horrível em que sua esposa foi assassinado e ele cai em um estado catatônico.

Jack, novamente bem-sucedido, torna-se arrogante e ganancioso desde então, abandonando Anne sem coração, que amorosamente ficou com ele durante seus anos ruins - até que um produtor se propõe a fazer uma alegre comédia semanal para a televisão inspirada nas aventuras de Jack e rsquos com os sem-teto. Isso, e um encontro casual com outra pessoa de rua que conhecemos no início da história, uma drag queen homossexual com amigos morrendo de AIDS, faz Jack recuar de desgosto com a proposta venal e exploradora da televisão. Ele finalmente percebe que seu coração está com os moradores de rua e os sem-teto, os insultados e feridos de nossa sociedade. Como prova de sua renovação moral, este Galahad for Our Time rejeita a oferta sórdida da televisão e decide ficar com a amorosa e terrena Anne.

Nesse ponto, o filme retoma a história do Graal. Parece que Parry, convencido de que estava no caminho do Santo Graal, mostrou a Jack uma foto de revista de um troféu na posse de um velho muito rico que vivia em um castelo na Quinta Avenida. Jack, assumindo sua personalidade Galahad, agora escala a parede do castelo à noite, entra na Capela Perigosa e foge com o objeto. O troféu está de fato escrito: PARA LONNIE CARMICHAEL, POR SEU TRABALHO NA PÁGINA DE NATAL, 1932, P.S. 247. Mas Parry não sabe disso e agora está catatônico de qualquer maneira. Ainda assim, o ato de amor e devoção de Jack resgatou Parry como um passe de mágica: ele lidera seus companheiros lunáticos felizes na ala psiquiátrica em um coro animado de "amo Nova York em junho". E você? & Rdquo Na cena final do filme, Jack e Parry jazem pacificamente nus à noite no Central Park, & ldquocloud rebentando & rdquo

No último ato de Wagner & rsquos Parsifal, o guardião do Graal batiza a bela, ímpia, mas arrependida Kundry, exortando-a a confiar em Deus. Ele canta a beleza do país: & ldquoComo formosos os campos e os prados. & Rdquo É Sexta-feira Santa e os sinos chamam os Cavaleiros do Graal para a oração. Em Sir Thomas Malory & rsquos Le Morte d & rsquoArthur, Galahad morre após uma visão em que recebe o santo sacramento. Mas em nosso filme totalmente moderno, não há nenhuma dessas bobagens religiosas. O que temos, em vez disso, é uma versão do estado de bem-estar da busca pelo Santo Graal. O moderno Rei Pescador, ferido nesta terra estéril e infértil, pode ser curado pela reforma da previdência? São Robin Williams, Jeff Bridges, o diretor Terry Gilliam e a Tri-Star Pictures, produtores de O rei pescador, destinado a iniciar o processo de renovação espiritual? Quem pode dizer?

Barton Fink não é a história de um Galahad judeu. Criado por Joel e Ethan Coen, roteiro dos dois irmãos trabalhando em equipe, dirigido por Joel, produzido por Ethan, Barton Fink é o primeiro filme da história do Festival de Cannes a ganhar três prêmios principais (melhor filme, melhor diretor, melhor ator principal, John Turturro). Com O rei pescador compartilhar o Leão de Prata em Veneza, é uma dobradinha impressionante para o novo intelectual de Hollywood.

Barton Fink foi concebido enquanto os irmãos Coen foram atingidos pelo bloqueio de escritor e rsquos durante a criação de Cruzamento de Miller e rsquos, uma evocação ambiciosa e criticamente bem recebida do gangland de Chicago da década de 1920. Gostar Miller & rsquos Crossing, Barton Fink é visualmente impressionante, excepcionalmente bem fundido e estranhamente estilizado. Os mafiosos de Chicago de Cruzamento de Miller e rsquos são personagens míticos cujo comportamento em vários pontos não faz sentido algum, e os habitantes de Hollywood de Barton Fink são igualmente míticos, derivados em vários casos de personagens históricos que eram bem maiores do que a própria vida.

Mesmo assim, os irmãos Coen negam que tenham pretendido fazer um filme sobre Hollywood, novo ou antigo. & ldquoNós começamos & rdquo os irmãos dizem & ldquowith a ideia de um grande hotel decadente com John Turturro [muito elogiado por seus papéis em filmes de Spike Lee] e John Goodman [mais conhecido por interpretar o marido de Roseanne Barr & rsquos na televisão & rsquos Roseanne] Estávamos lendo um pouco sobre esse período em Hollywood e parecia uma ideia divertida ter John Turturro como um dramaturgo em Hollywood naquela época [1941]. & Rdquo Nas primeiras conversas, o nome de Clifford Odets não parava de surgir, então Turturro leu livros sobre Odets e o Group Theatre, e também o romance de Michael Gold & rsquos 1930 sobre o Lower East Side, Judeus sem dinheiro, e lá foram eles.

Para um filme em que os irmãos Coen dizem que Hollywood é uma questão secundária, & rdquo & ldquoquase a parte mais barata & rdquo e & ldquonot realmente no que estávamos interessados ​​& rdquo Barton Fink transborda com ícones e folclore de Hollywood. Temos versões barrocas não apenas de Clifford Odets, mas da MGM & rsquos Louis B. Mayer (Michael Lerner), um produtor cinematográfico de período por excelência (Tony Shalhoub), o romancista William Faulkner durante uma de suas passagens pelo cinema (John Mahoney), e uma senhora apresentou como amante de Faulkner e rsquos (Austrália e rsquos Judy Davis de Impromptu). Vemos o antigo Ambassador Hotel, o antigo lote da MGM, Culver City, óculos inspirados em Louis B. Mayer & rsquos, um penteado inspirado em George S. Kaufman & rsquos, um uniforme de coronel & rsquos feito pelo próprio alfaiate que fez um no início da Segunda Guerra Mundial para Jack Warner. Maior que a vida, Barton Fink também é mais cruel do que a vida. Mas se Terry Gilliam, diretor de O rei pescador, diz que acha Hollywood & ldquocínico & ldquo & ldquoawful & rdquo e & ldquointimidante & rdquo, os irmãos Coen não parecem nem um pouco intimidados.

Barton Fink abre com o triunfo da Broadway de Barton Fink e rsquos Corais nus, uma peça sobre os peixeiros da Fulton Street (e uma paródia de Clifford Odets e rsquos Desperte e cante!). & ldquoVento de ferro fundido. . . Eu acordei pela primeira vez em anos! . . . Meus olhos estão abertos agora! . . . Deixe-os cantar com o coração! . . . Ouvimos falar daquele garoto, e eu não quero dizer um cartão-postal. & Rdquo Os irmãos Coen consideram seu filme uma comédia, e Barton Fink nos diz tristemente que ele é o dramaturgo do homem & ldquocommon & rdquo escrevendo de & ldquodeep interior dor para aliviar o de meu semelhante, & rdquo o & ldquoaverage trabalhando duro & rdquo & ldquothe as massas. & rdquo Angustiado, Barton Fink pergunta por que as esperanças e sonhos deste homem comum deveriam nos comover menos do que os dos reis.

Contratado por um dos maiores estúdios de cinema, Fink se hospeda em um hotel dilapidado e fantasmagórico de Los Angeles que parece ter sido inspirado no hit Eagles & rsquo misterioso rock, Hotel Califórnia (& ldquoBem-vindo ao Hotel Califórnia.... Você pode fazer o check-out a qualquer hora que quiser / Mas você nunca pode sair & rdquo). Roteiristas reais do Barton Fink período, incluindo Faulkner, Scott Fitzgerald e Nathanael West, trabalhou como escravo em pequenos cubículos de estúdio, mas Barton Fink, designado para um filme de luta livre de Wallace Beery, tem permissão para ficar em casa em seu hotel decadente, e lá (como os irmãos Coen) ele obtém um grande caso de bloqueio de escritor e rsquos. Ele começa: & ldquoScene: Um prédio residencial em Manhattan & rsquos Lower East Side. É possível ouvir um leve ruído do tráfego. & Rdquo Ele para de forma terrível. No dia seguinte, ele adiciona: & ldquo. . . assim como os gritos dos peixeiros. & rdquo

No final do corredor está um vendedor de seguros viajando amigável e cordial, um homem comum, se é que alguma vez existiu um, Charlie Meadows (John Goodman), morrendo de vontade de contar histórias. Meadows diz repetidamente: & ldquoEu poderia lhe contar histórias. . . . & rdquo Esses são contos dos quais nosso roteirista bloqueado precisa desesperadamente, mas Fink sempre interrompe Meadows para falar sobre o tema da missão do escritor para servir ao homem comum. Concentrado em si mesmo, Fink não consegue ouvir.

Seus encontros com os chefes do estúdio são bizarros, mas bastante engraçados, a performance mais notável do filme e rsquos é de Michael Lerner como uma combinação de Louis B. Mayer e Columbia e rsquos Harry Cohn:

Esse é Barton Fink? Deixe-me abraçar esse cara! O escritor é rei na Capital Pictures! Precisamos de mais coração no cinema! A poesia das ruas! Queremos aquele sentimento de Barton Fink! As esperanças e sonhos deste lutador! Um interesse romântico? Wally é muito velho para um interesse romântico? Ele é um órfão, talvez? Qual é, Bart? Órfão? Dame? I & rsquom maior, mais cruel e mais barulhento do que qualquer outro kike nesta cidade! Fim da semana, Bart. Todos nós esperamos grandes coisas.

Os encontros de Fink e rsquos com o personagem William Faulkner são menos divertidos. Tímido, simples, sem mãos com as mulheres, Barton Fink de alguma forma consegue ir para a cama com a amante Faulkner e rsquos, e durante a noite juntos a câmera faz coisas estranhas. Ele vai até a pia do quarto do hotel e desce pelo ralo, desce, desce e atravessa o encanamento. Após o qual Barton Fink torna-se um filme diferente.

É isto Barton Fink através do encanamento de lavatório pretendia ser o mundo inferior de Hollywood? É um sonho? O filme, desde a chegada de Fink a Hollywood, nunca foi realista. O vasto e fantasmagórico Hotel Earle tem apenas dois funcionários semelhantes a espectros, e Fink e Charlie Meadows são seus únicos hóspedes. Mas quando nosso roteirista bloqueado acorda de manhã, após o encanamento, há uma pausa brusca. Em pânico, Fink vê uma torrente de sangue escorrendo da senhora com quem ele foi para a cama, que está morta. Charlie Meadows se desfaz do corpo para ele. Fink tem uma conferência de história com o magnata do estúdio parecido com Louis B. Mayer e o considera grotesco e medroso, embora, como o magnata já era bastante grotesco, a mudança aqui seja menos óbvia do que acordar para encontrar um colega de cama morto. De volta ao Hotel Earle, dois detetives obstinados (e anti-semitas) dizem a Fink que Charlie Meadows, agora desaparecido, não é um caixeiro viajante simpático, afinal, mas um assassino em série, & ldquoMad Man Mundt. & Rdquo

Em uma explosão, Fink finalmente escreve um roteiro sobre um peixeiro de luta livre, terminando com as palavras carregadas, & ldquo & rsquoll ouvir daquele lutador novamente, e eu não quero dizer um cartão postal! & Rdquo Nosso magnata do estúdio se enfurece com Fink por escrever & ldquoa filme frutado sobre sofrimento & rdquo e anuncia ele vai mantê-lo sob contrato, mas nunca produzirá nenhum de seus roteiros (purgatório). E então Charlie Meadows, um / k / a Mad Man Mundt, retorna. Nos corredores do Hotel Earle, em chamas com o fogo do inferno metafórico, ele atira nos detetives da polícia, gritando, & ldquoI & rsquoll dar-lhe a vida da mente! & Rdquo Nós nunca, na verdade, emergimos do encanamento da pia.

O que tudo isso significa? Já que, de acordo com os irmãos Coen, Hollywood não era o que eles realmente estavam interessados, o verdadeiro assunto do filme, ainda de acordo com os irmãos Coen, só pode ser a relação entre o dramaturgo do homem comum, Barton Fink, e um verdadeiro comum cara, Charlie Meadows. Aqui, o hipócrita esquerdismo do show-business dos anos 1930 e 1940 está claramente sendo satirizado. Escrito como foi por dois escritores bloqueados, Barton Fink parece, também, ser sobre o processo criativo. Mas por que o sangue? Por que transformar um vendedor de seguros gregário e bem-humorado em um assassino em série? Esses dispositivos de enredo arbitrários deveriam aprofundar a percepção do público de & ldquorealidade & rdquo?

Os irmãos Coen são muito mais cautelosos sobre o significado de seu filme do que T.S. Eliot sobre A terra do desperdício, e nenhum crítico de cinema que eu li parece ter notado o tiro pelo encanamento ou a mudança brusca no registro das marcas do tiro. Alguns críticos meramente rotularam o final do filme de & ldquoobscure. & Rdquo Mas realmente parece que tudo depois do encanamento & mdash o companheiro de cama morto, Charlie Meadows um serial killer, o hotel em chamas, o magnata do estúdio ameaçando & mdash é de fato um pesadelo de Barton Fink. É reconhecidamente um pesadelo extenso e elaborado, levando cerca de 45 minutos em um filme de duas horas. Mas dificilmente chega a um final satisfatório para um filme desses, e não é muito engraçado. O que é lamentável, porque as partes iniciais de Barton Fink mostre verdadeiro talento.

Quando Lewis Carroll enviou sua Alice através do espelho, ela encontrou um mundo divertido e irônico, que ainda hoje nos diverte. Quando os irmãos Coen mandam Barton Fink através do encanamento de seu hotel decadente em Los Angeles, ele encontra chamas, violência terrível. Barton Fink & rsquos nightmare nos diz algo interessante sobre o processo criativo, Hollywood, ou mesmo Barton Fink? No O rei pescador, o diretor Terry Gilliam, responsável pelas sequências de animação divertidas e criativas na televisão britânica e rsquos Monty Python série e para uma série de filmes cada vez mais ambiciosos (Jabberwocky, Time Bandits, Brasil, The Adventures of Baron Munchausen), da mesma forma exagera quando busca um significado profundo.

Mas hoje em dia & mdashwitness os prêmios para os irmãos Coen e os júris do festival Gilliam & mdashfilm estão realmente impressionados com um significado profundo.


Então, o que isso tem a ver com Big Data e análises?

Já vi esse cenário se desenrolar em várias ocasiões.Um analista engajado na busca por uma resposta, modelo ou solução específica se depara com uma oportunidade que se mostra igualmente recompensadora e freqüentemente muito mais fácil.

Muitas vezes, eu também testemunhei o hora certa chegada de outros analistas que rapidamente declaram a nova oportunidade como muito perturbadora, muito perigosa ou simplesmente pertencente a alguma outra equipe para pesquisas futuras.

É certo que existem poucos castelos como o antraz. Mas, há mais do que imaginamos. Política, descentralização e um foco muito grande na "busca" se combinaram para nos roubar muitas oportunidades valiosas.


Galahad

De acordo com a lenda do rei Artur, Galahad era o cavaleiro mais puro e nobre da corte do Rei Arthur e o único a ver o Cálice Sagrado. Filho de Lancelot & # x2014 outro cavaleiro célebre & # x2014 e Elaine, Galahad foi criado por freiras e chegou à corte ainda jovem.

Quando os cavaleiros tomaram seus assentos na Távola Redonda, Galahad sentou-se em um assento especial conhecido como Cerco Perigoso. Foi dito que apenas o cavaleiro destinado a encontrar o Santo Graal poderia ocupar este assento com segurança. Todos os outros que se sentaram nele morreram instantaneamente. Quando Galahad permaneceu ileso, ficou claro que ele realizaria grandes feitos. Em algumas histórias, o cavaleiro também provou seu valor sacando uma espada especial de uma pedra. Uma inscrição na pedra afirmava que apenas o melhor cavaleiro da terra poderia retirar a espada.

Após a chegada de Galahad à corte de Arthur, os cavaleiros começaram sua busca pelo Santo Graal. Galahad partiu sozinho, mas depois juntou forças com outros dois cavaleiros, Perceval e Bors. Suas viagens os levaram para a cidade de Sarras, onde foram presos por um rei cruel. No entanto, quando o rei estava morrendo, ele libertou os cavaleiros e o povo da cidade escolheu Galahad para ser seu próximo rei.

Depois de governar Sarras por um ano, Galahad teve uma visão na qual o Santo Graal foi revelado a ele. Satisfeito por ter alcançado o objetivo de sua vida, ele orou para poder morrer então. Segundo a lenda, seu pedido foi atendido e "uma grande multidão de anjos levou sua alma ao céu".

Veja tambémArturian Legends Holy Grail LancelotRound Table.

cálice Sagrado copo sagrado dito ter sido usado por Jesus Cristo na Última Ceia


Sir Gawain e o Cavaleiro Verde e o Santo Graal

Ensaio & # 8211 Sir Gawain e o Cavaleiro Verde e O Santo Graal Existem algumas semelhanças entre os dois incertezas, Sir Gawain e o Cavaleiro Verde e O Santo Graal. Acredito que ambos se tornaram romances. Na primeira história, Sir Gawain foi enviado em uma missão perigosa que consistia em procurar a Capela Verde do Cavaleiro Verde para cumprir seu juramento de que receberia o que fizera com ele um ano e um dia depois. Ele foi testado em sua honra e coragem quando deu sua palavra ao Senhor Bercilak de dar a ele tudo o que ele ganhou no castelo no final do dia e também provou isso por não ter um caso com sua esposa.

Por meio desse teste, ele determinou se ele teve ou não a cabeça decepada. No final, Sir Gawain voltou para casa. O Santo Graal era uma história prestes a ser um romance, mas pela maneira como interpretei a história, descobri que é. Nessa história, Sir Galahad tinha a perigosa missão de cavalgar até o Rei Mordrayns, depois enterrar novamente uma pessoa que havia ficado queimando por muito tempo e depois ir para Corbenic ao Castelo do Rei Mutilado, Pellam. Seu teste de honra ou coragem foi sua lealdade a Jesus quando ele fez o que queria e disse que até morreria por ele.

Ele nunca voltou para casa fisicamente, mas eu acredito que ele voltou para sua casa no céu quando ele morreu fazendo O Santo Graal ser um romance naquele caso. Sendo romances não são a única coisa em comum entre os dois, ambas as histórias são lendas arturianas. Sir Gawain e Sir Galahad tinham muitas coisas em comum. Ambos eram cavaleiros bem conhecidos, conhecidos por seu cavalheirismo. Ambos os homens eram corajosos e gostavam de aventura, como podemos ver por suas buscas perigosas. Ambos os cavaleiros honraram seu rei e foram leais a eles, Sir Gawain foi leal ao Rei Arthur ao se levantar e acertar o Cavaleiro Verde em vez de ele o fazer.

Ele também era leal ao Cavaleiro Verde e manteve sua palavra. Sir Galahad honrou e foi leal a Jesus Cristo, seu rei. Ambos estavam dispostos a morrer, Sir Gawain por ser fiel à sua palavra e Sir Galahad por seus serviços a Jesus. Em ambas as histórias havia pessoas que se pareciam com coisas. Na primeira história, o Cavaleiro Verde era Lord Bercilak. Na segunda história, Joseph parecia as maravilhas do Sankgreall e uma donzela limpa. Essas duas figuras testaram os cavaleiros da história. Ambos os homens receberam graça por sua confiança.

Sir Gawain por confiar no Cavaleiro Verde e Sir Galahad por confiar no Senhor e em Joseph. Nessas histórias houve muitos eventos milagrosos e maravilhosos que ocorreram. Na primeira história, o Cavaleiro Verde ainda vivia depois que sua cabeça foi arrancada e também quando o Cavaleiro Verde não matou Sir Gawain. Na segunda história, houve muitos eventos maravilhosos e milagrosos, mas um deles foi quando os anjos vieram aos cavaleiros. Como esses exemplos mostram, havia muitas semelhanças entre as duas histórias, Sir Gawain e o Cavaleiro Verde e O Santo Graal.


Episódio 38 - Sir Galahad e a busca do Graal

Você viajou por muitas noites para chegar aqui, nesta pequena vila à beira de um grande reino. Você tinha ouvido falar que um dos cavaleiros do reino estava aqui. Não apenas qualquer um deles, mas um dos maiores. Diz-se que rivaliza com o próprio rei em destreza no campo de combate. Então você veio para testar sua coragem. Para provar que é digno, como você sabia que era.

Você o encontrou em pouco tempo. Um cavaleiro destacou-se em uma aldeia como esta. Toda armadura reluzente e uma lâmina longa. Este era Lancelot, o maior dos cavaleiros de Camelot.

Você o enfrentou em combate e, apesar de sua destreza, você o superou. Ele ofereceu a você a oportunidade que você estava procurando, a chance de servir como Cavaleiro da Távola Redonda. E assim, juntos, vocês viajaram para Camelot.

As histórias do Rei Arthur e seus Cavaleiros da Távola Redonda são bem conhecidas. São contos de aventuras românticas, nobres cavaleiros enfrentando terríveis inimigos em nome de seu código de cavalaria. Auxiliados pelo feiticeiro Merlin, os Cavaleiros de Camelot enfrentam as forças das trevas, bestas mágicas e exércitos invasores que procuram ameaçar Camelot.

Em uma dessas histórias, um cavaleiro em particular realiza a tarefa mais gloriosa, completando a mais sagrada das missões. É a história que segue a quebra da Távola Redonda, a traição do Rei Arthur por Lancelot e sua eventual morte nas mãos de Mordred.

É a história de Sir Galahad e a busca do Graal.

Os Cavaleiros da Távola Redonda realizaram muitas coisas ao longo de suas histórias, mas nenhuma missão foi tão importante quanto a Busca do Graal. Foi uma missão que apenas um poderia completar. Ninguém, exceto a mais pura de todas as almas, poderia contemplar e reivindicar o Santo Graal.

Então, quando os cavaleiros começaram a fazer isso, eles sabiam que a maioria, senão todos, iria falhar, mas eles tinham que tentar.

Sir Galahad foi descrito como o maior de todos os cavaleiros e o mais puro. Ele nasceu, de acordo com os mitos, para reivindicar o Graal.

Eu sou Andrew Eagle, e estou animado para convidá-lo a se juntar a mim enquanto eu atravesso o Véu para explorar a história de Camelot e seus leais cavaleiros. Junte-se a mim para explorar a história de Galahad e a busca do Graal.

Você chegou na grande cidade de Camelot. E elevando-se sobre as lojas e casas dos cidadãos, o castelo. Castelo de Arthur.

Lancelot mostrou-lhe o quarto que você queria ver. A sala da Mesa Redonda. Era enorme, feito de pedra. A mesa estava rodeada por cadeiras de madeira pesada, cada uma diferente, mas todas lindamente trabalhadas. Apenas um foi a exceção. Uma cadeira estava coberta por um grande lençol, empoeirada e intacta. Você perguntou ao seu acompanhante sobre a cadeira. Ele se virou e olhou para ela, quase pesarosamente, e disse a você que a cadeira coberta era o Cerco Perigoso.

Anos atrás, durante uma das estranhas visitas de Merlin à corte da Távola Redonda, ele anunciou que aquele que poderia sentar-se no Cerco Perigoso era o cavaleiro destinado a encontrar o Santo Graal. Depois disso, todos os que estavam sentados na cadeira morreram em poucos instantes. Rapidamente, os cavaleiros pararam de tentar. Afinal, havia uma diferença entre bravura e tolice.

Lancelot o deixou na câmara da Távola Redonda, dizendo para você esperar até que os outros chegassem. Ele foi se lavar da sujeira da estrada. Você ficou na câmara e caminhou lentamente ao redor da mesa. Nesta sala, os maiores cavaleiros do mundo se encontraram e formaram suas estratégias. Em breve, você percebeu que sua curiosidade o aproximava cada vez mais do Cerco Perigoso. Você decidiu que levantaria o lençol e olharia para a cadeira, que mal isso poderia causar?

Levantando o lençol, você revelou uma cadeira como qualquer outra. Parecia completamente normal. Longe de você duvidar do conhecido poder de Merlin, mas ainda se surpreendeu se perguntando, curioso, se a história da cadeira era verdadeira ou se era algum estratagema de Lancelot. Um teste para ver se você foi corajoso o suficiente para se sentar.

Quase assim que você teve o pensamento, você decidiu que deveria ser isso. Isso era obviamente um teste. Então você jogou o lençol de lado e se sentou na cadeira. Quando nada aconteceu, você ficou ainda mais seguro de que estava certo. Até o Rei Arthur entrar na sala e ficar pálido como um fantasma.

O Graal faz parte da lenda arturiana há muito tempo. No entanto, durante séculos, foi Sir Perceval que finalmente encontrou o Graal.

Sir Galahad foi apresentado pela primeira vez em um Épico Arturiano do século 13 conhecido como o Ciclo da Vulgata. O Ciclo da Vulgata, como muitas das últimas histórias arturianas, adiciona um maior foco e interconectividade com o Cristianismo. Em particular, concentra-se na relação entre Lancelot e Guinevere, que eventualmente causa o cisma da Távola Redonda e, em última instância, a morte de Arthur.

Arthurian Legend é difícil de definir. Houve muitas versões ao longo da história, e as que sobreviveram se sobrepõem e se contradizem de maneiras estranhas. Todas as fontes posteriores estão imersas no cristianismo e geralmente têm tons mais focados na pureza e na nobreza dos cavaleiros de Camelot.

De muitas maneiras, Galahad é paralelo à ascensão de Arthur ao poder, embora, em vez do trono e de uma idade de ouro, Galahad tenha sucesso onde nenhum outro cavaleiro conseguiu reivindicar o Santo Graal. Ele é descrito como o mais puro dos cavaleiros e, portanto, o mais poderoso.

Por mais pálido que estivesse, Arthur entrou calmamente na sala e perguntou seu nome.

Você se levantou, afinal ele era o rei, e se apresentou com uma reverência. Ele acenou com a cabeça e ordenou que você o seguisse. E, claro, você caiu no ritmo. Enquanto você o seguia e cruzava o caminho dos outros cavaleiros, ele disse a eles que acompanhassem vocês dois. Logo, você tinha quase todos os membros da Távola Redonda, todos os Cavaleiros de Camelot, seguindo você.

Você deixou o castelo e foi para as ruas de Camelot. Rapidamente você passou pela cidade e chegou a um riacho perto da floresta fora de Camelot. Lá, em uma pedra, o punho de uma espada emergiu. Abaixo dele, uma inscrição foi gravada na própria pedra. Dizia: "Nunca alguém me levará daqui, mas apenas aqueles por cujo lado eu devo ser enforcado e eles serão o melhor cavaleiro do mundo."

Silenciosamente, Arthur gesticulou para a lâmina, "Pegue-a." Ele comandou. Os outros cavaleiros assistiram em silêncio.

Você avançou e agarrou o cabo. Você puxou e com o som de metal raspando contra a pedra, a lâmina se soltou. Um silêncio pareceu cair na clareira daquele rio. Como se até o mundo estivesse prendendo a respiração.

Então, quando o momento de silêncio se foi, Arthur se virou para os outros cavaleiros e declarou que você seria o maior de todos os cavaleiros, aquele que estava destinado a encontrar o Santo Graal. Com isso, você foi bem-vindo ao rebanho deles. Um membro dos Cavaleiros da Távola Redonda e destinado, por todos os sinais, à grandeza.

Alguns estudiosos da lenda arturiana acreditam que Galahad foi adicionado à lenda arturiana como um símbolo de certas ordens religiosas ou para servir como um exemplo de pureza que poderia inspirar outros a tentarem se aprimorar.

Alguns teorizam que Galahad é um símbolo do ascetismo guerreiro católico mais descrito nas crenças da Ordem Cisterciense ou nos ideais de São Bernardo de Clairvaux. Essas ordens tinham um certo idealismo que desempenhou um papel importante na maneira como o cavalheirismo foi retratado nas histórias arturianas posteriores.

Alguns acreditam que Galahad serviu para projetar uma aura de cavalheirismo em uma ordem famosa com uma história verdadeiramente problemática, os Cavaleiros Templários. Essa crença vem principalmente do fato de que Galahad carrega um escudo branco com uma cruz vermelha, o emblema exato dado aos Cavaleiros Templários pelo Papa Eugênio III.

Não demorou muito depois de retornar ao castelo em Camelot para os Cavaleiros decidirem: eles empreenderiam uma grande busca pelo Santo Graal. E, claro, como seu membro mais novo e destinado, você se juntaria a eles.

O castelo de Camelot foi esvaziado. Cada cavaleiro da Távola Redonda partiu para o mundo em busca do Graal. Embora os outros cavaleiros parecessem entusiasmados, e certamente você não pôde deixar de sentir uma energia quando começou sua missão, você notou que o Rei Arthur parecia melancólico. Quando você perguntou a ele o que o afligia, ele simplesmente respondeu: "Temo que muitos não retornem, temo que esta busca valiosa possa significar o começo do fim para a Távola Redonda."

Com suas palavras severas, você partiu para a estrada. Embora todos os cavaleiros tenham partido com poucas horas de diferença, você viajou sozinho, assim como cada um dos outros.

A busca foi longa e a estrada cansativa. Você perdeu a noção de quanto tempo se passou desde que deixou Camelot. Mas isso realmente não importa. Tudo o que importava era o Graal. Você chegou à periferia de um campo de batalha, onde viu um estandarte que reconheceu. Atacando para a luta, você abateu vinte cavaleiros para proteger um colega da Távola Redonda, Sir Percival. Ele graciosamente agradeceu e então você se separou.

Algum tempo depois, você se reuniu com Percival mais uma vez e o encontrou em busca de Sir Bors. A irmã de Percival deu a Percival algumas dicas, um navio com destino a uma terra estranha estava partindo na manhã seguinte, e isso o levaria cada vez mais perto do Graal. Então você se juntou a seus companheiros cavaleiros a bordo do navio junto com a irmã de Percival.

A história de Galahad foi expandida e trazida para a vanguarda da lenda arturiana e da busca do Graal durante os anos 1800 e sua representação em histórias e poemas da era vitoriana.

Ele aparece em Alfred, o poema de Lord Tennyson intitulado "Sir Galahad". O poema descreve como sua pureza e falta de pecaminosidade é a fonte da força de Galahad. Porque ele é puro de coração, ele pode derrotar dez homens maus. No entanto, ele explora um tema de sacrifício em torno de Galahad. Ele desiste de grande parte da vida neste mundo em uma busca obstinada e solitária do Santo Graal. Ele não costuma ter companheiros ou companheiros de armas para acompanhá-lo, porque ele busca o Graal às custas de tudo o mais.

O poema segue a busca em direção ao Graal, mas termina cedo, decidindo deixar a Busca como uma tarefa contínua, em vez de descrever a conclusão de encontrar o Graal. Além disso, esta é uma das primeiras peças que conta a história de Galahad em primeira pessoa. A maioria é contada pelas lentes de outro narrador. Essa perspectiva de primeira pessoa permitiu a Tennyson explorar pedaços das emoções e pensamentos de Galahad durante sua jornada solitária.

O navio chegou a uma costa distante carregando você e seus companheiros. E embora a estrada fosse longa, você finalmente chegou a um castelo estranho. Casa de um rei chamado Pelles e seu filho Eliazar.

O par levou você e seus companheiros para uma sala. Eles perguntaram a Sir Bors o que ele podia ver. Ele respondeu que uma névoa estranha tomou conta de toda a sala. Eles perguntaram a Sir Perceval o que ele podia ver. Ele respondeu que havia algo estranho na mesa da sala, mas ele não conseguia ver, pois estava envolta. Eles finalmente se viraram para você e perguntaram o que você podia ver. Você passou um momento em silêncio antes de responder.

Lá, sobre a mesa no centro da sala, estava o Santo Graal. Quando eles ouviram você descrevê-lo, disseram que era seu para reivindicá-lo. E era sua missão entregá-lo a uma ilha sagrada. Você começou suas viagens mais uma vez com seus companheiros, agora com o Graal nas mãos.

Enquanto você estava em sua jornada, você montou acampamento uma noite.

Naquela noite, ao se preparar para dormir, você foi visitado por duas figuras que ardiam com uma luz pura e brilhante. Eles eram anjos. Disseram que você não precisava entregar o Graal à ilha, pois estavam aqui para carregá-lo para o céu e, com ele, aquele que o reivindicou.

Você sabia, no fundo de sua alma, que aquele era o momento de sua morte e que em breve estaria no paraíso.

Você se despediu de Percival e Bors, pedindo-lhes que contassem ao Rei Arthur e aos outros o que havia acontecido, contassem sua história e que, no final, todos vocês conseguiram encontrar o Graal. E então, sem arrependimento ou tristeza, tendo cumprido sua missão destinada, você foi levado para o paraíso.

Galahad era o mais puro de todos os cavaleiros de Camelot. Ele viveu uma vida sem nenhum pecado e, portanto, ele e somente ele era digno de reivindicar o Santo Graal. Pelo menos, é isso que as versões posteriores da história da busca do Graal nos dizem. Sua busca custa a ele tudo, incluindo eventualmente sua vida, mas nunca se questiona se vale a pena. É para ser óbvio que a busca por algo tão perfeito, tão sagrado, vale todo sacrifício.

Ele está atrasado na linha do tempo das lendas arturianas, ocorrendo pouco antes da inevitável traição de Lancelot e do rompimento da Távola Redonda. Alguns estudiosos teorizaram que a Busca do Graal é colocada tão tarde na história porque é um símbolo de uma busca verdadeiramente sagrada sendo digna de ser perseguida às custas dos propósitos mortais mais nobres. E, neste caso, encontrar o Graal valeu a pena a queda de Camelot.

Obrigado por se juntar a mim neste episódio de Through the Veil. Eu espero que você tenha gostado. Eu encorajo você a se inscrever para receber novos episódios semanais onde quer que você ouça, enquanto continuamos nossa exploração do folclore, mito e magia.


As lendas sobre a busca do Santo Graal

O Santo Graal apareceu em muitos ramos da mitologia celta, especialmente a lenda arturiana amplamente divulgada no País de Gales e na Inglaterra. Com a ascensão do cristianismo no mundo real, o Santo Graal se tornou o elemento-chave na mitologia celta. O melhor exemplo é a busca pelo Santo Graal.

O Santo Graal era um cálice usado por Jesus e seus apóstolos, exceto Judas, quando eles tiveram a refeição da Páscoa no 14º dia de Kislev em 33 DC, a véspera do Domingo da Paixão.Jesus ergueu este cálice e pediu a seus apóstolos que bebessem o vinho tinto que simbolizava seu sangue, e assim ele criou a cerimônia da crucificação. Mais tarde, acreditava-se que este cálice tinha algum tipo de magia por causa desta ocasião especial. De acordo com a lenda, a fornalha mágica em Annwn (o outro mundo) foi a antecessora do Santo Graal.

Em muitas lendas, qualquer pessoa que encontrasse o Santo Graal e bebesse água com ele renasceria, se tornaria para sempre jovem e imortal. Essas lendas são amplamente adaptadas para obras de literatura, cinema, televisão e videogames.

Em 2014, após três anos de pesquisa e busca, dois historiadores da Universidade de Lyon encontraram o Santo Graal usado por Jesus, conforme representado na obra de Da Vinci Última Ceia.

Em lendas celtas mais antigas, o vaso sagrado era um caldeirão mágico, enquanto na lenda arturiana, foi substituído pelo cálice que havia sido usado na Última Ceia e usado para conter o sangue de Jesus que foi amarrado ao crucifixo. Segundo a lenda, o Santo Graal foi trazido para a Grã-Bretanha por José de Arimatéia. Mais tarde, ele desapareceu e se tornou o tesouro que os Cavaleiros da Távola Redonda estavam lutando para encontrar. Sua busca pelo Santo Graal evoluiu para a história do “Rei Mutilado ou Rei Pescador Bron / Bran e cavaleiros”.

Com o passar do tempo, o território do Rei Arthur continuou se expandindo. Segundo a lenda, ele governou a França, derrotou o declínio do Império Romano e foi coroado pelo bispo de Roma na catedral romana. Aqueles foram os dias mais gloriosos da vida do Rei Arthur. Mais tarde, o Rei Arthur começou a mudar seu interesse para a busca por um tesouro lendário. Seus companheiros cavaleiros deixaram a capital Camelot para o lendário Santo Graal, sob sua ordem ou voluntariamente, mas a maioria deles nunca voltou. Assim, os cavaleiros na Távola Redonda tornaram-se cada vez menos. O forte império do Rei Arthur começou a entrar em declínio.

No final da lenda do Santo Graal, três Cavaleiros da Távola Redonda encontraram o Santo Graal: o cavaleiro mais secular Sir Bors de Ganis, o cavaleiro mais simples Sir Percivale e o cavaleiro mais puro Sir Galahad (filho de Sir Lancelot). Mas só Galahad poderia levantar o Santo Graal, “como se segurasse o corpo de Jesus com as duas mãos”. No momento em que ele ergueu o Santo Graal, inúmeros anjos vieram e carregaram sua alma para o paraíso.

A origem do Santo Graal

Uma das cerimônias cristãs comuns é a Sagrada Comunhão, onde as pessoas bebem vinho tinto que simboliza o sangue de Jesus. A lenda arturiana é baseada em uma história famosa: um soldado romano chamado Longinus perfurou o lado de Jesus com uma lança, para confirmar sua morte. Naquela época, José de Arimatéia usou o cálice que Jesus usou na Última Ceia para segurar o sangue. Geralmente, acredita-se que este cálice seja o Santo Graal. O corpo de Jesus foi enterrado na tumba da família de José de Arimatéia. Como o exército inglês comandado por Eduardo I foi destruído na expedição da cruzada, ele precisou reorganizar o exército e restaurar o moral após retornar da Palestina em 1274 DC. Os cavaleiros do Rei Arthur foram descritos como lutadores sacrificados por uma causa justa. E a busca pelo Santo Graal poderia idealizar melhor esse objetivo.

Como José de Arimatéia era seguidor de Jesus, ele foi preso pelo romano logo após a crucificação de Jesus. Ele deve ter preservado o Santo Graal, carregado com ele, viajado via Roma para o sul da França e vivido em Languedoc por algum tempo com Maria Madalena e outros seguidores. Diz-se que ele foi para a Inglaterra e passou o resto de sua vida em Glastonbury, no sul da Inglaterra. A primeira igreja cristã na Grã-Bretanha foi construída aqui. Hoje, as relíquias do mosteiro ainda podem ser vistas, e o Santo Graal pode estar escondido lá. Mas, desde então, o Santo Graal havia desaparecido. Este também foi o início da busca do Rei Arthur pelo Santo Graal.

Acredita-se que o Santo Graal tenha permanecido na Itália por trezentos anos e foi mantido pela primeira vez por São Lourenço, um diácono da Cúria Romana. Diz-se também que, no final do século III, ele enviou dois soldados da Legião Espanhola para escoltá-la de volta a Huesca, cidade espanhola onde ela estava originalmente. Mas ele teve um final triste e miserável: o papa Sisto II, seu bom amigo e um dos primeiros mártires da igreja cristã romana, foi assassinado pelo imperador romano Valerius. A data citada aqui é baseada em rumores. Papa Sisto II foi realmente assassinado em 258 DC. Poucos dias depois da execução do Papa Sisto, São Lourenço também foi queimado até a morte em uma grade de ferro. O Santo Graal foi preservado na Basílica de São Pedro e # 8217 até 711 DC. Nos corredores românicos da basílica, existem alguns padrões que podem sugerir a existência do Santo Graal. Um deles mostra que um anjo entrega um cálice a Jesus.

Wolfram von Eschenbach, que morreu em 1230 DC, era amplamente considerado o melhor trovador germânico da Idade Média. Uma de suas obras, Parzival, mais tarde se tornou o tema das óperas de Richard Wagner. Uma importante fonte dos materiais que utilizou foram as obras de Chrétien de Troyes, integrando-se com outros materiais fornecidos a Kyot, o Provençal. A narração de Kyot foi provavelmente baseada em sua experiência na Espanha, onde havia muitos filósofos muçulmanos e judeus e Toledo, o centro da ciência e da cultura na Espanha naquela época. Wolfram insistia que, o Santo Graal era uma pedra mágica como a “cornucópia”, que fornecia alimento inesgotável e juventude eterna.

O local de descanso final do Santo Graal foi uma capela da Catedral de Valência, na Espanha. A Igreja Católica Romana nunca o reverenciou como um artigo sagrado, mas eles reconheceram que era o cálice usado por Jesus na Última Ceia, e tinha sido usado pelos Papas antes de São Lourenço escoltá-lo para a Espanha. Hoje o Santo Graal foi protegido por um vidro à prova de balas. Navarra foi um reino fundado no sudoeste das montanhas dos Pirenéus no século 9 DC. Seu apogeu foi entre os séculos 11 e 12. A família real de Navarra possuía os tronos de reinos independentes espanhóis, como Castela, Aragão e Leão por meio de casamentos, e até adquiriu a soberania sobre a França no século XIII. No início do século 16, a parte sul de Navarra foi ocupada pelo Reino da Espanha, enquanto a parte oeste foi anexada pela França depois que Henrique III de Navarra tornou-se Henrique IV da França. O rei de Navarra enviou seus homens para escoltar o Santo Graal até a Catedral de Valência. O Santo Graal ficou lá desde então e foi apenas temporariamente realocado em outro lugar devido a questões de segurança durante a Guerra da Independência Espanhola e a Guerra Civil Espanhola.

O pedestal de ouro puro do Santo Graal foi incrustado com 28 pérolas, 2 rubis e 2 esmeraldas. O corpo do Santo Graal tinha 5,5 cm de altura, 9,5 cm de diâmetro e 3 mm de espessura na parede do Santo Graal. Com o pedestal incluído, o Santo Graal tinha 17 cm de altura e 14,5 cm de largura. Antonio Beltran, um eminente arqueólogo, disse que o Santo Graal que vemos hoje foi feito no Mosteiro Real de San Juan de la Peña, provavelmente por um ourives de Bizâncio. A parte superior do Santo Graal foi originalmente feita no Oriente Próximo, Alexandria no Egito ou Antioquia na Síria. Beltran disse que, sem dúvida, o Santo Graal foi feito entre a última metade do século 1 aC e a primeira metade do século 1 dC. Este período passou a ser o tempo de Jesus.

Antonio Beltran explicou que, o verdadeiro pedestal do Santo Graal era feito de pedra. No pedestal deste cálice, havia uma curva de uma inscrição em árabe que ninguém poderia traduzir completa e exatamente. Houve várias traduções: “para Aquele que Traz Glória”, “Ave Maria”, “O Misericordioso” (o que os árabes chamam de Alá) e “O Compassivo”. Segundo algumas lendas, a inscrição “LAPIS EXCILLIS” também aparecia com frequência.

Podemos nunca saber como o Santo Graal realmente é, mas o cálice delicado e bonito que podemos ver hoje (na Espanha) também pode ser o verdadeiro Santo Graal usado por Jesus dois milênios atrás. E, em grande medida, lançou as bases da mitologia e do romantismo no Ocidente. O “Santo Graal” ainda hoje atrai pessoas e faz parte da nossa estrutura cultural. Nesse sentido, o significado da busca do Santo Graal não é apenas encontrar esse cálice, mas também aprender o que é o Santo Graal e o que ele significa.


A lenda do Santo Graal

Para quem não conhece, o Santo Graal é um objeto liminar que ganha destaque nos vários mitos e lendas que cercam o lendário Rei Arthur. De acordo com Robert de Boron's Joseph d & # 8217Arimathie composto entre 1191 e 1202, foi usado por Jesus Cristo durante a Última Ceia (sua Páscoa final) no cenáculo de José de Arimatéia, e diz-se que José de Arimatéia usou o mesmo Kylix para coletar o sangue e a água que derramaram do lado de Cristo na crucificação no Gólgota. Por ser um comerciante de estanho (assim conta a história), José de Arimatéia fazia viagens periódicas à Cornualha, na Inglaterra (uma das quais inspira a famosa "Jerusalém" de William Blake), onde ele finalmente reside com o Graal em ou perto de Glastonbury Tor.

Alusões à lenda do Graal são feitas ao longo da história do Magic, desde a recente descrição do Graal como um caldeirão no Trono de Eldraine até a longa lista de cálices, xícaras, cíclicos e uma alusão mais direta no Sol Graal. Embora não tenha texto de sabor próprio, Throne of Eldraine's The Cauldron of Eternity é descrito no livro que acompanha o conjunto, The Wildered Quest. Em uma curta passagem, o longo amaldiçoado planinauta Garruk se encontra curado pelo artefato perdido do Reino de Locthwain. A brevidade deste encontro é absolutamente impressionante: em vez de ser o objeto de uma busca, a perseverança altruísta de Will Kenrith pelo bem de Garruk faz com que o Caldeirão apareça e os salve um Deus ex Machina purificando Garruk de sua maldição, e colocando-os de volta no caminho para encontrar Oko e salvar seu pai, o Rei.

Minha interpretação aqui deve muito aos estudos do Graal que ligam os mitos celtas envolvendo caldeirões a histórias posteriores (supostamente) cristianizadas que dão ao Graal sua proveniência da Judéia. Se essas teorias sobre as origens pagãs da lenda do Graal estão corretas ou não, provavelmente sempre será uma questão contestada, mas eu queria destacar este exemplo para apresentar meu próximo ponto: a maioria dos cálices, cíclicos e grails na história do Magic envolvem vida, morte , conhecimento e poder de sua mecânica de jogo também sugerem que se pode beber deles. Na verdade, em versões fílmicas de histórias do Graal, como Indiana Jones e a Última Cruzada, beber do Graal cura feridas, e somente sua presença pode garantir a imortalidade. Esse tipo de representação move o Graal para o reino de uma espécie de “cálice da comunhão”, que transmite vida espiritual ao comunicante.

Como mencionei no ensaio da última quinzena, este ritual sagrado cristão é imitado pelos clérigos vampíricos em Ixalan, cujo Hierofante & # 8217s Cálice traz sangue vivificante aos lábios da aristocrática Igreja do Crepúsculo. Nas lendas medievais do Graal, no entanto, a xícara não costuma ser bebida, mas funciona mais como uma relíquia religiosa. É um objeto místico, quase vivo, a ser encontrado, olhado e venerado semelhante aos ossos de santos que são consagrados nas igrejas. Desta forma, o grails de Magia apegar-se mais à mídia popular do que ao mito medieval.

Golgothian Sylex é uma exceção interessante, ao invés disso responsável pela poderosa explosão que purificou Dominia da ameaça Phyrexiana, uma purificação extrema de Phyrexia do planeta. Embora a semelhança com uma explosão nuclear possa não se manter, certamente o poder do Graal é o de purificação. Muito parecido com O Caldeirão da Eternidade, em Thomas Malory's Le Morte d & # 8217Arthur, a pureza de alguém determina se alguém pode até mesmo Vejo o graal. Quando Sir Bors, Sir Perceval e Sir Galahad o veem, cada um vê na medida em que são puros de coração. Bors vê apenas a luz e, subsequentemente, faz votos monásticos. Perceval vê isso e morre logo depois. Galahad, o Puro, vê o Graal como ele é e morre imediatamente, aludindo ao poder da face de Deus em Êxodo 33:20, & # 8220 Você não pode ver meu rosto porque ninguém me verá e viverá. & # 8221

Assim, assim como acontece com os numerosos cálices alusivos da magia, o Graal está consistentemente conectado aos mistérios da vida e da morte. Na narrativa de Boron, a taça é criada como uma relíquia sagrada no momento da morte de Cristo e serve para preservar a vida de José de Arimatéia até que ele possa trazê-la para a Inglaterra. Em contos posteriores, é dito que reside na Terra da Eternidade, ou Terras Imortais, e oferece uma espécie de Vita Ex Morte- o tipo de morte que Perceval e Galahad recebem é uma morte para a vida eterna. Esse poder é tão evocativo que, nos últimos anos, Glastonbury Tor, famoso por seu papel na história de Joseph de Aramathea e como um possível local para a "Ilha de Avalon", o local de descanso final do Rei Arthur em Geoffrey de Monmouth e Malory - foi pensado como um possível portal para a terra dos mortos ou o Outro mundo (Annwn), um lugar de descanso final adequado do Graal.


Resumo da Origem do Santo Graal de José de Arimatéia

Aqui, você encontrará duas versões diferentes sobre José de Arimatéia e a origem do Santo Graal & # 8211, o poema original de Robert de Boron e a versão posterior da Vulgata sobre a história do Graal, escrita por autor ou autores desconhecidos.

Robert de Boron Joseph d & # 8217Arimathie, c. 1200
Ciclo da Vulgata (Lancelot-Graal) Estoire de Saint Graal, c. 1250

Robert de Boron, na verdade, fez alguns eventos adicionais importantes para o romance do Graal de Chretien e # 8217, bem como para o início da história do Rei Arthur, baseado no trabalho de Geoffrey de Monmouth e # 8217s.

Como você verá depois de ler as duas lendas, você descobrirá que o romance da Vulgata foi apenas vagamente baseado no original do Boron & # 8217. o Estoire de Saint Graal foi na verdade baseado principalmente na trilogia original dos romances da Vulgata, ou seja, o Lancelot Propre e a Queste del Saint Graal.

Observe que originalmente eu não iria fazer uma versão da Vulgata, mas há uma série de diferenças entre o Boron & # 8217s e a versão da Vulgata que eu mereci que as duas histórias fossem contadas.

Genealogia: Casa de Perceval (versão Chretien de Troyes & # 8217)

Esta história é retirada de uma obra intitulada Joseph d & # 8217Arimathie (c. 1200). Foi escrito por um poeta suíço-francês chamado Robert de Boron. Boron provavelmente também era um cavaleiro.

Joseph d & # 8217Arimathie foi o primeiro conto de uma trilogia. As outras duas obras foram chamadas Merlin e Perceval. Merlin é fragmentado, começando com o incrível nascimento de Merlin e terminando com Arthur sendo aceito como rei, após tirar a espada (Excalibur?) da pedra. O resto do poema (Merlin) estava faltando, incluindo a morte do mago.

O ultimo poema Perceval está perdido. Portanto, não temos o conteúdo de Perceval, mas estudiosos medievais e modernos especulam que Didot Perceval (1205) pode ter traduzido o verso de Boron para uma adaptação em prosa. Se você quiser ler mais sobre os antecedentes de Robert de Boron, sugiro que leia Robert de Boron e o Didot Perceval.

Joseph d & # 8217Arimathie era para ser a história do Graal, com José de Arimatéia como personagem principal. O poema foi posteriormente reescrito em prosa, por um dos autores da Vulgata, que foi intitulado Estoire de Saint Graal (& # 8220História do Santo Graal & # 8221, c. 1240).

Há uma grande diferença entre o original do Boron & # 8217s e o posterior Estoire de Saint Graal. Boron manteve sua história simples e muito curta, onde Joseph estava envolvido em trazer o Graal para a Grã-Bretanha.

Enquanto que Estoire de Saint Graal incluiu muitos novos personagens e muitas aventuras que não são encontradas no poema original de Boron & # 8217s. o Estoire também foi dez vezes mais longo do que o trabalho pequeno do Boron & # 8217s. Esses personagens e episódios foram derivados de dois romances originais da Vulgata (1225-1237) - Lancelot Propre (& # 8220Lancelot Adequado & # 8221) e Queste del Saint Graal (& # 8220A busca do Santo Graal & # 8221).

Nesta parte da Origem do Graal, você vai recontar o poema de Boron & # 8217s. Você encontrará Estoire de Saint Graal em minha nova História do Graal da Vulgata.

A história que estou prestes a contar é sobre a história do Santo Graal e como José de Arimatéia tirou seu povo da Judéia. O Graal foi finalmente levado para a Grã-Bretanha pelo cunhado de Joseph e # 8217, Bron.

Robert de Boron fala sobre Jesus na Última Ceia, a crucificação e ressurreição, que seguiu os evangelhos na Bíblia, mais ou menos. Este romance do Graal dá mais ênfase aos papéis desempenhados por Judas Iscariotes, José de Arimatéia e Pôncio Pilatos.

A história de José de Arimatéia e o Graal começou com a Última Ceia.

Judas Iscariotes foi retratado como um homem ganancioso, que traiu Jesus depois da Última Ceia por 30 moedas de prata que recebeu do conselho de sumos sacerdotes judeus.

José de Arimatéia testemunhou a Última Ceia na casa de Simão, em uma quinta-feira à noite. Embora José não se sentasse à mesa com Jesus e os 12 apóstolos, ele secretamente seguiu e amou a Jesus. José viu Jesus lavando os pés de seus discípulos e pedindo aos apóstolos que se lembrassem dele enquanto compartilhava o pão e um copo de vinho (Graal) com os discípulos. Jesus havia dito nos Evangelhos que & # 8220Este é o cálice de Deus & # 8217s a nova aliança selada com meu sangue, que é derramado em você. & # 8221 (Então você pode ver por que Boro decidiu que o Graal deve ser o cálice de a última Ceia.)

Naquela noite, Judas traiu Jesus com um beijo no jardim do Getsêmani. O beijo tinha como objetivo identificar a autoridade judaica. Os apóstolos fugiram com medo da prisão de Jesus. Jesus foi levado perante o conselho judaico de sacerdotes e foi interrogado e espancado. Ele foi então levado perante o governador romano da Judéia, Pôncio Pilatos, a quem foi pedido que Jesus fosse morto. Pilatos se recusou a condenar e executar um homem inocente, mas finalmente concordou, se o conselho judaico assumisse a responsabilidade por isso.

Então Jesus foi crucificado na sexta-feira e morreu na cruz. José ficou chateado com a morte de Jesus e # 8217, então ele apareceu perante o governador romano com um pedido.

José era um cavaleiro e um bom amigo de Pilatos. Visto que Joseph nunca foi pago por seu serviço militar a Pilatos, ele pediu um presente ao governador. Quando José pediu o corpo de Jesus para que pudesse enterrá-lo adequadamente, Pilatos concordou com a bênção.

Os sacerdotes judeus, entretanto, recusaram-se a entregar o corpo de Jesus, porque estavam cientes da predição de Jesus de que ele ressuscitaria em três dias. Eles pensaram que essa afirmação era apenas uma manobra. Eles ameaçaram atacar Joseph. José disse a Pilatos que a autoridade judaica se recusou a entregar o corpo.Pilatos enviou Nicodemos com José para reivindicar o corpo de Jesus.

Nicodemos ajudou José a tirar o corpo de Jesus da cruz. Quando o sangue foi derramado da ferida de Jesus & # 8217, Joseph usou o mesmo copo (graal) que foi usado na Última Ceia, para coletar o sangue. Os dois homens lavaram o corpo, envolveram-no em linho (o Sudário) e colocaram-no no túmulo (caverna). Uma grande pedra bloqueou a entrada.

Os sacerdotes judeus e as autoridades colocaram guardas ao redor da caverna para impedir os discípulos de Jesus de roubar o corpo, porque eles não creram na profecia da ressurreição de Jesus.

Joseph voltou para casa e escondeu o copo com o sangue de Jesus & # 8217 em sua casa.

Antes de Jesus aparecer diante de seus apóstolos, Ele foi para o Inferno e libertou as pessoas virtuosas, incluindo Adão e Eva, e seus descendentes. Jesus deu a redenção a toda a criação de Deus.

Depois de alguns dias, as autoridades notaram que o corpo de Jesus e # 8217 havia desaparecido. Eles pensaram que alguém o havia roubado. Eles planejaram que José e Nicodemos fossem presos e executados. Mas Nicodemos, sabendo de sua trama, escapou e fugiu antes que as autoridades chegassem. Joseph não teve tanta sorte. As autoridades acusaram Joseph de roubar o corpo de Jesus & # 8217 do túmulo. Joseph foi espancado e interrogado e jogado em uma masmorra profunda. Ele foi privado de luz, liberdade, comida e água.

No entanto, quando Jesus apareceu diante de Maria Madalena e seus apóstolos, ele não se esqueceu de José de Arimatéia, que estava definhando na masmorra por sua causa. Jesus apareceu diante de José, carregando o cálice (Graal) que trouxe brilho para sua cela escura.

Jesus deu o cálice, que seria chamado de Graal, para a custódia de José. O Graal forneceria o sustento a Joseph. Jesus explicou o propósito de sua vida na terra e o segredo do Graal a José e disse-lhe que não o libertaria de sua prisão até que chegasse o momento certo.

Então Joseph vivia na masmorra, esperando pacientemente na escuridão por sua liberdade. A cada dia, uma pomba depositava uma hóstia na xícara e ele a comia. Seu nome foi esquecido com o passar dos anos.

Foi assim que as coisas permaneceram até que um certo peregrino viajou para Roma, cerca de 35 anos depois. O peregrino havia testemunhado o ministério e milagres de Jesus na Judéia. Em Roma, o imperador Tito teve um filho chamado Vespasiano, que sofria de lepra.

(Eu sei, eu sei. Boro errou na ordem, não eu. Segundo a história romana, Vespasiano era o pai e Tito era o filho. Vespasiano estava no comando do exército, que sufocou a rebelião na Judéia, antes de se tornar imperador em 69 DC, após a morte de Nero & # 8217 no ano anterior. Tito assumiu o comando do exército romano, que implacavelmente sitiou e capturou Jerusalém em 70 DC. Vespasiano reinou por 10 anos, enquanto seu filho governou por apenas 2 anos. O filho mais novo de Vespasiano, Domiciano governou após a morte de Tito & # 8217. O próprio pai de Vespasiano chamava-se Flávio Sabino, um cobrador de impostos romano.)

Tito ouviu do peregrino sobre o ministério extraordinário de Jesus e sua capacidade de curar os enfermos. O imperador decidiu enviar um enviado ao governador romano da Judéia, Pilatos, para descobrir a verdade. Tito esperava que o enviado pelo menos encontrasse um objeto pertencente a Jesus que curasse seu filho.

O mensageiro chegou à Judéia, onde ouviu o relato do próprio Pilatos sobre os eventos da prisão e morte de Jesus. O mensageiro descobriu que Pilatos foi forçado a permitir que Jesus fosse crucificado. O mensageiro também descobriu que os judeus eram mais culpados pela morte de Jesus & # 8217 do que Pilatos.

O mensageiro logo soube que havia uma mulher que tinha um pano que poderia curar o filho do imperador. A mulher se chamava Verônica. Quando Jesus carregava a cruz pelas ruas de Jerusalém, ela havia usado linho limpo para limpar o sangue e o suor de Seu rosto. Isso deixou uma impressão permanente do rosto de Jesus & # 8217 no pano (mortalha).

Verônica não estava disposta a dar ou vender seu bem mais precioso ao mensageiro, mas estava disposta a levá-lo a Roma para curar o filho do imperador.

Verônica viajou para Roma com o mensageiro. O próprio Tito trouxe o linho para seu filho, e Vespasiano foi imediatamente curado assim que viu a mortalha. Tanto o imperador quanto o filho ficaram maravilhados e recompensaram Veronica ricamente. Mas Vespasiano ficou zangado quando soube que os judeus eram os responsáveis ​​pela morte de Jesus & # 8217. Ele estava determinado a ir para a Judéia e punir os responsáveis ​​pela morte de Jesus & # 8217.

O imperador e Vespasiano encontraram Pôncio Pilatos, que lhes disse para colocá-lo na prisão e descobrir pelos judeus quem foi o responsável pela morte de Jesus.

Quando Vespasiano disse aos judeus que estava segurando Pilatos, eles ficaram maravilhados e responderam a todas as perguntas do filho do imperador, esperando que o governador fosse executado, sem perceber o verdadeiro propósito de Vespasiano. Eles lhe disseram que, quando exigiram a morte de Jesus de Pilatos, Pilatos recusou, a menos que eles admitissem sua responsabilidade por essa morte ao senhor de Pilatos. Vespasiano ouviu isso e ficou totalmente desgostoso com os judeus. Vespasiano imediatamente condenou os judeus à morte. Nenhum homem, mulher ou criança foi poupado.

Um dos judeus ficou consternado por estarem sendo executados, implorou por sua vida, e pela de sua esposa e filhos, em troca de revelar onde José de Arimatéia estava confinado. Vespasiano concordou em poupá-lo. O judeu o levou para a masmorra, mas disse a Vespasiano que Joseph devia ter morrido de fome há muito tempo. Ele não tinha recebido comida ou água, desde que foi jogado na masmorra.

Este judeu levou Vespasiano para onde José de Arimatéia havia sido preso. Vespasiano entrou na prisão escura e encontrou Joseph na parte mais profunda da masmorra. José estava com ótima saúde e cumprimentou Vespasiano pelo nome.

José foi libertado por Vespasiano. Os judeus sobreviventes acreditavam que era um milagre que José tivesse sobrevivido na masmorra sem comida e água. O judeu que revelou o confinamento de Joseph & # 8217s foi poupado junto com sua família, mas enfrentou o exílio. Vespasiano vendeu os outros judeus sobreviventes como escravos. Ele poupou os judeus sobreviventes que estavam dispostos a seguir os ensinamentos de Cristo por causa de Joseph & # 8217s.

Joseph contou ao filho do imperador sobre a Criação, como Adão e Eva romperam seu convento com Deus, mas como, com a própria morte e ressurreição de Jesus, Ele trouxe a redenção a todos os que estavam dispostos a seguir e seguir seus ensinamentos. Jesus redimiu a obra da criação e permitiu que Adão e Eva ressuscitassem junto com outras pessoas virtuosas. Vespasiano acreditou em tudo o que José havia dito e se converteu ao cristianismo. Joseph e Vespasian tornaram-se amigos.

(Eu gostaria de fazer uma nota final. De acordo com o apócrifo Evangelho de Nicodemos ou o Atos de Pilatos, Joseph foi preso e guardas foram colocados ao redor da masmorra onde ele foi mantido. Quando a autoridade judaica decidiu matar José, eles descobriram que ele havia desaparecido. Ele foi um prisioneiro por apenas alguns dias.)

Fontes José de Arimatéia (c. 1200) foi escrito por Robert de Boron.

Estoire de Saint Graal (História do Santo Graal) vem do Ciclo da Vulgata, c. 1240.

Os quatro Evangelhos são encontrados no Bíblia.

o Evangelho de Nicodemos (ou o Atos de Pilatos) é um texto apócrifo.

Guerra judaica (final do século 1 aC) foi escrito por Flavius ​​Josephus.

Anuais e a Historiae (109 DC) foram escritos por Tácito.

José de Arimatéia
Lord Leighton
Óleo sobre tela

Eles viajaram para uma terra distante (onde ficaram, Boron não diz, mas de acordo com a versão da Vulgata, Estoire de Saint Graal - & # 8220História do Santo Graal & # 8221, eles foram ao Egito primeiro). Joseph continuou a pregar para seu povo, e por um tempo a comunidade deles prosperou. Principalmente eles labutavam na terra cultivando colheitas e criando ovelhas e gado.

No entanto, a fome atingiu sua pequena comunidade, e Boron diz que foi causada por alguém que cometeu o pecado da luxúria, que causou sofrimento e miséria a toda a comunidade. Eles trouxeram seus problemas para Bron (Hebron), cunhado de Joseph e # 8217s, que por sua vez pediu ajuda a Joseph.

Joseph orou a Deus antes do Santo Vaso (Graal), e Joseph teve outra visita de Jesus. Jesus disse-lhe que não tinha feito nada de errado. Um membro da comunidade havia pecado. Jesus deu instruções a Joseph sobre o que fazer.

Então Joseph construiu uma nova mesa, em memória da mesa da Última Ceia. Joseph enviou Bron para pegar um único peixe, que Joseph preparou. Joseph então colocou o prato de peixe, ao lado do Graal, no centro da mesa.

Joseph chamou todas as pessoas para comparecerem e pediu-lhes que se sentassem. Apenas doze pessoas que podem perceber as maravilhas à mesa, puderam se sentar. A mesa foi preenchida com todos os alimentos que cada pessoa deseja. Joseph sentou-se no assento que representava o assento que Jesus tomou na Última Ceia, enquanto Boron sentou-se à direita de Joseph, mas um assento de distância. Bron não se aproximou, porque Bron podia sentir perigo do assento. O assento entre esses dois homens estava vago, e este assento representava o assento do traiçoeiro Judas Iscariotes (este assento era geralmente chamado Cerco perigoso ou o & # 8220Perilous Seat & # 8221).

Os doze homens desfrutaram de todo tipo de comida. Eles tinham permissão para ver a comida, da qual gostavam, porque cada pessoa era um homem virtuoso, e apenas os homens virtuosos podiam sentar-se na presença do Graal, então eles desfrutaram da graça especial de Deus.

O resto da comunidade não percebeu a graça de Deus e não viu comida à mesa. Um dos homens à mesa, chamado Petrus, perguntou-lhes sobre isso. Então Petrus percebeu que os outros não desfrutavam da graça de Deus por causa de seus pecados. Ao ouvir isso, a comunidade angustiada sentiu-se envergonhada e saiu da companhia sagrada. Antes de partirem, eles descobriram que o Vaso Sagrado era chamado de Graal de Petrus. (Petrus é outro nome para Pedro, mas não tem nada a ver com o apóstolo Simão Pedro. Na versão da Vulgata, Pedro era o nome usado.)

Apenas um deles se recusou a deixar a empresa de Joseph. Seu nome era Moisés (o Didot Perceval (c.1210), chamou-o de Moys). Moisés queria sentar-se com José e os outros onze homens. Moisés chorou e implorou que lhes fosse permitido sentar-se com eles. As outras pessoas na companhia tiveram pena de Moisés, pediram a José em nome de Moisés, pelo assento que foi deixado vago. Joseph disse-lhes que não estava em seu poder escolher quem se sentaria à mesa. Então, naquela noite, José orou novamente a Deus, e o Espírito Santo respondeu que eles testemunhariam o que aconteceria se qualquer pessoa indigna tentasse sentar-se diante do Graal por engano.

Então, José deu a Moisés um aviso justo de que se ele não era digno da graça de Deus, então seria melhor para ele ir embora, em vez de sentar-se entre eles. Moisés ficou emocionado por ter permissão para sentar-se entre eles, onde compartilharia o privilégio e o êxtase com os companheiros do Graal.

Quando Joseph e seus companheiros se sentaram, observaram Moisés sentar-se na única cadeira disponível para ele, entre Joseph e Bron - o assento que representava o assento de Judas Iscariotes. Moisés foi totalmente destruído por algumas forças invisíveis. Isso assustou os onze companheiros de Joseph. Eles imploraram a seu líder que destino visitara Moisés.

Joseph orou por seus companheiros. Mais uma vez, Jesus informou ao seu discípulo amado que o assento representava a traição de Judas, que o traiu. Qualquer um que ousasse também seria destruído. Apenas o futuro neto do Bron & # 8217s ocuparia este lugar e viveria. Moisés havia sido lançado no abismo até o momento em que o homem que estaria destinado a sentar-se neste lugar perigoso o libertaria.

Bron e Enygeus tiveram doze filhos nobres. Quando chegaram à idade adulta, Enygeus pediu a seu marido que procurasse o conselho de seu irmão a respeito do futuro. Então Bron perguntou a seu cunhado sobre seus filhos. Joseph orou novamente e, desta vez, um anjo o visitou. Joseph seguiu as instruções dadas a ele.

Joseph disse a Bron que se algum de seus filhos desejasse se casar, eles deveriam fazê-lo, mas se um de seus filhos decidisse não se casar, ele seria o escolhido para segui-lo e Joseph seria responsável pelo ensino de seu sobrinho. . Além disso, este filho de Bron deve governar seus onze irmãos. Em algum momento no futuro, seu sobrinho se casaria e teria um filho, que se tornaria o maior cavaleiro do mundo (Perceval), e aquele destinado a sentar-se no Trono Perigoso da Távola Redonda (o trono que representa Judas).

Todos os filhos de Bron & # 8217s ficaram encantados e se casaram, exceto o mais novo, chamado Alain le Gros (Alan), que não desejava casar-se, como o anjo havia predito. Então, Bron e Enygeus ficaram maravilhados e entregaram Alain aos cuidados de Joseph & # 8217s. Joseph seria o responsável pela educação de Alain & # 8217s, especialmente quando Jesus visitou Joseph na masmorra, revelando os segredos do Graal. Alain também conhecia os segredos.

No dia seguinte, quando Joseph e seus companheiros estavam participando de seus serviços diários antes do Graal, eles tiveram uma visita breve e radiante, que entregou uma carta a Joseph. José chamou Petrus (Pedro) e disse-lhe que ele deveria ler esta carta, e partiu em uma longa jornada, para onde quisesse.

Como o anjo havia predito anteriormente, Petrus sabia exatamente para onde deveria ir. Petrus disse a seus amigos que iria para o oeste e se estabeleceu no Vale de Avalon. Petrus estava fadado a viver uma vida longa, esperando o homem (Perceval, novamente), que viria e leria a carta divina. Só então Petrus teria permissão para morrer e se juntar a Jesus no Paraíso.

Após o casamento dos onze filhos de Bron & # 8217s, Bron deu a seu filho mais novo a responsabilidade e liderança sobre os irmãos e irmãs de Alain & # 8217s. Eles também procuram um novo lar no Ocidente, deixando para trás a mãe e o pai. Alain pregou sobre Jesus em cada terra para a qual viajou.

Então Petrus partiu no dia seguinte, deixando seus amigos para trás, ele rumou para o oeste, em direção à Grã-Bretanha.

Finalmente Joseph contou a Bron sobre seu outro plano envolvendo ele e seu cunhado (mais instruções do anjo, enviado por Jesus). O cunhado dele sendo um homem bom, então ele seria para sempre conhecido como o Pescador Rico (ou Pescador Rico), porque foi ele quem pegou o peixe, para a empresa em torno da Mesa do Graal. José deveria ensinar tudo o que sabia sobre seu encontro com Jesus na masmorra, especialmente os segredos do Graal.

Depois de ensinar tudo a seu cunhado, Joseph deu o Graal a Bron.

Então Bron levou todo o seu povo que havia ficado para trás com ele, também indo em direção ao oeste. Bron mudou-se para algum lugar na Grã-Bretanha, onde se estabeleceria e esperaria pacientemente por um reencontro com seu filho, Alain. Então Bron deu o Graal para seu filho (Alain), que no final daria o Vaso Sagrado para seu próprio filho, Perceval.

Nesse ponto, o tempo de Joseph na terra chegaria ao fim. José morreu e foi levado para o céu.

Como eu disse antes na introdução da origem do Graal, o próximo trabalho do Boron & # 8217s foi Merlin, então seguido por Perceval. Apenas uma parte incompleta de Merlin tinha sobrevivido, mas Boron & # 8217s Perceval está perdido.

Fontes José de Arimatéia (c. 1200) foi escrito por Robert de Boron.

Estoire de Saint Graal (História do Santo Graal) vem do Ciclo da Vulgata, c. 1240.

Os quatro Evangelhos são encontrados no Bíblia.

o Evangelho de Nicodemos (ou o Atos de Pilatos) é um texto apócrifo.

Guerra judaica (final do século 1 aC) foi escrito por Flavius ​​Josephus.

Anuais e a Historiae (109 DC) foram escritos por Tácito.

Por volta de 1227-1235, uma grande compilação da trilogia sobre Lancelot e o Graal foi concluída por um escritor ou escritores franceses desconhecidos. Ele continha originalmente apenas três textos, conhecidos como o Ciclo da Vulgata ou o Ciclo Lancelot-Graal e seus títulos eram -

  • Lancelot (Lancelot Proper)
  • Busca do Santo Graal (Queste del Saint Graal)
  • Morte do Rei Arthur (Mort de roi Artu)

No romance do Graal do Busca, o escritor freqüentemente se referia ao passado em uma série de subtramas, que foram ambientadas na época de José de Arimatéia. Era diferente da simples história de José de Arimatéia, contada por um poeta francês chamado Robert de Boron.

Essas subtramas do Busca permitiu que pacientes estudiosos reunissem a origem da história do Graal. Adicionou novos enredos e cenas, que retrabalharam completamente o conto original de Boron & # 8217 de uma forma que era quase imperceptível. The Quest também adicionou uma série de novos personagens, como Josephus, Mordrain (Evalach), Nascien (Seraphe) e muitos mais. Isso porque Sir Galahad, filho de Lancelot, era um novo herói do Graal, que substituiu Sir Perceval.

No entanto, duas novas narrativas em prosa foram escritas uma ou duas décadas depois, que substituiriam as versões do Boron & # 8217s sobre José de Arimatéia e Merlin.

A versão da Vulgata de José de Arimatéia foi chamada L & # 8217Estoire du Graal (História do Graal) foi baseada mais na Vulgata Queste del Saint Graal do que o boro & # 8217s Joseph d & # 8217Arimathea. Aqui, José de Arimatéia não era mais o personagem principal na origem do Graal. Foi o filho de Josephus, Josephus, que assumiu seu papel de guardião do Graal. A versão da Vulgata também foi em grande parte as aventuras de Mordrain e seu cunhado Nascien. No lado da família de Lancelot & # 8217, o ancestral de Galahad & # 8217 era Nascien, um poderoso cavaleiro sarraceno que se tornou cristão.

Considerando que a Queste del Saint Graal pule do presente para o passado e, em seguida, de volta para o presente, o novo conto da Vulgata (L & # 8217Estoire du Graal), conta toda a história de José e a chegada do Graal como uma narrativa única e completa.

(Observe que quando mencionei cidades como Babilônia e Bagdá, estou me referindo às cidades egípcias. Os autores medievais não eram muito fortes com a geografia.)

O verso de Boron & # 8217s em Joseph d & # 8217Arimathie é uma narrativa curta, bastante simples e de estilo ingênuo. Enquanto a Vulgata Estoire era mais longo, com muito mais detalhes e refinados do que o Boron & # 8217s.

Existem duas diferenças principais neste episódio. A breve introdução do filho de Joseph e o que aconteceu depois que Jesus foi traído e preso.

Pouco depois de Judas Iscariotes ter traído Jesus após a Última Ceia, José de Arimatéia visitou esta sala e encontrou o prato (mais tarde foi descrito como tigela). Este prato era para servir o cordeiro pascal. Joseph o valorizou acima de tudo, levou este prato para casa e talvez o tenha colocado sobre a lareira.

(Não que este prato, tigela ou xícara não tenha sido chamado de Graal, até mais tarde. Boron disse que era uma xícara.)

José de Arimatéia morava em Jerusalém havia sete anos com sua esposa e filho, Josefo, um menino de apenas um ano e meio de idade. De acordo com esses romances do Graal, ele serviu a Pilatos como cavaleiro, além de ser amigo do governador. José era um homem devoto e um seguidor secreto de Jesus.

Os judeus que odiavam Jesus ficaram zangados ao saber que José de Arimatéia havia enterrado o corpo de Jesus. Eles o sequestraram secretamente, colocado em uma masmorra na fortaleza de Caifás, a sete léguas de Jerusalém.

Em Roma, o novo imperador Tito procurava desesperadamente por uma cura para a lepra de seu filho. Um cavaleiro retornando para informar ao imperador que Jesus tinha poderes para curar os enfermos, mas quarenta e dois anos atrás, os judeus o haviam executado injustamente. O cavaleiro voltou para a Judéia e depois voltou com uma velha, chamada Verônica, que tinha um pano que usou para limpar o suor do rosto de Jesus. Com este pano da Verônica & # 8217, Vespasiano foi curado de sua lepra.

Vespasiano foi à Judéia para saber mais sobre Jesus, que no devido tempo, ele descobriu José de Arimatéia, definhando na masmorra. Joseph sobreviveu na masmorra porque o Jesus ressuscitado deu o Graal a Joseph. José ficou confuso quando Vespasiano veio a ele na prisão para libertá-lo, ele não percebeu que 42 anos se passaram, não 3 dias. Pelo poder do Graal, Joseph não envelheceu.

Vespasiano executou os responsáveis ​​pela morte de Jesus & # 8217. Apenas Caifás escapou da morte nas mãos de Vespasiano, porque o príncipe havia prometido. No entanto, Vespasiano ainda o puniu: Caifás foi colocado no barco a remo e colocado à deriva no mar, se sobreviver, foi a vontade de Deus.

Queste del Saint Graal, c. 1230 (Ciclo Vulgate).

Antes de Vespasiano retornar a Roma, José teve outra visão de Jesus, onde foi instruído a deixar a Judéia e seguir para o oeste, para pregar nas terras dos pagãos sobre Cristo. Ele deveria levar qualquer um que o seguisse, e deveria trazer o Graal com ele. Setenta e cinco pessoas seguiram Joseph para fora da Judéia, com cerca de metade da família e amigos de Joseph, o restante eram conversos.

José e seus seguidores chegaram a Sarras, uma cidade no Egito, governada pelo rei pagão Evalach. A tarefa de Joseph Smith era ajudar seu filho a converter Evalach e o povo de Sarras. Jesus investiu Josefo como bispo.

Evalach era marido de Sarrasinte, irmã de Seraphe, o fiel senescal de Evalach. No início do reinado de Evalach, ele governou todo o Egito, mas agora que estava mais velho, seus inimigos, como Tholomer, começaram a ganhar e anexar os territórios de Evalach. Na época da chegada de Joseph & # 8217, Tholomer estava sitiando seu castelo de Evalachin. (Claro, o escritor ignorou o fato de que o Egito era uma província do Império Romano.)

Evalach não tinha certeza se acreditava na pregação de Josefo e # 8217. Evalach concordou em se converter ao cristianismo, se o deus dos cristãos pudesse ajudá-lo a vencer sua guerra contra Tholomer. Joseph usou fitas vermelhas para fazer o sinal da cruz no escudo branco do Evalach & # 8217s, antes de cobri-lo. Josefo instruiu Evalach a descobrir seu escudo apenas quando sentir que estava em perigo mortal de perder a vida ou a batalha, mas apenas no terceiro dia na batalha contra Tholomer, só então Evalach ganharia sua guerra.

Então, no primeiro dia de batalha, Evalach estava tentando libertar seu castelo sitiado de Evalachin, Evalach foi derrotado e forçado a recuar. Evalach reuniu suas forças, quando ele se juntou a Seraphe, seu cunhado.

No terceiro dia, a batalha foi muito violenta e ninguém lutou melhor do que Seraphe, cuja destreza e valor eram insuperáveis, mas não foi o suficiente para derrotar o exército maior de Tholomer. Tholomer havia capturado Evalach e estava liderando sua própria linha quando Evalach, temendo essa desonra, descobriu seu escudo pela primeira vez. Na cruz vermelha, uma figura de Cristo pode ser vista como se ele tivesse sido crucificado.

Imediatamente, um Cavaleiro Branco cavalgou para fora da floresta e desmontou Tholomer. Com Tholomer indefeso, Evalach conseguiu fazer com que seu inimigo se rendesse e se tornasse seu prisioneiro. Apesar da rendição de Tholomer & # 8217, a batalha continuou a acirrar. Com a ajuda do Cavaleiro Branco, eles resgataram Seraphe e derrotaram os egípcios. O Cavaleiro Branco partiu após o fim da guerra, para grande decepção de Evalach e Seraphe, que queriam saber quem era seu salvador.

De volta a Sarras, a esposa de Evalach revelou a Josefo que ela e sua mãe haviam se convertido secretamente ao cristianismo há um tempo, antes da chegada de Joseph. Sarrasinte prometeu persuadir seu marido se Josefo pudesse ajudar o rei a vencer sua guerra contra Tholomer.

No retorno do exército vitorioso a Sarras, Evalach e Seraphe foram batizados. Evalach mudou seu nome para Mordrain, enquanto Seraphe agora se chamava Nascien. Josefo revelou o vaso sagrado aos cristãos recém-batizados. Nascien, admirando-o, foi ele quem deu o nome & # 8220Grail & # 8221 ao navio.

Queste del Saint Graal, c. 1230 (Ciclo Vulgate).

Galafre acusou Nascien (Seraphe) pelo desaparecimento de seu rei & # 8217s, prendendo Nascien e seu filho Celidoine. Quando uma mão pegou Nascien e o levou embora, Galafre decidiu matar o filho de Nascien: ele mandou jogar Celidoine para fora da ameia. Um novo milagre aconteceu. Em vez de cair para a morte, nove mãos o levaram para longe. Por sua traição, um fogo do céu destruiu a torre, matando Galafre.

Nascien encontrou-se na Ilha Giratória no Mar Ocidental. Foi aqui que ele embarcou em um navio deserto e não tripulado com uma grande e bela cama. O navio o avisou que qualquer pessoa que não tivesse verdadeira fé no Deus de Israel não deveria embarcar. Na cama ele encontrou uma espada que tem inscrição no punho e na bainha. Ninguém pode desembainhar a espada sem ferir ou morrer, se não for o escolhido (Galahad).

Como Nascien não tinha muita fé, o convés se abriu e ele caiu na água. Nascien teve que nadar até a praia. Outro navio chegou, onde o capitão disse a Nascien o significado do navio, cama e espada. O navio foi construído pelo rei Salomão de Israel para o descendente final de Nascien, profetizando sobre um bom cavaleiro chamado Galahad. Foi uma das esposas sábias de Salomão que deu instruções sobre como construir o navio e a cama. Os três postes de madeira pintados ao redor da cama vieram do galho que Eve puxou da Árvore do Conhecimento. Salomão deixou a espada de seu pai na cama com um estranho cinto de espada. O pai de Salomão não era outro senão o Rei Davi.

Celidoine também foi levada para uma ilha, mas diferente, na qual Nascien estava preso. Dois navios chegaram e Celidoine foi levada para ver o Rei Label da Pérsia. Label conhecia Evalach (Mordrain), porque Label recebeu o título de cavaleiro de Evalach. Embora Label gostasse de Celidoine, querendo que o jovem se casasse com sua filha, ele não gostava de cristãos. O rei não acreditou que o milagre de Celidoine escapou de Galafre. Label queria converter Celidoine à sua religião pagã, mas naquela noite ele teve uma visão terrível. Celidoine interpretou a visão do rei de que morreria em breve. A Celidoine também revela um profundo segredo da Label. Label matou secretamente sua própria irmã, já que ela se recusou a dormir com ele. Ninguém sabia de sua tentativa de cometer incesto, e ninguém sabia que ele a havia assassinado & # 8211 até agora.

Na noite seguinte, Label teve outro sonho, que Celidoine descreveu e interpretou sem que o rei lhe contasse. Em seu sonho ele viu sua irmã, a quem ele havia assassinado, se divertindo na Cidade Alta (céu), mas ele não pôde entrar, por causa de sua crença na religião pagã e por causa de seu pecado. Celidoine disse ao rei que sua irmã era cristã, sem o conhecimento do Label & # 8217s.

King Label atendendo à mensagem de Celidoine & # 8217s sobre Cristo, encontrou um eremita e foi batizado. Label exortou seu povo a também se converter ao cristianismo, mas eles se recusaram a mudar de religião. Label ficou com o eremita até ele morrer. Apesar da conversão do Label & # 8217s, seu povo não se converteu e eles estavam com raiva de Celidoine por causa da morte de seu rei. Eles forçaram o Celidoine a subir em um pequeno barco sem leme e o colocaram à deriva no mar. Neste barco também colocaram um leão selvagem, que capturaram dias antes. Sem medo, Celidoine previu sua condenação, quando tentaram deixar a ilha. Mas ele foi resgatado pelo navio não tripulado com a bela cama do mesmo navio em que seu pai embarcou antes. O navio levou Celidoine para uma ilha, onde se reuniu com seu pai.

Nascien estava lutando contra um gigante, com aquela espada que ele havia encontrado na cama. Esta espada se partiu em duas, conforme previsto nas inscrições na bainha. Nascien conseguiu encontrar e usar outra espada, que feriu o gigante. Nascien embarcou no navio com seu filho e levando a lâmina quebrada com ele.

Eles chegaram a outra ilha, onde resgataram seu rei e # 8211 Mordrain. Conforme predito na bainha, um rei restauraria a espada simplesmente juntando as duas metades da lâmina. Mordrain juntou as duas pontas quebradas da lâmina e a espada de Davi foi restaurada, como se nunca tivesse sido quebrada. Depois disso, uma voz disse-lhes que deixassem o navio. Assim, o rei com Nascien e Celidoine desembarcam do navio. Ou Nascien deixou o navio muito devagar ou tocou a espada de David quando não deveria, porque um anjo com uma espada flamejante perfurou o ombro esquerdo de Nascien. Tanto seu filho quanto o rei ficaram angustiados porque Nascien foi ferido e pode morrer. Nascien assegurou-lhes que viveria e que seria punido com justiça por desembainhar a espada.

Após a morte de Galafre, a rainha Sarrasinte enviou cinco mensageiros para descobrir para onde seu irmão havia desaparecido. Flegetine, esposa de Nascien & # 8217s, também deixou Sarras para procurar por ele e seu filho. Os cinco mensageiros procuraram por Nascien por algumas vezes, sem encontrar nenhum vestígio ou notícia sobre o paradeiro de Nascien, até que o mensageiro mais jovem teve uma visão de José de Arimatéia dirigindo-se ao navio perto da Grécia. Os mensageiros partiram pelo mar, onde um deles morreu de calor.

Eles chegaram a outro navio onde encontraram todos mortos, exceto a filha de King Label. A filha da gravadora revelou que, conforme predito por Celidoine, seu povo foi morto em uma emboscada. Eles prometeram ajudá-la e protegê-la se ela se tornasse cristã, o que ela concordou. Os mensageiros retiraram os corpos do navio e enterraram os corpos.

Enquanto eles dormiam no navio, ele flutuou silenciosamente até que se quebrou contra a rocha, na costa da ilha. Mais dois mensageiros morreram. Os sobreviventes encontraram uma casa em ruínas na colina que pertencera a Hipócrates, que se casou com uma mulher que não o amava e causou sua queda. A casa agora estava deserta depois que o rei da Babilônia a destruiu.

Por três dias eles não comeram. A princesa reclamava de suas dificuldades, porque ela era apenas uma menina. Eles tiveram uma visitação muito estranha: um homem muito alto, com a pele negra como tinta. Eles recusaram sua ajuda, quando ele apenas pediu uma homenagem, porque temem que ele possa ser um demônio. Outra visitante que se ofereceu para ajudá-los era uma mulher rica em um belo navio, mas eles se recusaram a homenageá-la também, porque ela era uma pagã.

Foram finalmente resgatados por um velho, que se encontrava num barco sem leme que tinha um leão enjaulado, era o mesmo barco em que se encontrava Celidoine. Aceitam a oferta do velho, pois sabia que os mensageiros procuravam o seu senhor Nascien. O velho também lhes disse que este barco os levaria direto para o navio, que o rei Mordrain, Nascien e Celidoine estavam a bordo.

Tudo o que o velho disse a eles era verdade, e os dois mensageiros finalmente encontraram Nascien a bordo do navio.

Quando o navio chegou ao porto de um castelo de Brauch, eles tiveram uma estranha visita, onde viram um homem de hábito branco, literalmente caminhando sobre as águas. Este homem, chamado Hermoine, curou o ombro ferido de Nascien. Hermoine também instruiu Celidoine a embarcar em um pequeno barco, que chegou. Nascien & # 8217s cura Celidoine deve ir onde quer que o barco o levasse. O barco levou Celidoine para a Grã-Bretanha, onde encontrou o caminho para o Castelo de Galafort e tornou-se amigo do duque Ganor. O duque maravilhou a fé do menino em Cristo e decidiu se converter quando Josefo lideraria seu povo para a Grã-Bretanha.

Alguns dias depois, Josefo conduziu seus seguidores até o mar, mas não havia navios à vista. O povo temeu que não fosse capaz de atravessar. Uma voz instruiu que Joseph deveria tirar sua roupa de baixo e seu pai pisar em cima dela. A túnica de baixo manteve Joseph acima da água como se ele estivesse em terra firme. Josefo pediu que outros pisassem e, com cada nova pessoa em pé em cima do pano, o pano se esticou e cresceu até segurar 150 pessoas em uma única túnica.

Os demais, que ignoraram a proibição de Josephus & # 8217 de manter a castidade e não dormir com suas esposas, não foram autorizados a ir com eles por este meio. Duas pessoas, uma chamada Simeão, a outra era o filho de Simeão, Moisés, tentaram pisar na túnica e se juntar a eles, mas imediatamente caíram na água. Josefo repreendeu Simeão e seu filho pelo engano de tentarem se juntar à sagrada companhia.

Josefo disse às outras pessoas que ficaram para trás por causa de seus pecados que deveriam esperar na praia até que Nascien chegasse com um navio para levá-los para a Grã-Bretanha. E Nascien chegou no dia seguinte. Os pecadores também alcançaram a Grã-Bretanha, mas a jornada durou mais do que a jornada de Josefo & # 8217. Josephus e sua companhia levaram apenas algumas horas antes de chegarem à costa da Grã-Bretanha & # 8211, pouco antes do sol nascente. Eles se juntaram a Josefo novamente, e Nascien ficou encantado em ver seu amigo novamente.

Todo o grupo seguiu Josefo até chegar ao Castelo de Galafort e ver a bandeira da cruz vermelha, maravilhada com o sinal dos cristãos na Grã-Bretanha. Aqui, Nascien encontrou seu filho. Celidoine persuadiu o duque Ganor a aceitar a nova religião do cristianismo. Com a chegada de Josefo, Ganor foi batizado. Aqueles que se recusaram a se converter com seu duque, deixaram o Castelo de Galafort, mas se afogaram não muito longe da torre do castelo. Josefo instruiu Ganor a enterrar os corpos na planície perto do mar e construir uma torre, que será conhecida como Torre das Maravilhas. Esta torre permanecerá de pé até que a busca do Graal termine e Arthur tenha partido.

Foi enquanto eles estavam quase concluindo a capela desta torre, que Elyab deu à luz um segundo filho, a quem Joseph chamou de Galahad para não ser confundido com Sir Galahad.

A conversão do duque Ganor fez dele muitos inimigos entre seus vizinhos. Entre eles estava o senhor feudal de Ganor & # 8217, o rei de Northumberland, que atacou o Castelo de Galafort com seu exército, mas com a ajuda de Nascien, eles derrotaram o exército de Northumberland e mataram os Rei.

A vitória durou pouco, porque o rei Crudel de Gales do Norte capturou José e Josphus quando eles saíram para pregar entre os pagãos. Jesus apareceu no sonho de Mordrain & # 8217, em que o rei deve deixar Sarras para resgatar José e seu filho. Mordrain não apenas levou seu exército para a Grã-Bretanha, mas também sua esposa, esposa de Nascien e filha de King Label & # 8217.

Mordrain juntou-se a Nascien e Celidoine, e juntos eles derrotaram o Rei Crudel e libertaram Josephus. Após a vitória, eles compareceram à missa, onde Mordrain foi derrubado por estar muito perto do Graal. Mordrain perdeu a visão e as forças.

Apesar de o Graal punir o rei, Mordrain não perdeu a fé de que sua visão seria restaurada um dia, então ele não abandonou a religião que havia adotado. Embora fosse cego e sem forças, Mordrain viveria uma vida muito longa, onde conheceria o último descendente de Nacien, Sir Galahad. Em grande compaixão pelo velho rei, Galahad iria confortá-lo e restaurar sua visão. Mordrain morreria nos braços de Galahad. Veja Pai e Filho na Lenda do Graal de Galahad & # 8217s.

Sarrasinte soube da condição de seu marido e ela estava angustiada. Todos lamentaram pelo rei cego. Quando o exército retornou ao Castelo de Galafort, eles descobriram que Mordrain não tinha forças nem para montar em seu cavalo.

Uma semana depois de retornar ao Castelo de Galafort, Celidoine casou-se com Sarrasinte, filha do King Label & # 8217s. Celidoine também recebeu o reino de North Wales, e eles teriam um filho, a quem deram o nome de Nascien, o menino recebeu o nome de seu avô.

Camelot foi governado pelo Rei Agrestes & # 8211 um traiçoeiro e cruel dos reis sarracenos. Quando viu muitos de seus súditos se convertendo a essa nova fé, ele ficou com raiva. Com seus homens leais às religiões pagãs, eles fingem aceitar o Cristianismo como sua nova fé e foram batizados, mas eram falsos cristãos.

Todo o reino de Camelot se converteu. Quando Josefo deixou a maior parte de sua família e seguidores, ele deixou doze de seus parentes. Alguns dias depois, Agrestes prendeu os doze parentes de Josefo exigindo que eles abandonassem a Cristo e aceitassem os deuses pagãos. Eles recusaram. Agrestes levou esses prisioneiros para fora, onde Josefo mandou erguer uma grande cruz branca. Agrestes amarrou a esta grande cruz, então esmagou seus cérebros com sua maça.

Quando Agrestes voltou para sua cidade depois de assassinar os cristãos, ele enlouqueceu, estrangulando seus próprios filhos, esposa e irmão. Agrestes também começou a comer as próprias mãos. Ele estava tão louco que quando viu um grande forno, ele pulou no fogo e morreu.

Os súditos, que testemunharam os mártires e o assassinato da família do rei, ficaram com medo de enviar um mensageiro a Josefo para enterrar seus parentes. Josefo correu de volta para Camelot, tirou os corpos da cruz e enterrou-os. Josefo ordenou que a grande cruz fosse lavada, mas o sangue manchou a cruz para sempre, então agora era uma cruz negra. Josefo também ordenou ao povo de Camelot que derrubasse o templo pagão, o maior desse tipo na Grã-Bretanha, e mandou construir uma igreja em seu lugar, dedicada a Santo Estêvão.

Josefo novamente deixou Camelot e se deparou com uma colina, conhecida como a colina gigante & # 8217s, onde construíram uma mesa. A mesa tinha apenas treze lugares, mas apenas Josefo e seus parentes devotos foram autorizados a sentar-se em doze desses lugares, deixando um lugar vazio.

Pedro (ou Petrus no conto de Boro de José de Arimatéia), um parente de Josefo, perguntou por que ele não pede a alguém para sentar no lugar vago. Josefo respondeu que o assento estava reservado para o Cavaleiro do Graal (Galahad), porque simbolizava a sede de Jesus (de acordo com Robert de Boron, era a residência de Judas Iscariotes). Ninguém poderia sobreviver sentado neste assento, exceto o próprio Jesus e o futuro Cavaleiro do Graal. Este assento na mesa do Graal era como o Siege Perilous, o assento na mesa redonda de Arthur & # 8217s.

Muitas pessoas ficaram infelizes por ninguém de seu grupo poder sentar-se entre o grupo sagrado, especialmente Moisés. Outras pessoas tentaram persuadir Josefo a permitir que Moisés se sentasse no lugar vago. Josefo não achava que Moisés fosse um cristão digno, mas permitiu que ele o fizesse de qualquer maneira.

No dia seguinte, fingindo ser humilde, porque Moisés estava muito determinado a sentar-se na cadeira vazia, apesar da terrível advertência de Josefo e # 8217, observou os outros com inveja.No momento em que ele se sentou no assento, Moisés foi envolto em chamas e algumas mãos de fogo levaram Moisés embora.

Após a refeição, Bron perguntou a Josefo o que deveria fazer com seus doze filhos. Onze queria se casar, exceto o mais jovem, que queria permanecer virgem e servir ao Graal. Josefo o nomeou como o próximo guardião do Graal depois dele. Seu nome era Alan, o Gordo (ou Alain de Gros). Os filhos mais velhos de Bron & # 8217s devem servir aos mais novos como líderes.

Josefo continuou a viajar pela Grã-Bretanha para pregar o evangelho. Um dia, eles se deparam com uma terra árida, então encontrar comida seria difícil. Aqueles que seguiram fielmente as ordens e ensinamentos de Josephus & # 8217 receberam a abundância de alimentos que desejaram, mas o restante não recebeu tal alimento do Santo Graal.

Para que nenhum deles morresse de fome, Josefo pediu a Alan para pegar um único peixe. Aquilo era peixe, era comida suficiente para todos os outros (pecadores). Por esse motivo, Alan ficou conhecido como o Pescador Rico.

Queste del Saint Graal, c. 1230 (Ciclo Vulgate).

O único pagamento que Joseph queria dos sarracenos era que eles desistissem de seus deuses pagãos e se convertessem ao cristianismo se o Deus de Joseph pudesse curar o irmão sarraceno. Mas ao chegar ao castelo, conhecido como a Rocha, um leão matou este cavaleiro sarraceno.

Joseph fez a mesma barganha com o irmão morto do sarraceno, que se chamava Matagran. Furioso com a proposta de Joseph & # 8217s, o senescal de Matagran & # 8217s atingiu Joseph com sua espada, ferindo Joseph & # 8217s na coxa. A lâmina do senescal & # 8217s se partiu em duas, deixando metade da lâmina na coxa de Joseph & # 8217s. Mas Joseph fez mais do que curar o ferimento na cabeça de Matagran. Joseph também ressuscitou o irmão morto de Matagran. Ambos os irmãos aceitaram a fé de Joseph e foram batizados junto com todos os outros no castelo, abandonando sua antiga religião pagã.

A própria ferida de Joseph foi curada, mas o milagroso foi que a ferida não sangrou nem havia sangue na lâmina. Joseph predisse que a espada quebrada seria restaurada e unida como se a espada nunca tivesse sido quebrada, somente quando o herói do Graal (Galahad) cumprir sua missão.

Joseph deixou a Rocha e juntou-se a Josefo e seus seguidores, que agora tentavam cruzar um rio largo e profundo. Eles encontraram o lugar para vadear o rio, somente quando viram um lugar onde um veado e quatro leões cruzavam o rio.

Apenas um homem chamado Canaã não conseguiu atravessar o rio por causa de seu pecado e falta de fé em Jesus. Doze irmãos de Canaã imploraram a Josefo que ajudasse Canaã a cruzar, algo de que eles se arrependeriam. Canaã estava tão cheio de inveja e raiva que seus irmãos podiam atravessar, mas ele não conseguia.

Josefo os conduziu para onde chegaram ao castelo dentro da floresta de Darnantes que Moisés ainda estava queimando no fogo, enquanto ele permanecia vivo como punição por sentar-se na mesa do Graal que estava reservada a Galahad.

Moisés se arrependeu e se arrependeu de seu pecado de orgulho e inveja. Moisés advertiu seu pai, Simeão, para não cair no mesmo pecado que ele. Sua punição duraria até que Galahad fosse até ele.

Mesmo depois de deixar Moisés, Simeão e Canaã continuariam a pecar. Simeão, esquecendo-se da advertência de seu filho, ficou com ciúmes porque Pedro e Josefo continuaram a ser recompensados ​​pelo Graal, enquanto Canaã tinha ciúmes de seus doze irmãos serem mais piedosos do que ele. Canaã assassinou seus doze irmãos, enquanto Simeão feriu gravemente Pedro com uma faca.

Os cristãos decidiram enterrar Simeão e Canaã vivos, mas Simeão recebeu uma punição diferente. Simeão foi levado por dois anjos flamejantes, como se seu filho tivesse sido seu corpo aceso em um fogo que não se apagava, assim como seu filho, Moisés. A punição de Simeão terminaria quando o cavaleiro Lancelot viesse e o fogo que queimava o corpo de Simeão fosse extinto.

Canaã implorou a Josefo que, se ele fosse enterrado vivo em uma tumba, seus irmãos seriam sepultados ao seu redor. Eles o fizeram, mostrando por que Canaã havia assassinado seus irmãos.

Josefo não conseguiu curar seu parente, Pedro, porque a adaga que Simeão havia usado estava manchada com veneno. Quando Josefo e seus seguidores deixaram a tumba de Canaã, Pedro ficou para trás com um sacerdote chamado Pai.

Eventualmente, Pedro também deixaria a tumba de Canaã. Pedro entrou em um pequeno barco, que o levaria a um lugar para ser curado. O barco o levou a uma ilha pagã, que o rei Orcant governava em seu castelo.

Orcant tem uma filha que encontrou Peter neste barco. Ela teve pena dele e se importou com ele. Ela ficou preocupada quando descobriu que Peter era cristão, porque seu pai não gosta de nenhum cristão e tem um definhando em sua masmorra.

A filha de Orcant arranjou um encontro entre Peter e seu pai, um prisioneiro cristão. Este cristão descobriu a razão pela qual Pedro não pôde ser curado e removeu facilmente o veneno do corpo de Pedro para que pudesse ser curado. Em um mês, Peter recuperou suas forças e saúde.

Por volta dessa época, o rei Orcant estava realizando uma festa em que um de seus convidados, Marahant, filho do rei Luce da Irlanda, foi envenenado. Luce acusou Orcant de envenenar seu filho. Luce exigiu que ele o encontrasse em combate. Orcant pede a alguém para lutar contra Luce, porque Luce era uma cavaleiro temível. Peter decidiu lutar no lugar de Orcant & # 8217s, onde derrotou Luce. Pedro ganhou a confiança de ambos os reis, fazendo as pazes entre eles. Orcant e Luce também se converteram ao cristianismo e abandonaram suas próprias religiões pagãs. Orcant teve seu nome mudado para Lamet. A confiança de Orcant em Peter era tamanha que ele se casou com sua filha Camille (este é o nome de batismo dela, eu não consegui encontrar o outro nome). O castelo de Orcant / Lamet & # 8217s e a ilha eram chamados de Orkney.

Peter e Camille tiveram um filho chamado Herlan. De seu filho e seus descendentes, Peter estabeleceu uma linha forte em que durante a época de Arthur & # 8217, o rei Lot e seu filho Sir Gawain eram descendentes diretos de Peter e Camille.

Merlin, c. 1240 (Ciclo Vulgate).

Lancelot, c. 1230 (Ciclo Vulgate).

Queste del Saint Graal, c. 1230 (Ciclo Vulgate).

Não demorou muito depois de Josephus & # 8217 retornar que eles ouviram que um velho rei havia morrido sem filhos em Holselice, um antigo nome para Gales. O povo de Holselice convocou Ganor para encontrar uma pessoa adequada para governar este reino. Depois de discutir isso com Josefo e Nascien, Ganor decidiu que a pessoa que se tornaria o novo rei de Holselice seria o jovem Galahad.

Josefo investiu o reino de Holselice para seu irmão na cidade de Palagre, onde foi coroado. Galahad se casou com a filha do Rei das Ilhas Distantes e se tornou pai de Lyanor. O filho de José de Arimatéia estabeleceu uma linha forte, culminando na época de Arthur & # 8217, com o Rei Urien e seu filho, Yvain (Owain).

Quando Galahad morreu, o reino foi nomeado após o rei como Galles (País de Gales).

Galahad cavalgava em uma viagem de caça na floresta, quando ouviu uma voz o chamando. Ele encontrou seu primo, Simeão, com a carne ainda queimando por causa do pecado de tentar matar outro parente Pedro. A punição de Simeão terminaria um dia, quando Sir Lancelot e depois Sir Galahad o visitassem. Galahad decidiu construir uma abadia aqui. Também seria o local da tumba de Galahad & # 8217s. Foi destinado que o herói Lancelot seria o único cavaleiro a levantar facilmente a lápide de Galahad & # 8217s.

Josphus voltou ao Castelo de Galafort, apenas para receber uma mensagem do ex-rei de Saras para visitá-lo. Mordrain ainda estava cego e enfraquecido pelo Graal. O próprio pai de Josephus e # 8217 morreu, algumas vezes atrás, e foi sepultado na Abadia da Cruz na Escócia. Josefo foi para esta abadia, porque sabia que sua própria hora também chegaria.

Josefo estava de bom humor porque sabia que morreria no dia seguinte. Mas Mordrain ficou chateado com a notícia e implorou a Josefo que deixasse algo para se lembrar dele.

Josefo ordenou que o monge que cuidava de Mordrain trouxesse o escudo do rei que ele carregou para a guerra contra o rei Tholomer, logo após seu primeiro encontro. Nesse exato momento, o nariz de Josephus & # 8217 estava sangrando. Josefo usou seu próprio sangue para pintar o escudo branco de Mordrain & # 8217.

Cego Mordrain ficou satisfeito com o último presente de seu velho amigo & # 8217. Josefo predisse que o último descendente de Nascien, Sir Galahad, reivindicaria este escudo quando partisse em busca do Graal. Ninguém mais poderia carregar este escudo sem morte ou ferimentos, exceto o futuro herói do Graal. Josefo ainda instruiu Mordrain a pendurar o escudo na árvore do túmulo de Nascien, quando o cunhado do rei morrer.

No dia seguinte, Josefo morreu e foi enterrado na abadia onde Mordrain estava morando.

Josefo já havia passado o Graal para Alan, filho de Bron, no Castelo de Galafort, antes de partir para a abadia.

Alan então deixou a abadia com todos os seus irmãos e sua família. Todos os seus irmãos eram casados, exceto Joshua. Eles vagaram pela Grã-Bretanha até chegarem à cidade de Malta, no reino da Terra do Além.

A Terra Além era governada por um rei chamado Calafes. Calafes era um rei pagão que sofria de lepra. Calafes ouviu falar de cristãos realizando milagres e perguntou a Alan se ele poderia ser curado. Alan disse que ele poderia ser curado em três dias, se o rei se livrasse de todos os ídolos de seu reino e se convertesse à religião cristã.

Calafes fez tudo o que Alan instruiu e, no momento de seu batismo, ele revelou o Graal ao rei e Calafes estava completamente curado. Calafes mudou seu nome para Alphasan.

Tão satisfeito por finalmente ter sido curado, o rei Alphasan decidiu que Alan e sua família deveriam ficar em seu reino. Alphasan construiria o mais maravilhoso castelo e palácios para abrigar o Graal e a família Alan & # 8217s. Visto que Alphasan tinha uma filha (que não tinha nome), mas nenhum filho, ele queria que o irmão solteiro de Alan fosse o marido de sua filha, bem como seu herdeiro. Alan concordou com a proposta do rei & # 8217s.

Então, Alphasan mandou construir o mais maravilhoso e belo castelo para Josué. Quando foi concluído, havia muitos palácios e uma grande catedral.

Quando a fortaleza foi completada, foram escritas milagrosas inscrições em caldeu que & # 8220Este castelo deveria ser chamado de Corbenic & # 8221, onde Corbenic significa & # 8220Botão sagrado & # 8221.

No domingo, o Graal foi movido para o Corbenic, e Joshua se casou com a filha de Alphasan. Depois do casamento e da celebração, Joshua e sua esposa dormiram no quarto abaixo do corredor, mas Alphasan tolamente dormiu na bela cama feita, ao lado do grande salão onde o Graal era guardado em uma mesa de prata.

Alphasan acordou ouvindo mil vozes cantando louvores a Cristo, mas Alphasan não conseguia ver ninguém por perto. No entanto, o rei viu um homem vestido com o manto de um sacerdote perto do Graal, como se estivesse celebrando uma missa.

Assim que a música terminou, um cavaleiro apareceu a assustadora aparição como se estivesse envolto em chamas se aproximou do rei deitado na grande cama, repreendeu o rei por testemunhar a cerimônia sagrada e dormir na cama perto do Vaso Sagrado que ele não era digno . O cavaleiro então atingiu o rei com uma lança nas duas coxas. O cavaleiro disse a Alphasan que ninguém pode dormir nesta cama do Palácio da Aventura, a menos que ele seja um dos maiores cavaleiros.

Os senhores encontraram o rei Alphasan mortalmente ferido. Alphasan disse a eles que nenhum homem deveria dormir nesta cama dentro do Palácio da Aventura. Muitos cavaleiros que visitavam Corbenic morreram nesta mesma cama pela lança do cavaleiro de fogo. O único cavaleiro que sobreviveu ao ferimento foi Sir Gawain, sobrinho do Rei Arthur, mas ele deixou Corbenic profundamente envergonhado, porque viu o Graal, mas não fez a pergunta vital.

Alphasan demorou dez dias antes de morrer, porque sua ferida não poderia ser curada. Alan, o Gordo, filho de Bron, também morreu no mesmo dia. Alan e Alphasan foram sepultados lado a lado na Igreja de Notre Dame de Corbenic & # 8217s. Josué, irmão de Alan, sucedeu Alphasan como rei da Terra Além, e residia em sua capital no Castelo Corbenic.

O Santo Graal permaneceu sob os cuidados do irmão de Alan e de seus descendentes. Joshua era o pai de Aminadap. O livro continua sobre os descendentes de Josué. Cada rei era conhecido como Pescador Rico (ou Rei Pescador) e eram os guardiões do Graal, por isso também eram conhecidos como Reis do Graal.

Um descendente de Josué, o rei Lambor era um grande cavaleiro que estava em guerra contra um rei vizinho, chamado Varlan. Varlan encontrou um navio com uma bela cama, que possui uma espada magnífica (espada do Rei David), era o mesmo navio que Nascien havia encontrado na Ilha Giratória. Varlan lutou e matou Lambor com esta espada que dividiu o crânio de Lambor & # 8217s. Isso causou um golpe, conhecido como Dolorous Stroke, que também devastou a terra, tornando-a estéril. Maravilhado com esta arma, Varlan voltou ao navio para recuperar a bainha. No momento em que o rei Varlan embainhou a espada, porque ele havia tocado a espada que não era para ele empunhar. Esta espada era conhecida como Espada com o Cinto Estranho.

Pellehan, filho de Lambor, sucedeu a seu pai. O rei Pellehan foi ferido em ambas as coxas durante sua batalha contra Roma. Pellehan era o Rei mutilado, que Sir Galahad mais tarde iria curar em sua busca. Pellehan abdicou de permitir que seu filho, o rei Pelles, governasse a Terra do Além, em seu lugar. Pelles era o pai de Elaine, a donzela do Graal. Quando Lancelot do Lago visitou Corbenic, ele seria enganado para dormir com Elaine, portanto, pai do cavaleiro do Graal, Sir Galahad.

Após a morte de Josefo, Nascien, juntamente com sua esposa e irmã, ficaram com o rei Mordrain, fazendo companhia ao rei cego. Nascien, Flagetine e Sarrasinte, esposa de Mordrain & # 8217s, morreram todos no mesmo dia. As senhoras foram enterradas dentro da abadia, mas o rei, lembrando-se da instrução de Josefo # 8217, deixou a abadia em uma carroça com seu escudo e o corpo de Nascien.

Mordrain enterrou Nascien não muito longe da abadia, em uma clareira na floresta. Mordrain pendurou seu escudo em um dos galhos acima do túmulo de Nascien. Galahad tomaria este escudo cinco dias após receber seu título de cavaleiro.

Mordrain voltou para a abadia, onde esperaria até que Galahad viesse e o libertasse de sua vida.

A história então continua sobre os descendentes do filho de Nascien, Celidoine. Os descendentes de Nascien produziriam muitos reis e cavaleiros excelentes. Lancelot do Lago não era um rei, ele era o maior cavaleiro do mundo, antes que seu filho o ultrapassasse. Galahad foi o resultado da união de duas grandes linhagens: do lado de seu pai, Galahad era descendente de Nascien do lado de sua mãe, ele era descendente de Bron e Joshua.

Antes de esta história terminar, Lancelot tinha um avô, que também se chamava Lancelot. O rei Lancelot governou no Castelo de Bellegarde, morando com sua esposa, a rainha Marche. O rei Lancelot também foi pai de dois grandes reis, o rei Ban de Benoic e o rei Bors de Gaunes. Ban era o pai de Lancelot of the Lake e Hector, enquanto o Rei Bors era o pai de Sir Lionel e Sir Bors. Ban e Bors foram os primeiros aliados do Rei Arthur.

O rei Lancelot teve um fim trágico por causa de seu duque traiçoeiro. O rei estava na Floresta Perigosa, onde conheceu um eremita. Quando ele tomou um gole de uma fonte, o duque decapitou o rei Lancelot, cuja cabeça caiu na fonte. O duque malvado tirou a cabeça da água fria, mas não antes que suas mãos fossem feridas pela água que de repente estava fervendo. A água da nascente permaneceu fervendo até que Galahad chegasse a este lugar.

O duque percebeu que Deus o estava punindo pelo assassinato, então ele rapidamente enterrou o corpo e a cabeça do rei perto do eremitério, na esperança de esconder seus atos perversos.

Ao retornar ao seu castelo, ele aprendeu que as trevas envolveram sua casa. Quando ele foi investigar o novo milagre, a pedra acima do portão do castelo desabou, matando o duque perverso.

Uma tumba foi erguida para o rei Lancelot. Dois milagres aconteceriam aqui. Uma delas é que gotas de sangue da tumba podem curar qualquer cavaleiro ferido. O segundo milagre foi que a tumba era guardada por dois leões.


Assista o vídeo: The Tale of Sir Galahad - Monty Python and the Holy Grail Full HD, High Quality (Pode 2022).